TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL COMO PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PARA COMPORTAMENTOS FINANCEIROS DISFUNCIONAIS

  • Maria Helena Manso
  • Luiz Antonio Bernardes
Palavras-chave: TCC, Distorções cognitivas, Terapia Cognitivo-comportamental, Terapia Financeira, Erros cognitivos

Resumo

O superendividamento dos consumidores tem se constituído como um fenômeno social relevante por sua gravidade e crescimento. Muitos países já contam com legislações específicas para seu tratamento, porém ainda há a necessidade da articulação do conhecimento científico produzido em diferentes disciplinas para seu entendimento. Embora os comportamentos financeiros conturbados permeiem nossa cultura, o campo da Psicologia ainda não acompanha essa realidade. Entende-se comportamento financeiro disfuncional, como a forma de lidar com os recursos financeiros, cujas consequências são prejudiciais, mas que persistem mesmo assim. De acordo com alguns autores, dentre eles Kahneman (2012), esta disfuncionalidade persiste, mesmo trazendo prejuízos, porque o indivíduo estaria agindo, na maior parte do seu tempo, no seu modo automático. A proposta deste estudo foi produzir uma revisão narrativa de publicações feitas entre os anos 2000 a 2018 para entender o problema do endividamento a partir de como a psicologia econômica e da Economia comportamental tratam das deficiências nas tomadas das decisões devidos aos erros cognitivos e assim, avaliar se a TCC apresentaria ferramentas de intervenções que seriam eficazes neste tipo de disfuncionalidade comportamental. Foi possível constatar que sim: a TCC pode oferecer subsídios para o desenvolvimento de comportamentos financeiros mais funcionais. De acordo com o estudo feito, essa disfuncionalidade é, na maioria das vezes, causada por distorções cognitivas, o que leva a concluir que a reestruturação cognitiva, que é o objetivo final da TCC, pode ser uma intervenção viável.

Referências

ARTIFON, Simone; PIVA, Maristela. Endividamento nos dias atuais. Fatores psicológicos implicados neste processo. Disponível em . Acesso em 27 de junho de 2018.

BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Lisboa. Edições 70. 2010.

BAUMAN, Z. Vida para consumo. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro. Jorge Zahar. 2008.

BECK, J. S. Terapia cognitiva: teoria e prática. (Trad. S. Costa). Porto Alegre: Artes Médi-cas. 1997.

BRANDTNER, Maríndia. Avaliação de Processo-Resultados de Terapia Cognitivo Com-portamental para compras compulsivas.2012. Dissertação (Mestrado em psicologia). Uni-versidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2012. Disponível em . Acesso em08 de outubro de 2018.

FABER, R. J.; O’GUINN, T. C. A clinical screener for compulsive buying. Journal of Con-sumer Research, 19, 459- 469. 1992.

FERREIRA, Vera Rita de Mello. Psicologia econômica.Origens, modelos, propostas. 2007. Tese (Doutorado em Psicologia Social). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponí-vel. Acesso em 20 de agosto de 2018.

HENNIGEN, Inês; GEHLEN, Gabriela. Com a “Vida” no vermelho: Psicologia e superendi-vidamento do consumidor. Pesquisas e práticas psicossociais, São João Del-Rei, v.7, n.2,p.290-298, jul/dez 2012. Disponível em . Aces-so em 26 de junho de 2018.

KAHNEMAN, Daniel; TVERSKY, Amos. Prospect Theory: an analysis of decision under risk. Econométrica, 47 (2), 1979.

KAHNEMAN, Daniel. Rápido e Devagar: duas formas de pensar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

KNAPP, Paulo. Terapia Cognitivo-Comportamental na prática psiquiátrica. Artmed, Por-to Alegre. 2004.

KLONTZ Brad; BRITT Sonya. L. Financial Therapy: theory, Research, and practice. Sprin-ger. EUA. 2014.

KLONTZ Brad; KLONTZ Ted. A mente acima do dinheiro: o impacto das emoções em sua vida financeira. Novo Século. São Paulo. 2017.

LEAHY, R.L. (org.). Terapia Cognitiva Contemporânea: Teoria, pesquisa e prática. Porto Alegre: Artmed. 2010.

LOIOLA, L.D.P. O estresse financeiro em dois grupos de profissionais brasileiros. 2014. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas). Fundação Getúlio Vargas, São Paulo. 2014.Disponível em . Acesso em 20 de agosto de 2018.

MADANES, C; MADANES, C. O significado secreto do dinheiro. Campinas, SP: Editorial PSY, 1997.

MOSCA, Aquiles. Finanças comportamentais: gerencie suas emoções e alcance sucesso nos investimentos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

ROTHER, Edna Terezinha. Revisão Sistemática X Revisão Narrativa. Acta Paulista de En-fermagem, vol. 20, núm. 2, abril-junho, 2007, pp. v-vi, Escola Paulista de Enfermagem SP. Disponível em . Acesso em 20 de agosto de 2018.

TOLOTTI, M. Dinheiro, consumo e estilo. Seu Estilo. Banco do Brasil, Brasil, p.3, ano 1, n7, p.1-10, nov. 2007.

Relatório sobre desenvolvimento mundial de 2015. Banco Mundial. Disponível em: www.worldbank.org.

VON NEUMANN, J.; MORGENSTERN, O. Theory of games and economic behavior. Princeton University Press, 1944.
Publicado
13-03-2021
Como Citar
MANSO, M. H.; BERNARDES, L. A. TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL COMO PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PARA COMPORTAMENTOS FINANCEIROS DISFUNCIONAIS. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 10, p. 476-487, 13 mar. 2021.
Seção
Artigos de temática livre