NOVOS PAIS, NOVOS HOMENS? PATERNIDADE E IDENTIDADE MASCULINA NO CONTEXTO PÓS-MODERNO

  • Guilherme de Souza Beraldo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Ellika Trindade Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Masculinidade, Método fenomenológico, Família contemporânea

Resumo

Este artigo explora o contexto da pós-modernidade como provável modificador da identidade masculina tradicional, tendo em conta a fluidez das relações contemporâneas e a dificuldade da criação de laços duradouros em todas as esferas, especialmente a afetiva. Frente a novas configurações familiares e a demanda por novos modelos de paternidade na atualidade, este trabalho investigou as possíveis influências do exercício da paternidade na constituição da identidade masculina de oito homens. A partir de uma perspectiva qualitativa, foram realizadas entrevistas abertas nas quais se pediu aos participantes que falassem sobre suas experiências por meio da pergunta “como é ser homem, sendo pai?”. Foi explorado com os entrevistados suas concepções de paternidade, de homem e a crença em mudanças no exercício da paternidade ao longo das gerações. Para a análise das entrevistas foi utilizado o método fenomenológico proposto por Giorgi, a partir do qual foram construídas cinco unidades de sentido que agruparam falas afins dos participantes. Observou-se uma relevante presença de concepções tradicionais do masculino, como a do homem provedor financeiro do lar, exclusividade feminina nos cuidados diretos com os filhos e a autoridade masculina como palavra final nas decisões. Contudo, observou-se aberturas de alguns entrevistados para uma divisão mais igualitária na criação dos filhos, com reflexos nas suas concepções de homem e pluralidade nas expressões da masculinidade. Foram mencionadas, ainda, a presença de novas tecnologias e maior proximidade dos participantes com relação aos seus filhos em decorrência da atuação da mulher no mercado de trabalho. O conteúdo das entrevistas aponta para a possibilidade de futuros estudos que contemplem populações masculinas específicas, como homens de baixa renda e a formulação de políticas públicas que abranjam a saúde do homem para além dos aspectos meramente biológicos, oportunizando a abertura de outros espaços para reflexão das masculinidades.
Publicado
01-12-2016
Como Citar
BERALDO, G. DE S.; TRINDADE, E. NOVOS PAIS, NOVOS HOMENS? PATERNIDADE E IDENTIDADE MASCULINA NO CONTEXTO PÓS-MODERNO. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 1, n. 2, p. 56 - 75, 1 dez. 2016.
Seção
Artigos de temática livre