A SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA, OS IMPERATIVOS DO IDEAL DO EU E OS DIAGNÓSTICOS DE DEPRESSÃO

Palavras-chave: Ideal do eu, Melancolia, Depressão, Psicanálise

Resumo

O presente trabalho pretende abordar, à luz de conceitos psicanalíticos, algumas consequências da relação entre o rápido desenvolvimento tecnológico e social observado nas últimas décadas e os sujeitos submetidos a esta lógica. Pretende-se refletir sobre a relação do sujeito com o que parece se apresentar como um estado de profunda frustração frente um objetivo não satisfatoriamente atingido. Desta forma, serão apontadas algumas considerações no que concerne às queixas que vêm se tornando comuns e que parecem se assemelhar a casos nos quais os sujeitos são diagnosticados como melancólicos ou depressivos. Em seguida, é apresentada a hipótese de que o imperativo capitalista de gozo, somado à sua grande produção e oferta de gadgets e ideais, podem estar relacionados tipos de sofrimentos estudados neste trabalho. Por fim, apresentaremos a psicanálise como uma possibilidade de aposta acerca do saber fazer com o que se coloca para estes sujeitos.

Biografia do Autor

Mariana Fontoura Mauad Castro, PUC-MG. UNA.
Psicóloga. Graduada em Psicologia, PUC-MG. Pós-Graduada em Psicanálise e a Clínica 
Elisa de Santa Cecília Massa, UFMG
Psicóloga e Psicanalista. Doutoranda e Mestre em Estudos Psicanalíticos, UFMG. 

Referências

CAMPOS, Érico Bruno Viana. Uma perspectiva psicanalítica sobre as depressões na atualidade. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 7, n. 2, p. 22-44, dez. 2016.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. 1. Ed. São Paulo: Penguim, 2011, 96 p.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia. In: ______. A história do movimento psicanalítico 1917 [1915]. Rio de Janeiro: Imago, 1996. p. 243-263. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, 14).

KEHL, Maria Rita. O tempo e o cão : a atualidade das depressões. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2015. 311 p.

LAMBOTTE, Marie-Claude; tradução FELGUEIRAS, Sandra Regina. O discurso melancólico: da fenomenologia à metapsicologia. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 1997, 552 p.

MASSA, Elisa de Santa Cecília. As horas que separam duas mortes: da melancolia ao impulso suicida. Curitiba: CRV, 2016.

ONUBR, Organização das Nações Unidas Brasil. OMS registra aumento de casos de depressão em todo o mundo; no Brasil são 11,5 milhões de pessoas. Disponível em

<https://nacoesunidas.org/oms-registra-aumento-de-casos-de-depressao-em-todo-o-mundo-no-brasil-sao-115-milhoes-de-pessoas/> Acesso em 11/06/2018.

PERES, Urania Tourinho. Depressão e melancolia. 3.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2010, 63 p.

QUINET, Antônio. Psicose e laço social: esquizofrenia, paranoia e melancolia. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2013. 237 p.

VIEIRA, Marcus André; BASTOS, Angélica; TEIXEIRA, Antônio. Semiologia da afetividade: o afeto que se encerra na estrutura. In: TEIXEIRA, Antônio; CALDAS, Heloísa (Org.). Psicopatologia Lacaniana . 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017. cap. 7, p. 145-166. v. 1.

Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre