App e parques lineares: adoção de conceito ou arquétipo? - DOI: 10.5752/P.2316-1752.2013v20n27p78

  • Denio Munia Benfatti
  • Jonathas Magalhães Pereira da Silva
Palavras-chave: sistema de espaços livres, megalópole, gestão urbana, paisagem, ambiente.

Resumo

O recorte territorial de estudo é a Região Metropolitana deCampinas, com destaque para o Município de Campinas.Analisam-se os investimentos públicos planejados sobre o sistemade espaços livres de edificação, considerando a manutenção,recuperação e preservação do território. Pela análisedas legislações de âmbitos federal e municipal, discutem-seas relações espaciais entre as APP (áreas de preservação permanente)urbanas e os demais elementos morfológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACSELRAD, H. et al. O que é justiça ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

BENFATTI, D.; QUEIROGA, E.; SILVA, J. P. M. Transformações da metrópole contemporânea: novas dinâmicas espaciais, esfera da vida pública e sistema de espaços livres. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 12, n. 1, 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Decreto n. 23.793, de 23 de janeiro de 1934. Brasília: Presidência da República, 2012.

BRASIL. Lei Federal 4.771, de 15 de setembro de 1965. Código Florestal Brasileiro. Brasília: Presidência da República, 1965.

BRASIL. Lei Federal 6.766/79. Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, 1979.

BRASIL. Lei Federal 7.511, de 7 de julho de 1986. Altera os dispositivos da Lei 4771/65. Brasília: Congresso Nacional, 1986.

BRASIL. Lei Federal 7.803, de 18 de junho de 1989. Altera os dispositivos da Lei 4771/65. Brasília: Congresso Nacional, 1989.

BRASIL. Lei Federal 10.257, de 10 de julho de 2001a. Estatuto da Cidade: estabelece diretrizes gerais da política urbana. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2001a.

BRASIL. Lei Federal 10.932, de 3 de agosto de 2004. Altera o art. 4º da Lei nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979, que “dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências”. Brasília: Presidência da República, Portal da Legislação, 2004. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.932.htm>. Acesso em: 27 mar. 2014.

BRASIL. Lei Federal 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis 6.938, de 31 de agosto de 1981; 9.393, de 19 de dezembro de 1996; e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis 4.771, de 15 de setembro de 1965; e 7.754, de 14 de abril de 1989; e a Medida Provisória 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília: Senado, 2012.

BRASIL. Medida Provisória 2.166-67, de 2001b. Altera os arts. 1º, 4º, 14, 16 e 44, e acresce dispositivos à Lei 4.771, de 15 de setembro de 1965, que institui o Código Florestal, bem como altera o art. 10 da Lei 9.393, de 19 de dezembro de 1996, que dispõe sobre o Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – ITR. Brasília: Senado, 2001b.

BRASIL. Resolução Conama 369, de 28 de março de 2006. Dispõe sobre os casos excepcionais de utilidade pública, interesse social ou baixo impacto ambiental. Brasília: Conama, 2006.

CAMPINAS. Caderno de subsídios do Plano Diretor: capítulo V. Campinas: Prefeitura Municipal, 2006a.

CAMPINAS. Lei Complementar n. 15, de 27 de dezembro de 2006. Dispõe sobre o Plano Diretor. Campinas: Câmara Municipal, 2006b.

CAMPINAS. Projeto de Lei Complementar n. 1/2011. Dispõe sobre os Planos Locais de Gestão da Macrozona: MZ 2; MZ 5; MZ 8 e MZ 9. Campinas: Câmara Municipal, 2011.

FERNANDES, E. Direito e governança: tendências da gestão urbano-ambiental e as reformas do setor público. Belo Horizonte. Escola de Governo João Pinheiro, 2000.

MACEDO, Silvio. Paisagem, urbanização e litoral: do éden à cidade. 1993. Tese (Livre-docência) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

MELLO, Sandra Soares de. Na beira do rio tem uma cidade: urbanidade e valorização dos corpos d’água. 2008. 348 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

MORIN, E. O método 1: a natureza da natureza. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2008.

RELATÓRIO QUAPÁ SEL – Projeto Temático. Os sistemas de espaços livres e a constituição da esfera pública contemporânea no Brasil. São Paulo: Coleção Quapá, 2010.

SECCHI, B. Primeira lição de urbanismo. São Paulo: Perspectiva, 2006.

SILVA, Jonathas Magalhães Pereira da. Esfera de vida pública e sua relação com a esfera privada na qualificação dos sistemas de espaços livres de edificação. In: TÂNGARI, Vera R.; ANDRADE, Rubens de; SCHLEE, Mônica B. (Org.). Sistemas de espaços livres: o cotidiano, apropriações e ausências. 1. ed. v. 1. Rio de Janeiro: Proarq UFRJ, 2009, p. 114-124.

SILVA, Jonathas M. P. . Sistema de Espaços Livres na Região Metropolitana de Campinas: análise das legislações Municipais. In: Campos, A.C A; QUEIROGA, E. F.; GALENDER, F.; DEGREAS, H. N.; AKAMINE, R.; MACEDO, S. S. ; CUSTÓDIO, V.. (Org.). Sistema de Espaços Livres: conceitos, conflitos e paisagens. São Paulo: FAUUSP, 2011, v. 1, p. 57-66.

SILVA, Jonathas Magalhães Pereira da; MAGALHÃES, Natália Cristina Trípoli. Contradições da Região Metropolitana de Campinas. Delimitação das ZEIS e a localização dos investimentos públicos em habitação de interesse social. Arquitextos, São Paulo, a. 14, n. 158.00, Vitruvius, ago. 2013. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/14.158/4821>. Acesso em: jan. 2014.

Publicado
12-12-2013