QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO: OS SENTIDOS DA OSTENTAÇÃO E O CONSUMO PARA ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI

  • Erika Resende Andrade
Palavras-chave: Adolescente, Vulnerabilidade Social, Conflito com a Lei, Ostentação, Consumo

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o contexto social em que os adolescentes em conflito com a lei estão inseridos. O público analisado é de adolescentes, em sua maioria composto por negros, pobres, e que vivem nas periferias das grandes cidades. Por meio do trabalho ilegal muitos tem acesso ao dinheiro e o utiliza para a prática do consumo aliada a exibição dos objetos adquiridos, denominada ostentação. A análise compreende que tal prática se torna uma via reconhecimento, busca por visibilidade e inclusão deste público na sociedade. Para isso, buscou-se compreender os seguintes aspectos: A adolescência e juventude no contexto de vulnerabilidade social e a forma pela qual os adolescentes em conflito com a lei buscam ser reconhecidos na sociedade, via trabalho e pelo acesso ao consumo de objetos e a ostentação dos mesmos.

Referências

ABERASTURY, A.; KNOBEL, M. Adolescência normal. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.
AMAZARRAY, Mayte Raya et al. Aprendiz versus trabalhador: adolescentes em processo de aprendizagem. Psic.: Teor. e Pesq., Brasíli. Set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 01 set de 2018.
BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as conseqüências humanas. 1ª ed.Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed.1999.

BAUMAN, Zygmunt. Os estranhos da era do consumo: do estado de bem estar à prisão. In: BAUMAN, Z. O mal estar da pós modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
BAUMAN, Zigmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2008.
BOCK, Ana Mercês Bahia. A adolescência como construção social: estudo sobre livros destinados a pais e educadores. Revista Psicologia Escolar e Educacional. 2007, Disponível em: Acesso em: 16 maio. 2018

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Assessoria de Comunicação Social. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Brasília: MEC, ACS, 2004.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social NOB/SUAS. Brasília, 2005.

BROIDE, Jorge. Adolescência e violência: criação de dispositivos clínicos no território conflagrado das periferias. Rev. psicol. polít., São Paulo, 2010 . Disponível em . Acesso em: 01 jul. 2018.

CALLIGARIS, Contardo. Crise do mercado ou crise do sujeito? São Paulo: Publifolha, 2002. (Folha explica).

CANCLINI, Néstor García. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

CECCARELLI, Paulo Roberto. Delinquência: resposta a um social patológico. Boletim de novidades da Livraria Pulsional. São Paulo: ano XIV, 145, maio, 2001. Disponível em: Acesso em: 20 jun. 2018.
CONTE, Marta; OLIVEIRA, Carmen Silveira de; HENN, Ronaldo César; WOLFF, Maria Palma. Consumismo, Uso de Drogas e Criminalidade: riscos e responsabilidades. Psicologia: ciência e profissão, mar, 2007.

FREIRE, Libny Silva. Nem luxo, nem lixo: Um olhar sobre o funk da ostentação. IX POSCOM, Rio de Janeiro, 2012.Disponivel em:< http://anais-comunicon2015.espm.br/GTs/GT5/18_GT05-LIBARDI.pdf> Acesso em 15 jun. 2017
HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Minidicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Elaborado no Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia e Banco de Dados da Língua Portuguesa S/C Ltda. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. PNAD Contínua 2016. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em . Acesso em 18 set.2018.

IPEA. Retrato das desigualdades de gênero e raça / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada ... [et al.]. - 4ª ed. - Brasília: Ipea, 2011

LEÓN, Oscar Dávila. Uma Revisão das Categorias de Adolescência e Juventude. In: GUIMARÃES, Maria Tereza Canezin & SOUSA, Sônia M. Gomes (Orgs.). Juventude e Contemporaneidade Desafios e Perspectivas. Brasilia: Secretaria Especial dos Direitos Humanos; Goiânia: Editora UFG: Cânone Editorial, 2009.
LIPOVETSKY, Gilles .A felicidade paradoxal: ensaios sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
LEVISKY, David Leo. Adolescência: pelos caminhos da violência: a psicanálise na prática social. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.
MALVASI, Paulo Artur. Entre a frieza, o cálculo e a "vida loka": violência e sofrimento no trajeto de um adolescente em cumprimento de medida socioeducativa. Saúde e Sociedade, v 20. São Paulo, 2011. Disponível em: < www.revistas.usp.br/sausoc/article/download/29780/31661> Acesso em: 07 jun. 2017.

MELLO, B. M; ASSIS, R. V. Convergências entre juventude, consumo e crime na juventude. Revista Eptic Online, 2014. Disponível em: http://www.seer.ufs.br/index.php/eptic/article/view/709. Acesso em: 09 jun.2018
MELLO, Silvia Leser. A violência urbana e a exclusão dos jovens. In: SAWAIA, Bader (Org.). As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes, 2002.
MOREIRA, Maria Ignez Costa. Psicologia da adolescência. Contribuições para um estado da arte. Interações.Universidade São Marcos São Paulo, Brasil, 2000.
SOARES, Janine Borges. A construção da responsabilidade penal do adolescente no Brasil: uma breve reflexão histórica. Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul, 2016. Disponível em: Acesso em: 09 maio.2018.
SAWAIA, Bader Burihan. O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In: SAWAIA, Bader (Org.) As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes, 2002.
SOARES, Luiz Eduardo. Juventude e Violência no Brasil Contemporâneo In: NOVAES, Regina; VANNUCHI, Paulo (Orgs.) Juventude e Sociedade: Trabalho, Educação, Cultura e Participação. São Paulo: Perceu Abramo, 2004.
WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da violência 2015: mortes matadas por arma de fogo. Brasília: Secretaria Geral da Presidência da República Secretaria Nacional de Juventude Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, 2015.
WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença. A perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.
Publicado
08-09-2020
Como Citar
ANDRADE, E. R. QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO: OS SENTIDOS DA OSTENTAÇÃO E O CONSUMO PARA ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 9, p. 581-597, 8 set. 2020.
Seção
Artigos de temática livre