OS MECANISMOS EM JOGO NO TRATAMENTO PSICANALÍTICO: PERLABORAÇÃO E SUBLIMAÇÃO

  • Kátia Botelho de Carvalho
Palavras-chave: Trabalho analítico, Resistência, Perlaboração (Durcharbeitung), Sublimação, Bem-dizer

Biografia do Autor

Kátia Botelho de Carvalho

A partir dos diversos empregos da noção de trabalho (arbeit) no processo psicanalítico, considerando desde a exigência de trabalho que toda pulsão representa, o que se passa entre analista e analisante em termos de trabalho psíquico, até a possibilidade do sujeito alcançar um “plus” de liberdade psíquica ao final desse percurso, a autora apresenta formulações freudianas decisivas sobre o que está em jogo no tratamento analítico. Nessa direção retoma o texto “Recordar, repetir e elaborar”, no intuito de fazer uma articulação entre o mecanismo de perlaboração e a viabilidade da operação de sublimação. Nesse percurso, as diversas formas de resistência foram detalhadamente descritas e articuladas com o conceito de perlaboração, buscando situar e demonstrar o que está em jogo nesta operação, ou seja, o que está fundamentalmente em jogo numa análise. Por fim, a autora faz uma articulação enlaçando o resultado do trabalho de perlaboração ao bem dizer que se alcança ao final de uma análise.

Referências

BERNARDES, A. C. Elaboração de saber na análise; um tratamento do impossível. 2000. Tese (Doutorado em Teoria Psicanalítica) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

FERENCZI, S. O problema do fim da análise. Obras completas. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

FREUD, S. Recordar, repetir y reelaborar – Nuevos consejos sobre la técnica del psicoanáli-sis, II. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XII.

FREUD, S. Puntualizaciones sobre el amor de transferencia – Nuevos consejos sobre la técni-ca del psicoanálises, III. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XII.

FREUD, S. Pulsiones y destinos de pulsión. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XIV.

FREUD, S. Conferencias de introducción al psicoanálisis. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XV, XVI.

FREUD, S. Inhibición; síntoma y angústia. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XX.

FREUD, S. Nuevas conferencias de introducción al psicoanálisis y otras obras. Obras comple-tas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XXII.

FREUD, S. Análisis terminable e interminable. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XXIII.

FREUD, S. Esquema del psicoanálisis. Obras completas. Buenos Aires: Amorrortu, 1996. v. XXIII.

GREEN, A O desligamento; psicanálise, antropologia e literatura. Rio de Janeiro: Imago, 1994.

HORNSTEIN, Luis. Cura psicanalítica e sublimação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

LACAN, J. O seminário – livro 1: Os escritos técnicos de Freud. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

LACAN, J. O seminário – livro 7: A ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

LACAN, J. O seminário – livro XV: O ato psicanalítico. (Inédito).

LACAN, J. A direção do tratamento e os princípios de seu poder. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LACAN, J. Televisão. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

LAPLANCHE, J. Sublimation et/ou inspiration. Entre seduction et inspiration: l’homme. Pa-ris: Quadrige & PUF, 1999.

LAPLANCHE, J.; PONTALIS, J. B. Vocabulário de psicanálise. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

LOPES, V. L. S. Afinal quem resiste? In: III ENCONTRO Brasileiro do Campo Freudiano. O que pode um analista? Salvador, BH: Fundação do Campo Freudiano, 1991.

NASIO, J. D. Como trabalha um psicanalista? Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

ROUDINESCO, E.; PLON, M. Dicionário de psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

SOLER, C. El problema de la sublimación. In: Seminário del Campo Freudiano de Madrid (1988-1989) – La ética del psicoanálisis. Madrid: Fundação do Campo Freudiano, [s.d.].
Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre