POR TRÁS DA CENA DO ACOLHIMENTO: O QUE É DITO SOBRE AS FAMÍLIAS E SEU IMPACTO NO CUIDADO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

  • Caroline Souza PUC Minas
  • Larissa Jandyra Ramos Paula Cagnani PUC Minas
  • Larissa Jandyra Ramos Paula Cagnani PUC Minas
Palavras-chave: Psicanálise, Acolhimento institucional, Bebês, Cuidadores, Crianças

Resumo

O acolhimento institucional é uma das medidas de proteção previstas pela Lei Federal nº 8069/1990 e aplicáveis a crianças e adolescentes quando esgotadas todas as possibilidades de manutenção da criança e do adolescente em sua família, sempre que seus direitos reconhecidos forem ameaçados ou violados, aplicando-se assim uma medida de proteção. Saindo de uma antiga configuração institucional, com o reordenamento da Política de Assistência Social, estes espaços atualmente possuem números reduzidos de acolhidos e tem como principal objetivo reduzir os impactos do acolhimento sofridos pelas crianças e adolescentes. Este texto trouxe reflexões sobre o trabalho desenvolvido nestes serviços de acolhimento, especificamente, sobre a conduta dos profissionais e o impacto de suas ações de cuidado na vida de bebês, crianças e adolescentes acolhidos. Os dados deste estudo foram analisados à luz da teoria psicanalítica, colhidos e descritos a partir da vivência profissional das autoras, que atuaram diretamente nos serviços de acolhimento e também como supervisoras das equipes. Como resultado deste estudo, destacamos que as posturas dos profissionais podem impactar tanto no efeito do trabalho social com as famílias como na constituição subjetiva dos acolhidos.

Biografia do Autor

Larissa Jandyra Ramos Paula Cagnani, PUC Minas

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2009) e mestrado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2015). Atualmente é coordenadora da alta complexidade da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas (MG) e psicóloga - Clínica de Psicologia - Espaço de Referência em Psicologia. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Tratamento e Prevenção Psicológica. Pesquisadora IRDI (Indicadores Clínicos de Referências ao Desenvolvimento Infantil). Autora do livro: O trabalho do psicólogo no abrigo institucional

Larissa Jandyra Ramos Paula Cagnani, PUC Minas

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2009) e mestrado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2015). Atualmente é coordenadora da alta complexidade da Prefeitura Municipal de Poços de Caldas (MG) e psicóloga - Clínica de Psicologia - Espaço de Referência em Psicologia. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Tratamento e Prevenção Psicológica. Pesquisadora IRDI (Indicadores Clínicos de Referências ao Desenvolvimento Infantil). Autora do livro: O trabalho do psicólogo no abrigo institucional

Referências

AGUIAR, Gabriela Medeiros Rodrigues; MARTINS, Karla Patrícia Holanda; ROSA, Miriam Debieux. Criança, família e acolhimento institucional: entre a norma e a constituição psíquica (2019). Configurações: Revista de Sociologia. v. 23, p. 90-104, 28 jun. 2019. Disponível em https://doi.org/10.4000/configuracoes.6900.

BENJAMIN, Jéssica. Beyond doer and fone do: Recognition theory, intersubjectivity and third. New York: Routledge, 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei n° 8.068 de 13 de julho de 1990. Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Orientações Técnicas: Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes. Brasília, 2009

CAGNANI, Larissa Jandyra Ramos Paula. O trabalho do psicólogo no abrigo institucional. São Paulo: Zagodoni, 2016.

FREUD, Sigmund. (1893-1895). Estudos sobre a histeria. In: Obras completas. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

JERUSALINKY, Julieta. Enquanto o futuro não vem: psicanálise na clínica interdisciplinar com bebês. Salvador: Álgama, 2002.

KUPFER, M. M; BERNARDINO, L. M. F; MARIOTTO, R.M.M. De bebê a sujeito: a Metodologia IRDI nas creches. São Paulo: Escuta/Fapesp, 2014.

LACAN, Jacques. (1949). O estádio do espelho como formador da função do eu. In: Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LACAN, Jacques. O seminário. Livro 1. Os escritos técnicos de Freud. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

LACAN, Jacques. (1955). O seminário. Livro 2. O eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

LACAN, Jacques. (1955-1956). O seminário. Livro 3. As psicoses. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

MARCÍLIO, Maria Luiza. História Social da criança abandonada. São Paulo: Hucitec, 2006.

MAGALHAES, Celina Maria Colino; COSTA, Lígia Negrão; CAVALCANTE, Lília Iêda Chaves. Percepção de educadores de abrigo: o seu trabalho e a criança institucionalizada. Rev. bras. crescimento desenvolv. hum., São Paulo , v. 21, n. 3, p. 818-831, 2011 . Disponível em . acessos em 14 fev. 2020.

MARIM, Isabel da Silva Kahn. Febem, família e identidade: lugar do outro. São Paulo: Editora Escuta, 1999.

MARIOTO, R.M.M. Cuidar, educar e prevenir: as funções da creche na subjetivação de bebês. São Paulo: Escuta, 2009.

ROSA, Miriam Debieux. Uma escuta psicanalítica das vidas secas. Textura: Revista de Psicanálise, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 42-46, 2002.

SOUZA. Caroline. A experiência do cuidado em um serviço de acolhimento institucional. Curitiba: CRV, 2019.
Publicado
13-03-2021
Como Citar
SOUZA, C.; JANDYRA RAMOS PAULA CAGNANI, L.; JANDYRA RAMOS PAULA CAGNANI, L. POR TRÁS DA CENA DO ACOLHIMENTO: O QUE É DITO SOBRE AS FAMÍLIAS E SEU IMPACTO NO CUIDADO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 10, p. 440-454, 13 mar. 2021.
Seção
Artigos de temática livre