VIRTUALIDADE E TOXICOMANIA: REFLEXÕES SOBRE A “DROGA”, O USO DAS REDES SOCIAIS VIRTUAIS E A PSICANÁLISE

  • Izabella Azevedo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Thaís Limp Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Toxicomania, Drogas, Psicanálise, Redução de Danos, Redes Sociais Virtuais

Resumo

O presente artigo levanta questões sobre o conceito de toxicomania por meio da prática investigativa desenvolvida no estágio “Entrevista Clínica da Psicose”. Este construto versa sobre o tratamento psicanalítico dado aos sujeitos toxicômanos, apresentando brevemente as contribuições da Redução de Danos, além possibilitar reflexões sobre novas formas de adicção por meio das redes sociais virtuais. Utilizando-se um fragmento de caso clínico, ao final é realizada uma breve reflexão sobre o uso das tecnologias apresentadas pelas redes sociais nos meios virtuais, associando-as às práticas toxicomaníacas. A problemática das drogas é ainda pouco abordada e tem como principal regulador das discussões, questões éticas e morais, o que torna ainda mais relevante o trato do assunto e o levantamento de reflexões. O objetivo foi a consolidação de conhecimentos adquiridos ao longo da prática e supervisão, fazendo um entrelace entre a literatura e os questionamentos surgidos das entrevistas realizadas no CERSAM – Nordeste. Deste modo, este estudo consiste em uma revisão teórica baseada na discussão de um caso clínico, extraído das atividades desenvolvidas na prática.

Biografia do Autor

Izabella Azevedo, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Aluna da Faculdade de Psicologia da PUC Minas, Unidade São Gabriel
Thaís Limp, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Psicóloga/ psicanalista. Mestre em teoria psicanalítica e doutoranda em Processos de Subjetivação.

Referências

AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. 3.ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007.

CAMPOS, Marcelo A. Campos; SIQUEIRA, Domiciano J. Ribeiro. Redução de danos e terapias de substituição em debate: contribuição da Associação Brasileira de Redutores de Danos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, São Paulo, v. 52, n. 5, p. 387-393, 2003. Disponível em: <http://psiquiatriabh.com.br/wp/wp-content/uploads/2015/01/Redu%C3%A7%C3%A3o-de-danos-em-psiquiatria.pdf#page=56>. Acesso em 25 Mai. 2018

CEBRID, SENAD. Livreto informativo sobre drogas psicotrópicas. 5ª ed. Brasília (DF): Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas; Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, 2011. Disponível em: . Acesso em 25 Mai. 2018

GUERRA, Andréa Máris (Org.); PENNA, Paula Dias (Org.); SOARES, Sanderson Nascimento (Org.); Direito e Psicanálise II: o adolescente em foco. In: GOULART, Tatiana. O que há de novo nas toxicomanias? Belo Horizonte: Editora CRV, 2015. Cap.3, p. 169-175.

FREDA, Hugo. Encerramento In: Fascículos 4: O Toxicômano Faz A Droga. P 21-29. Editora: FHEMIG, Belo Horizonte, 1987.

FREUD, Sigmund. (1930). O futuro de uma ilusão. O mal-estar na civilização e outros trabalhos. Volume XXI (1927-1931). Rio de Janeiro: Imago Editora Ltda., 1969. Disponível em: <http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/01/freud-sigmund-obras-completas-imago-vol-21-1927-1931.pdf>. Acesso em 25 Mai. 2018.

HEMPS MEDS BRASIL, O que é o Sistema Endocanabinoide?. Bem-Estar Educacional, 2017 Disponível em: <https://hempmeds.com.br/o-que-e-o-sistema-endocanabinoide/>. Acesso em 25 Mai. 2018.

MARTINS, Nádia A. Souza. Toxicomanias – sintoma na contemporaneidade: Paradoxo do gozo no encontro do objeto a com o objeto droga. 2008. Dissertação (Mestrado em Psicanálise, Saúde e Sociedade) – Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro. Disponível em: <http://docplayer.com.br/2499787-Toxicomanias-sintoma-na-contemporaneidade-paradoxo-do-gozo-no-encontro-do-objeto-a-com-o-objeto-droga.html>. Acesso em 25 Mai. 2018.

RIBEIRO, Cynara Teixeira. Que lugar para as drogas no sujeito? Que lugar para o sujeito nas drogas? Uma leitura psicanalítica do fenômeno do uso de drogas na contemporaneidade. Ágora, Rio de Janeiro, v. XII n. 2, p.333-346, jul/dez 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/agora/v12n2/v12n2a12. Acesso em 25 Mai. 2018.

SANTOS, Janaina S. Vieira. “Escolha uma vida”: A toxicomania do filme Trainspotting sob a perspectiva psicanalítica de Claude Olievenstein. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo. Disponível em: <https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/18715/2/Janaina%20de%20Souza%20Vieira%20Santos.pdf>. Acesso em 25 Mai. 2018.

SERRETTI, Maria Angélica Tomás; Toxicomania: um estudo psicanalítico. Mosaico: Estudos em Psicologia. Belo Horizonte, v.5, n.2, p.46-60, 2012. Disponível em: <https://seer.ufmg.br/index.php/mosaico/article/view/4393/3193>. Acesso em 25 Mai. 2018.

VIDIGAL, Mariana Furtado. A toxicomania como antiamor. 2016. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em: . Acesso em 25 Mai. 2018.

Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre