DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS DAS MULHERES

  • Géssica Claudino Alves
  • Maria Madalena Silva de Assunção
Palavras-chave: Direitos sexuais, Direitos reprodutivos, Mulheres, Gênero

Resumo

A presente pesquisa propôs investigar quais são os posicionamentos de grupos formados por psicólogas (os) sobre os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres e descriminalização do aborto no Brasil, a saber: Conselho Federal de Psicologia, Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos e Movimento Psicólogos em Ação. Como objetivos específicos, pretendeu-se analisar as opiniões das (os) psicólogas (os) destes grupos sobre a temática, avaliar possíveis impactos desses posicionamentos na prática profissional, traçar os possíveis avanços e retrocessos no campo dos direitos sexuais e reprodutivos da mulher no Brasil, apontar as contribuições da Psicologia para o campo e, por fim, e não menos importante, suscitar reflexões sobre uma atuação profissional que seja capaz de convergir aspectos teóricos-técnicos com um compromisso ético-político da profissão. A pesquisa dispôs de um caráter qualitativo, utilizando a Análise documental como estratégia metodológica dos materiais disponibilizados pelos grupos por meio de sites e redes sociais. Seus resultados apontaram para importantes divergências entre os grupos pesquisados, que podem ser compreendidas sobretudo pelos atravessamentos religiosos, políticos e ideológicos que os perpassam. 

Referências

ABORTO = Pena de morte legalizada. [S.l.]: Movimento Psicólogos em Ação, 12 jul. 2019. 1 vídeo (2 min). Publicado por Rozangela Justino. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DsUFNndVjjU&feature=youtu.be&app=desktop. Acesso em: 05 set. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinhei-ro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BBC NEWS BRASIL. Quais os próximos passos na disputa sobre o aborto no STF, 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45088795. Acesso em: 23 ago 2018.

BOCK, Ana Mercês Bahia et al. Sílvia Lane e o Projeto do “Compromisso Social da Psicolo-gia”, 2007. Psicologia & Sociedade, v. 19, n. 2, p. 46-56. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=309326391017. Acesso em: 16 jul. 2019.

BOITEUX, Luciana et al. Arguição de descumprimento de preceito fundamental, 2017. Disponível em: https://www.conjur.com.br/dl/psol-stf-descriminalize-aborto-meses.pdf. Aces-so em: 20 fev. 2019.

BRASIL. Código Penal (1940): decreto de lei n. 2.848 de 07-12-1940 alterado pela lei nº. 9.777 em 26-12-98. Rio de Janeiro, 1 jan. 1942. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848.htm. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado De-mocrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais [...]. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, ano 126, n. 191-A, 5 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/DOUconstituicao88.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticon-cepcionais, 2006. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/direitos_sexuais_reprodutivos_metodos_anticoncepcionais.pdf. Acesso em: 3 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Pro-gramáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao abortamento: norma técnica. 2 ed. Brasí-lia: Ministério da Saúde, 2011b. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_abortamento_norma_tecnica_2ed.pdf. Acesso em: 29 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília: Ministério da Saúde, 2010a. Disponível em: bvsms.saude.gov.br › bvs › publicacoes › saude_sexual_saude_reprodutiva. Acesso em: 25 ago. 2019.

CECATTI, José Guilherme et al. Aborto no Brasil: um enfoque demográfico. Revista Brasi-leira de Ginecologia e Obstetrícia, São Paulo, v. 32, n. 3, p. 105-111. Disponível em: reposi-torio.unicamp.br › bitstream › REPOSIP › pmed_20512256. Acesso em: 06 set. 2019.
CFP defende a descriminalização e legalização do aborto no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 03 ago. 2018a. 1 vídeo (20 min). Publicado por Conselho Federal de Psicologia. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zsm6Jw8dROo&t=317s. Acesso em: 25 set. 2019.

CONGRESSO MPA: Apartidarismo, Ética e Cientificidade. São Paulo: Movimento Psicólo-gos em Ação, 13 abr. 2019. 1 vídeo (315 min). Publicado por Claudio R. Garcia. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Mj4gm1MvPe8. Acesso em: 26 set. 2019.
CONGRESSO MPA: Apartidarismo, Ética e Cientificidade. São Paulo: Movimento Psicólo-gos em Ação, 13 abr. 2019. 1 vídeo (315 min). Publicado por Claudio R. Garcia. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Mj4gm1MvPe8. Acesso em: 26 set. 2019.
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Argumentos para descriminalizar e legalizar o aborto no Brasil, 2018c. Disponível em: https://site.cfp.org.br/descriminalizar-e-legalizar-aborto-brasil/. Acesso em: 22 mar. 2019.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do Psicólogo. Brasília: CPF, 2014.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Não há relação unicausal entre aborto e sa-úde mental, 2018b. Disponível em: https://site.cfp.org.br/cfp-reafirma-impossibilidade-de-estabelecimento-de-relacao-unicausal-entre-aborto-e-saude-mental-de-mulheres/. Acesso em: 27 ago. 2019.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. VIII CNP Psicologia, Ética e Cidadania: Práticas Profissionais a Serviço da Garantia de Direitos. Brasília-DF, 2013b. Disponível em: https://site.cfp.org.br/publicacao/viii-cnp-psicologia-etica-e-cidadania-praticas-profissionais-a-servico-da-garantia-de-direitos/. Acesso em: 27 set. 2019.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DA BAHIA. Minuta Crepop Bahia, 2019. Disponível em: https://www.crp03.org.br/wp-content/uploads/2015/08/Minuta-DSDR.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO PARANÁ. Psicologia e direitos sexuais e reprodutivos: a descriminalização do aborto e as políticas públicas de saúde, 2018. Disponí-vel em: https://crppr.org.br/psicologia-e-direitos-sexuais-e-reprodutivos-a-descriminalizacao-do-aborto-e-as-politicas-publicas-de-saude/. Acesso em: 08 set. 2019.

CORPO DE PSICÓLOGOS E PSIQUIATRAS CRISTÃOS. Nota Pública do CPPC: So-mos a favor da vida!, 2018. Disponível em: https://cppc.org.br/noticias/nota-publica-do-cppc.html. Acesso em: 29 set. 2019.

DINIZ, Debora; MEDEIROS, Marcelo. Itinerários e métodos do aborto ilegal em cinco capi-tais brasileiras. Ciência & Saúde Coletiva, 2012, v. 17, n. 7, p. 1671-1681. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2012.v17n7/1671-1681/. Acesso em: 19 fev. 2019.
DINIZ, Debora; MEDEIROS, Marcelo; MADEIRO, Alberto. Pesquisa Nacional de aborto 2016. Ciência & Saúde Coletiva, 2017, v. 22, n. 2, p. 653-660. Disponível em: www.scielo.br › scielo. Acesso em: 07 set. 2019.

FARIA, Almir Linhares de. FAMÍLIA, CRISE E VALORES, por Almir Linhares de Fa-ria, 2018. Disponível em: https://cppc.org.br/noticias/familia-crise-e-valores-por-almir-linhares-de-faria.html. Acesso em: 26 set. 2019.

FONSECA, Cláudia. Ser mulher, mãe e pobre. In: PRIORE, Mary Del. (Org.). BASSANEZI, Carla. (Coord. de textos). História das Mulheres no Brasil. 7. ed. São Paulo: Contexto, 1997. p. 510-553.

FREIRE, José Célio. A Psicologia a Serviço do Outro: Ética e Cidadania na Prática Psicológi-ca. Psicologia, Ciência e Profissão, 2003, v. 23, n. 4, p. 12-15. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932003000400003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 06 out. 2019.

GONÇALVES, Letícia; SPOSITO, Sandra Elena. A posição do Conselho Federal de Psico-logia sobre a ADPF-442 em audiência no Supremo Tribunal Federal. In: GONZAGA, Paula Rita Bacellar; GONÇALVES, Letícia; MAYORGA, Claudia (Orgs.). Práticas acadêmicas e políticas sobre o aborto. Belo Horizonte: CRP04, 2019. p. 98-106.

JUSTINO, Rozangela. Moção de repúdio ao Supremo Tribunal Federal, contra as razões da ADPF 442, desencadeada pelo PSOL, com o apoio do Conselho Federal de Psicologia, para descriminalizar o aborto até a décima segunda semana de gestação, 2018. Disponível em: https://www.semprefamilia.com.br/blog-da-vida/wp-content/uploads/sites/18/2018/08/Mo%C3%A7%C3%A3o-de-Rep%C3%BAdio-%C3%A0-ADPF-442-Movimento-Psic%C3%B3logos-em-A%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 23 fev. 2019.

LEITE, Letícia. O que são direitos sexuais e reprodutivos? In: RAMOS, Marcelo Maciel; NICOLI, Pedro Augusto Gravatá; BRENER, Paula Rocha Gouvêa (Orgs.). Gênero, sexuali-dade e direito: uma introdução. Belo Horizonte: Initia Via, 2016. p. 206-219.

LISBOA, Ageu Heringer. O amor dos homens nas sociedades, 2018. Disponível em: https://cppc.org.br/noticias/o-amor-dos-homens-na-sociedades-por-ageu-heringer-lisboa.html. Acesso em: 08 out. 2019.

NOYA, Ana; LEAL, Isabel Pereira. Interrupção voluntária da gravidez: Que respostas emoci-onais? Que discurso psicológico? Análise Psicológica, Lisboa, v.3, p. 431-439, 1998. Disponí-vel em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aps/v16n3/v16n3a09.pdf. Acesso em: 02 set. 2019.

OLIVEIRA, Guacira Cesar de. Duas décadas de luta feminista ani-racista pelos direitos sexu-ais e reprodutivos. In: OLIVEIRA, Guacira César de; CAMPOS, Carmen Hein de. (Orgs.). Saúde Reprodutiva das Mulheres: direitos, desafios e políticas públicas. Brasília: CFEMEA: IWHC, Fundação H.Boll, Fundação Ford, 2009. p. 11-38. Disponível em:http://www.cfemea.org.br/images/stories/publicacoes/colecao20anos_saudereprodutivadasmulheres.pdf. Acesso em: 09 abr. 2019.

PHILIPPI, Jane Maria de Souza. Políticas de saúde da mulher no Brasil: História e evolução. In: RIAL, Carmen; PEDRO, Joana Maria; AREND, Silvia Maria Fávero (Orgs.). Diversida-des: Dimensões de Gênero e Sexualidade. Ilha de Santa Catarina: Mulheres, 2010. p. 125-138.

PINTO, Geise Pinheiro; BORGES, Larissa Amorim; SANTOS, Suely Virgínia. Aborto: O Owo Foro Adobe das políticas públicas para as mulheres. In: GONZAGA, Paula Rita Bacel-lar; GONÇALVES, Letícia; MAYORGA, Claudia (Orgs.). Práticas acadêmicas e políticas sobre o aborto. Belo Horizonte: CRP04, 2019.

PRODANOV, Cléber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho cien-tífico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Fee-vale, 2013. Disponível em: http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/E-book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf. Acesso em: 28 maio. 2019.

ROMIO, Caroline Matos et al. Saúde mental das mulheres e aborto induzido no Brasil. Psico-logia Revista, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 61-81, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/psicorevista/article/view/24229/17439. Acesso em: 17 set. 2019.

ROSATO, Cássia Maria. Psicologia e Direitos Humanos: cursos e percursos comuns. Psicolo-gia Revista, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 11-27, 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br › index.php › psicorevista › article › view. Acesso em: 09 out. 2019.

SAWAIA, Bader Burihan. O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In: SAWAIA, Bader Burihan (Org.). As artimanhas da exclusão: Análise psicossocial e ética da desigualdade social. Rio de Janeiro: Vozes Ltda., 2001. Cap. 6, p. 97-118.

SILVEIRA, Denise Tolfo; CÓRDOVA, Fernanda Peixoto. A pesquisa científica. In: GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (Org.). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009. Unidade 2, p. 31-42. Disponível em: www.ufrgs.br › cursopgdr › downloadsSerie › derad005. Acesso em: 20 mar. 2019.

TORRÃO FILHO, Amílcar. Uma questão de gênero: onde o masculino e o feminino se cru-zam. Cadernos Pagu, 2005, v. 24, p. 127-152. Disponível em: www.scielo.br › scielo. Acesso em: 03 ago. 2019.

WONDRACEK, Karin. Mal-estar na sexualidade, 2018. Disponível em: https://cppc.org.br/noticias/mal-estar-na-sexualidade-por-karin-wondracek.html. Acesso em: 07 out. 2019.
Publicado
12-03-2021
Como Citar
ALVES, G. C.; ASSUNÇÃO, M. M. S. DE. DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS DAS MULHERES. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 10, p. 250-270, 12 mar. 2021.
Seção
Artigos de temática livre