Os frontispícios na arquitetura religiosa em Minas Gerais

  • Ivo Porto de Menezes

Resumo

A composição das fachadas das principais igrejas construídas em Minas Gerais no século XVIII decorria da disposição dos elementos seus componentes, ou seja, torres e frontispício. Na planta, começava a busca de uma melhor composição. O frontispício, como elemento principal, deveria ser bem proporcionado. A ocorrência de modificações desses frontispícios de igrejas mineiras é o objeto deste trabalho, associando-se, na descrição desses processos, constatações de ocorridos semelhantes em igrejas da Europa Central e de possíveis influências sofridas.

Palavras-chave: Arquitetura; Rococó; Frontispício; Minas Gerais; Europa Central.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
29-10-2009