O “ENSINO ESPECIAL DA HYGIENE DA BOCCA”:

PROPOSTAS HIGIENISTAS PARA A EDUCAÇÃO PARAENSE NA SEGUNDA DÉCADA DO SÉCULO XX

  • Marcelino Carmo de Lima Universidade Federal do Pará - UFPA
Palavras-chave: discursos higienistas, cirurgiões dentistas, educação, Pará

Resumo

O propósito deste artigo é analisar o caráter higienista presente em discursos de cirurgiões dentistas veiculados em periódicos e jornais na segunda década do século XX, em Belém do Pará. Nesse momento, o movimento higienista, surgido na Europa, foi difundido por profissionais cirurgiões dentistas na capital paraense. Foram encontrados três artigos publicados na imprensa local no período investigado, mais precisamente, no jornal Estado do Pará e no periódico educacional O Ensino. Para análise desses artigos, consideramos importantes as reflexões teórico metodológicas de Foucault sobre análise do discurso. Constatou-se que os discursos dos cirurgiões dentistas, no que diz respeito ao higienismo, estiveram relacionados com a proposta de intervenção na prática educacional nas escolas públicas de Belém, nesse período. Constatou-se ainda que há a presença do caráter assistencialista e caridoso tanto nas propostas quanto nas práticas detectadas, assim como há indícios de que os cuidados bucais sugeridos pelos cirurgiões dentistas para as escolas, tenham se iniciado com a Clínica de Assistência Dentária, em 1915, a qual era vinculada à Escola Livre de Odontologia do Pará, criada em 1914.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelino Carmo de Lima, Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutor e Mestre em Educação em Ciências, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas (PPGECM), da Universidade Federal do Pará (UFPA). Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciências Naturais/Biologia, pela Universidade do Estado do Pará (UEPA). Pesquisador do Grupo de Filosofia e História da Ciência e Educação na Amazônia (GFHCE), do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI), Universidade Federal do Pará. Belém, Pará, Brasil.

Referências

ALVES, J. J. A. Ciência Pasteuriana e o projeto dominante de higiene e modernização na Primeira República. In.: DIAS, André Luís Mattedi. et al (Orgs.). Perspectivas em Epistemologia e História das Ciências. Programa Centro de Estudos Avançados, UEFS, UFBA, 1997.
CAMPOS, A. Noções geraes de Hygiene. Belém: Editora Livraria Escolar, 1912.
DAOU, A. M. A Belle-Époque Amazônica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2004.
DIAS, E. M. A ilusão do Fausto – Manaus 1890-1920. 2ª edição, Manaus: Editora Valer, 2007.
ESTADO DO PARÁ. Edição de segunda-feira 7 de junho de 1915.
ESTADO DO PARÁ. Edição de sexta-feira, 24 de dezembro de 1915.
FERREIRA, A. G. Higiene e controle médico da infância e da escola. Cad. Cedes, Campinas, v. 23, n.59, p. 9-24, abril 2003. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/ccedes/a/jrskPyMrLQhhXvb7cjdkkSP/?format=pdf >. Acesso em: 12 de março de 2021.
FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. 14ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.
LIMA, M. C. A institucionalização do ensino odontológico na Escola Livre de Odontologia do Pará: dos “sacamuelas” aos cientificistas (1911-1920). Dissertação (Mestrado). – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação em Ciências e Matemáticas, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Belém, 2016, pp. 97.
SILVA, A. M. Ensino especial da higiene da boca. In.: ESTADO DO PARÁ, Belém, edição de quarta-feira, 12 de abril de 1911.
MARTINO, L. V. S.; BOTAZZO, C; ZILBOVICIUS, C. Os caminhos públicos da odontologia paulista no início do século XX. Cadernos de História da Ciência – Instituto Butantan – vol. V (1), jan-jul 2010. Disponível em:< https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/his-24675 >. Acesso em: 3 de dezembro de 2019.
MOTT, M..; ALVES, O.; MUNIZ, M.; MARTINO, L.; SANTOS, A.; MAESTRINI, K. ‘Moças e senhoras dentistas’: formação, titulação e mercado de trabalho nas primeiras décadas da República. História, Ciências, Saúde –Manguinhos, Rio de Janeiro, v.15, Supl., p.97-116, jun. 2008. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/hcsm/a/nsTwdxBB5VFy9vmwbYQYHwP/?lang=pt>.Acesso em: 23 de fevereiro de 2020.
MUNIZ, J. Higiene Oral: a árvore de Natal da Sociedade Dentária do Pará às criancinhas indigentes de Belém. In.: ESTADO DO PARÁ. Belém, edição de sábado 7 de agosto de 1915.
MUNIZ, J. A Higiene quotidiana da boca: a sua importância profilática nos casos de epidemia. O Ensino, n. 13 e 14, vol. 1, ago.-set., 1919.
NORTE ODONTOLÓGICO. Revista Trimensal. Redatores: Alberto de Moura Pereira, Carvalho Lima e Britto Pontes. Belém - Pará, vol. 1, março 1917.
REZENDE, J. M. À sombra do plátano: crônicas de história da medicina. São Paulo: EditoraUnifesp, 2009. Breve história da anestesia geral. pp. 103-109. ISBN 978-85-61673-63-5. Available from SciELO Books . acesso em: 18 de junho de 2019.
SARGES, Maria de Nazaré. Belém: riquezas produzindo a Belle Époque (1870-1912). 2ª ed. – Belém: Paka-Tatu, 2004.
SODRÉ, L. Mensagem apresentada ao Congresso Legislativo do Estado do Pará em sessão solene de abertura da 2ª reunião da sua 10ª legislatura a 7 de setembro de 1919. Belém: Typographia da Imprensa Oficial do Estado do Pará, 1919.
SCHWARCZ, L.; STARLING, H. Brasil: uma biografia. 1ª ed. – São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
SCHWARCZ, L.; STARLING, H. A bailarina da morte: a gripe espanhola no Brasil. 1ª ed. - São Paulo: Companhia das Letras, 2020.
STEPHANOU, M. Discursos médicos e a educação sanitária na escola brasileira. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (orgs.). Histórias e memórias da educação no Brasil, Vol. III: século XX. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
ALGO SOBRE CARIES Y PERIODONTITIS. 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 julho de 2021.
Publicado
14-07-2023
Como Citar
LIMA, M. C. DE. O “ENSINO ESPECIAL DA HYGIENE DA BOCCA”:. Cadernos de História, v. 24, n. 40, p. 101-117, 14 jul. 2023.
Seção
Temática Livre - Artigos