O desejo de Kianda: crônica e efabulçao

  • Maria Theresa Abelha Alves UEFS
Palavras-chave: Pepetela, Literatura angolana, O desejo de Kianda, A geração da utopia, Crônica,

Resumo

Com o pó da cidade e a voz da lagoa, Pepetela, em O desejo de Kianda, entoa o último andamento de um réquiem iniciado em A geração da utopia. Através de duas metáforas, uma de conjunção e outra de disjunção - aliança e ruína -, o romancista tece a crônica do quadro referencial angolano corrompido pelo novo imperialismo da era nomeada por "globalização neo-liberal", no contraponto da realidade e da lenda, do fato e da ficção.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos de estado. Lisboa: Presença, 1947.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Obras escolhidas; 1).

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Obras escolhidas, 2).

HABERMAS, Jürgen. Técnica e ciência enquanto ideologia. São Paulo: Abril Cultural, 1975. (Os Pensadores, 48).

KOTHE, Flávio René. Para ler Benjamin. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

LIMA, Luiz Costa. Sociedade e discurso ficcional. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

PEPETELA. O desejo de Kianda. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1995.

PEPETELA. A geração da utopia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1993.

SAID, Edward W. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Publicado
21-03-1997
Como Citar
Alves, M. T. A. (1997). O desejo de Kianda: crônica e efabulçao. Scripta, 1(1), 237-245. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10160
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa