UMA PERSPECTIVA CRÍTICA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL: HISTÓRICO, PRÁTICAS CORRENTES E CONTROVÉRSIAS

Palavras-chave: Responsabilidade Social Empresarial, Psicologia do Trabalho e das Organizações, Gestão de Recursos Humanos

Resumo

O presente trabalho pretende fazer avançar o debate em torno da Responsabilidade Social Empresarial (RSE), entendida tanto como discurso mercadológico adotado pelas empresas, quanto como temática de interesse dos estudos acadêmicos sobre a gestão do trabalho humano. Partindo de um referencial crítico, busca-se estabelecer reflexões entre a RSE e a Psicologia do Trabalho e das Organizações (POT). São apresentados os resultados de uma pesquisa de base qualitativa que envolveu a realização de entrevistas semiestruturadas com seis psicólogos atuantes na área de Recursos Humanos de empresas que desenvolvem práticas de RSE. Os dados obtidos em campo foram submetidos à análise de conteúdo. Os resultados enfatizam as dimensões plurais e contraditórias da RSE e alertam para os riscos de manter-se restrita como um modismo ou uma estratégia de marketing empresarial, ao mesmo tempo em que recomenda uma articulação mais consistente com os programas de gestão de recursos humanos.

O presente trabalho pretende fazer avançar o debate em torno da Responsabilidade Social Empresarial (RSE), entendida tanto como discurso mercadológico adotado pelas empresas, quanto como temática de interesse dos estudos acadêmicos sobre a gestão do trabalho humano. Partindo de um referencial crítico, busca-se estabelecer reflexões entre a RSE e a Psicologia do Trabalho e das Organizações (POT). São apresentados os resultados de uma pesquisa de base qualitativa que envolveu a realização de entrevistas semiestruturadas com seis psicólogos atuantes na área de Recursos Humanos de empresas que desenvolvem práticas de RSE. Os dados obtidos em campo foram submetidos à análise de conteúdo. Os resultados enfatizam as dimensões plurais e contraditórias da RSE e alertam para os riscos de manter-se restrita como um modismo ou uma estratégia de marketing empresarial, ao mesmo tempo em que recomenda uma articulação mais consistente com os programas de gestão de recursos humanos.

Biografia do Autor

Mara Marçal Sales, PUC Minas
Professora Adjunta IV da PUC Minas, na Faculdade de Psicologia, e Analista de Políticas Públicas na Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.
João César de Freitas Fonseca, PUC Minas
Professor Adjunto da PUC Minas, na Faculdade de Psicologia.
Bruna Coutinho Silva, PUC Minas
Graduada em Psicologia pela PUC Minas. Pós-graduanda em Filosofia Contemporânea pela mesma instituição.

Referências

ARAÚJO, M. R. M. de. Exclusão social e responsabilidade social empresarial. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 11, n. 2, p. 417-426, mai./ago. 2006.

ASHLEY, P. A.; CARDOSO, A. J. G. A responsabilidade social nos negócios: um conceito em construção. In: ASHLEY, P. A. (Coord.). Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2003, p. 2-16.

BAHIA, M. S.; SCHOMMER, P. C. Inserção Profissional de Pessoas com Deficiência nas Empresas: Responsabilidades, Práticas e Caminhos. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 17, n. 54, p. 439-461, jul./set. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/osoc/v17n54/03.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Ed. 70, 2011.

BENDASSOLLI, P. F. A psicologia revisitada pela pragmática: subjetividade, conhecimento e método. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 309-319, 2002.

BRASIL. Lei n. 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 jul. 1991.

CAMARGO, R. Z. Responsabilidade social das empresas: formações discursivas em confronto. 2009. 432f. Tese (Doutorado) – Departamento de Propaganda, Relações Públicas e Turismo. Escola de Comunicação e Artes da USP, São Paulo.

CAPPELLIN, P.; GIFFONI, R. As empresas em sociedades contemporâneas: a responsabilidade social no Norte e no Sul. Caderno CRH, Salvador, v. 20, n. 51, p. 419-434, set./dez. 2007.

