Ernesto Lara Filho e o romantismo brasileiro

  • Inocência Mata Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Romantismo brasileiro, Ernesto Lara Filho, Estética, Sensibilidade nacional,

Resumo

Neste trabalho proponho-me interpretar as similitudes, salvaguardas as diferenças ideológicas de cem anos, que revelam o estado de espírito romântico brasileiro (principalmente o do indianismo e do negrismo) e o espírito inconformista do poeta Ernesto Lara Filho (Benguela, 1932 - Huambo, 1977) - inconformismo em relação ao intelectualismo, ao convencionalismo estético e sócio-político, ao esgotamento das formas e idéias dominantes, onde a imaginação e o sentimento, a emoção e a sensibilidade se sobrepõem à lei e à razão, o status quo. São estes aspectos da poesia de Ernesto Lara Filho que a aproximam da estética romântica brasileira (ou vice-versa) onde os elementos da Natureza têm a função de fundamentar a sensibilidade nacional e pátria e de retratar a realidade cultural e social circundante, vale dizer, nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Editorial Sul-Americana, 1959.

LARA FILHO, Ernesto. O canto de martrindide e outros poemas feitos no Puto [Na portada: Huambo, 1964], Lisboa: Minerva, 1964. (13 poemas. Retirado de circulação).

LARA FILHO, Ernesto. Seripipi na gaiola. Luanda: ABC, 1970. (12 poemas).

LARA FILHO, Ernesto. Crónicas da roda gigante. Porto: Afrontamento, 1990.

MATA, Inocência. A natureza e o núcleo simbólico da nação na literatura angolana. In: SIMPÓSIO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE LITERATURA SOBRE NACIONALISMO E REGIONALISMO, 2, lisboa, 1995. Comunicação. Lisboa: Faculdade de Letras, 1995.

Publicado
21-03-1997
Como Citar
Mata, I. (1997). Ernesto Lara Filho e o romantismo brasileiro. Scripta, 1(1), 204-219. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10157
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa