PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DO TRANSGÊNERO E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIAIS, PSICOLÓGICAS E AFETIVAS

  • Larissa Pereira Villike
  • Maria Madalena Silva de Assunção
  • Paôla Cristina Mendes de Souza
  • Thaynara Bárbara Martins Torres
Palavras-chave: Transgênero, Preconceito, Sexo, Gênero

Resumo

O presente artigo é resultado de pesquisa realizada no Estágio de Práticas Investigativas II e III do curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.  Trata-se de uma pesquisa qualitativa na qual os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas desenvolvidas com pessoas transgêneros de ambos os sexos, e com duas instituições que oferecem assistência a esse público, no intuito de investigar como se dá o acolhimento dessas pessoas. O foco central deste trabalho foi levantar questionamentos à respeito das experiências sociais, afetivas e psicológicas e sobre a ausência ou não de suporte institucional voltado às transgêneros. Foi possível identificar a existência de inúmeras barreiras a serem transpostas pelos mesmos para sua inserção social, uma vez que as relações se encontram permeadas de múltiplas formas de preconceito em função da heteronormatividade que orienta nossa cultura. A partir dos dados obtidos neste estudo, é possível estabelecer um diálogo entre as demandas desse público e as políticas públicas atuais e refletir sobre a necessidade de implementação de Políticas Públicas mais inclusivas, uma vez que se percebe a ineficiência de órgãos públicos destinados às demandas dessa população.

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM. 4 ed. Washington D/C, 1994.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS DO BRASIL (ANTRA) e INSTITUTO BRASILEIRO TRANS DE EDUCAÇÃO (IBTE). Dossiê: assassi-natos e violência contra travestis e trasexuais no Brasil em 2018. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2019.

ATHAYDE, Amanda. Transexualismo Masculino. Arquivos Brasileiros Endocrinologia & Metabologia, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 407-414, ago. 2001.

ÁVILA, Simone; GROSSI, Miriam Pillar. Transexualidade e movimento transgênero na perspectiva da diáspora queer. [S.l.]: Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades UFSC, 2010. Disponível em: < http://nigs.ufsc.br/files/2012/01/TRANSEXUALIDADE-E-MOVIMENTO-TRANSG%C3%8ANERO-NA-PERSPECTIVA-DA-DI%C3%81SPORA-QUEER-Simone-%C3%81vila-e-Miriam-Pillar-Grossi.pdf > Acesso em: 15 set. 2015.

BENTO, Berenice. Sexualidade e experiências trans: do hospital à alcova. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 10, p. 2655-2664, out. 2012.

BORRILLO, Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Tradução de Guilher-me João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 457, de 19 de agosto de 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2019.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Portaria nº 233, de 18 de maio de 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2019.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CARDOSO, Fernando Luiz. O conceito de orientação sexual na encruzilhada entre sexo, gê-nero e motricidade. Revista Interamericana de Psicologia, [Florianópolis], v. 42, n. 1, p. 69-79, abr. 2008.

CRUZ, Elizabete Franco. Banheiros, travestis, relações de gênero e diferenças no cotidiano da escola. Revista Psicologia Política, São Paulo, v. 11, n. 21, p. 73-90, jun. 2011.

JAYME, Juliana Gonzaga. Travestis, transformistas, dragqueens, transexuais: montando cor-po, pessoa, identidade e gênero. In: CASTRO, Ana Lúcia de. (Org.). Cultura contemporâ-nea, identidades e sociabilidades: olhares sobre corpo, mídia e novas tecnologias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. Cap. 7, p. 167-196.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Homofobia nas Escolas: um problema de todos. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009, Cap. 1, p. 13-51.

KOTLINSK, Kelly; CEZÁRIO, Joelma; NAVARRO, Melissa. Legislação e Jurisprudência LGBTTT: Lésbica – Gays – Bissexuais – Travestis – Transexuais – Transgêneros: atualizada até 09.2006. Brasília: LetrasLivres, 2007.

LAPA, Nádia. O preconceito contra transexuais no mercado de trabalho. In: Carta Capital. 2013. Disponível em: http://www.cartacapital.com.br/blogs/feminismo-pra-que/o-preconceitocontra-transexuais-no-mercado-de-trabalho-2970.html. Acesso em: 21 set. 2015.

LAQUEUR, Thomas. Da linguagem e da carne. In: LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero dos gregos a Freud. Tradução de Vera Whately. Rio de Janeiro: Relume Du-mara, 2001. Cap. 1, p. 13-40.

LOURO, Guacira Lopes. Heteronormatividade e homofobia. In: JUNQUEIRA, Rogério Di-niz (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diver-sidade, UNESCO, 2009, Cap. 3, p. 85-93.

MELLO, Luiz; BRITO, Walderes; MAROJA, Daniela. Políticas públicas para a população LGBT no Brasil: notas sobre alcances e possibilidades. Cadernos Pagu, Campinas, n. 39, p. 403-429, jul/dez. 2012.

MISKOLCI, Richard. Pânicos morais e controle social: reflexões sobre o casamento gay. Ca-dernos Pagu, Campinas, n. 28, p. 101-128, jan/jun. 2007.

MOURA, Renan Gomes de; LOPES, Paloma de Lavor. O preconceito e a discriminação de transgêneros no processo de recrutamento e seleção de pessoal: uma revisão bibliográfica. In:
SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 11., 2014, [Rio de Janei-ro]. Gestão de Conhecimento para Sociedade. [Rio de Janeiro]: Associação Educacional Dom Bosco, v. 1, n. 1, p. 1-14, 2014.

REIS, Andreia Resende dos. Somos feitas de histórias: (auto)etnografia multilocal e produ-ção de narrativas com travestis usuárias de um serviço público de saúde referência para doen-ças infectocontagiosas. 2018. 219f. Tese (Doutorado)- Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SAMPAIO, Liliana Lopes Pedral; COELHO, Maria Thereza Ávila Dantas. Transexualidade: aspectos psicológicos e novas demandas ao setor saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 16, n. 42, p. 637-649, set. 2012.

SANTOS, Andressa Regina Bissolotti dos; SILVA, Henrique Kramer da Cruz e. Identidade LGBT e capitalismo: a construção histórica da homofobia e as estratégias jurídicas para seu combate. JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 15., 2013, [Curitiba]. Anais...[Curitiba]: Faculdade de Direito – Universidade Federal Do Paraná, 2013. p. 106-132.

SCHULMAN, Sarah. Homofobia familiar: uma experiência em busca de reconhecimento. Ba-goas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 4, n. 05, p. 67-78, nov. 2012.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Tradução de Christine Rufino Dabat, Maria Betânia Ávila. [S.l.: s.n], 1989.

TRANS RESPECT VERSUS TRANSPHOBIA. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2019.
Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre