ESTUDO SOBRE A PEDOFILIA E A PORNOGRAFIA INFANTIL: UMA VISÃO PSICANALÍTICA

  • Gabriela de Oliveira Araújo Pontificia Universidade Católica de Minas Gerais/Graduação
  • Paula Diniz Furtado
  • Arthur Miranda Perdigão Bello
Palavras-chave: Sexualidade, Perversão, Pedofilia, Psicanálise, Pornografia infantil

Resumo

O objetivo desse artigo é relacionar os conceitos de perversão e pedofilia com a pornografia infantil, a partir de referenciais teóricos psicanalíticos, sociais e jurídicos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, baseando-se na pesquisa teórica acerca da perversão, pedofilia e pornografia infantil e em entrevistas semiestruturadas realizadas com dois psicanalistas. Discutir sobre pedofilia na contemporaneidade demanda um entendimento da pornografia infantil, uma vez que a sexualidade moderna está intimamente ligada à estimulação pornográfica. Portanto, a investigação das possíveis relações entre estes temas tem relevância social considerando os crimes envolvidos nas práticas da pedofilia. 

Referências

ALVES, Karla Cristhina; SOUSA, Silas Prado de. A perversão sob a ótica da medicina legal. Reverso – Revista de Psicanálise. Belo Horizonte, v. 26, n. 51, p. 85-89, 2004.

BARBOSA, Marize Marta de Souza. Pedofilia: Crime ou Doença. Pernambuco. 2014.

CECCARELLI, Paulo Roberto. Potencialidades de perversão. Boletim de Novidades da Li-vraria Pulsional. São Paulo, ano XI, 113, 79-82, 1998.

CECCARELLI, Paulo Roberto. A perversão do outro lado do divã. In: PORTUGAL, Ana Maria et al. Destinos da Sexualidade. São Paulo, Casa do Psicólogo, p. 243-257, 2004.

DEMO, Pedro. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2000.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educação em Revista. Curitiba, n. 24, p. 213-225, 2004.

FELIPE, Jane. Afinal, quem é mesmo pedófilo? Cadernos Pagu. N. 26, p. 201-223, 2006.

FERRAZ, F. C. Perversão: 6. ed. São Paulo: Casapsi Livraria e Editora Ltda, 2015.

FREUD, Sigmund. Um caso de histeria e Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. Rio de Janeiro: Imago, 1972. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sig-mund Freud).

FREUD, Sigmund. Os instintos e suas vicissitudes (1915). In: ______. A história do movi-mento psicanalítico, artigos sobre metapsicologia e outros trabalhos (1914-1916). Rio de Ja-neiro: Imago, 1996. p. 123-144. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, 14).

LANDINI, Tatiana Savoia. Pedófilo, quem és? A pedofilia na mídia impressa. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, V. 19, n. 2, p. 273-283, 2003.

LOWENKRON, Laura. Da materialidade dos corpos a materialidade do crime: a materializa-ção da pornografia infantil em investigações policiais. MANA. Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, 2013.

MARSDEN, Vanessa Fabiane Machado Gomes. Pedofilia, transtorno bipolar e dependência de álcool e opioides. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. V. 58, n. 2, p. 119-121, 2009.

ROCHA, Décio; DAHER, Maria Del Carmen; SANT'ANNA, Vera Lúcia de Albuquerque. A entrevista em situação de pesquisa acadêmica: reflexões numa perspectiva discursiva. Perió-dico Polifonia. V. 8, n. 8, 2004.

SANTOS, Adelson Bruno dos Reis; BESSET, Vera Lopes. A perversão, o desejo e o gozo: articulações possíveis. Estudos de Psicologia. Campinas, V. 30, n. 3, p. 405-413, 2013.

SEQUEIRA, Vania Conselheiro. Pedro e o lobo: o criminoso perverso e a perversão social. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Brasília, v. 25, n. 2, p. 221-228, 2009.

LISBOA, Maria Da Graça Blacene. Pedofilia: um olhar interdisciplinar. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Criminais) - Programa De Pós-Graduação Em Ciências Criminais, Faculdade de Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Publicado
07-09-2020
Como Citar
DE OLIVEIRA ARAÚJO, G.; DINIZ FURTADO, P.; MIRANDA PERDIGÃO BELLO, A. ESTUDO SOBRE A PEDOFILIA E A PORNOGRAFIA INFANTIL: UMA VISÃO PSICANALÍTICA. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 9, p. 328-344, 7 set. 2020.
Seção
Artigos de temática livre