COSTA, M. A. N. Sinergia e capital social na construção de políticas sociais: a favela da Mangueira no Rio de Janeiro. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 21, p. 147-163, nov. 2003.

FARIA, A.; SAUERBRONN, F. F. A responsabilidade social é uma questão de estratégia? Uma abordagem crítica. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 1, p. 7-33, jan./fev. 2008.

GOMES, A.; MORETTI, S. A responsabilidade e o social: uma discussão sobre o papel das empresas. São Paulo: Saraiva, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Rompimento da Barragem de Fundão: Documentos relacionados ao desastre da Samarco em Mariana/MG. Ibama, 16 mar. 2016. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br/recuperacao-ambiental/rompimento-da-barragem-de-fundao-desastre-da-samarco/documentos-relacionados-ao-desastre-da-samarco-em-mariana-mg>. Acesso em: 21 out. 2017.

INSTITUTO ETHOS. Práticas e Perspectivas da Responsabilidade Social Empresarial no Brasil 2008. São Paulo: Instituto Ethos; Instituto Akatu; Ipope Inteligência, 2009.

LOPES, M. C. R. Subjetividade e trabalho na sociedade contemporânea. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 91-113, mar./jun. 2009.

LUCAS, L., & HOFF, T. A face oculta da caridade: linhas de força e de fratura no discurso midiático do bem. Revista Famecos, Porto Alegre, n. 38, p. 28-36, abr. 2009.

MACKE, J.; CARRION, R. M.; DILLY, E. K. Programas sociais corporativos e capital social: proposta de qualificação. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n.5, p. 836-853, set./out. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n5/v14n5a05.pdf>. Acesso em: 20 out. 2017.

MAGNO, A.; BARBOSA, S. O "ativismo social" empresarial e o seu viés antidissensual. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 56, p. 325-343, mai./ago. 2009.

MINAYO, M. C. de S. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2009, p. 9-29.

MOLLICONE, M. M. Responsabilidade social empresarial: Modismo, civismo ou demanda de mercado? 2003. 111f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia, Salvador.

MORETTI, S. L. do A.; CAMPANARIO, M. de A.. A produção intelectual brasileira em responsabilidade social empresarial - RSE sob a ótica da bibliometria. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 13, n. spe, p. 68-86, jun. 2009.

PAOLI, M. C. Empresas e responsabilidade social: os enredamentos da cidadania no Brasil. In: SANTOS, B. S. (Org). Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002, cap. 8.

PENHA, E. D. dos S. et al. Percepção de responsabilidade social e satisfação no trabalho: um estudo em empresas brasileiras. REGE – Revista de Gestão, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 306-315, 2016. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/129034/125689>. Acesso em: 23 out. 2017.

REIS C. N. dos. A responsabilidade social das empresas: o contexto brasileiro em face da ação consciente ou do modernismo do mercado? Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 279-305, ago. 2007.

SALES, M. M. À flor da pele: uma análise crítica de discursos empresariais sobre diversidade racial no trabalho. 2012. 258f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Belo Horizonte.

SARTORE, M. de S. Da filantropia ao investimento socialmente responsável: novas distinções. Caderno CRH, Salvador, v. 25, n. 66, p. 451-464, dez. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ccrh/v25n66/05.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017.

SOUZA, W. J. de. O mundo que nós perdemos: da solidariedade pré-industrial à economia solidária. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 32, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Administração, 2008, p. 1-16.

SPINK, P. Para além da Psicologia Organizacional: nove textos escolhidos. São Paulo: PPG/Psicologia Social/PUC-SP; EAESP-FGV, 2004.

VENTURA, E. C. F. Dinâmica de institucionalização de práticas sociais: estudo da responsabilidade social no campo das organizações bancárias. 2005. 351p. Tese (Doutorado) – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas – EBAPE, São Paulo.

Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre