Edifício: que geração é essa?

  • Eneida Maria de Souza
Palavras-chave: Revista Edifício, vida literária, 1946, geração Edifício

Resumo

Este ensaio tem como objetivo a apresentação da geração Edifício, um grupo de intelectuais reunidos em torno da revista do mesmo nome. Surgida em 1946, em Belo Horizonte, a revista teve quatro números, e se inscreve como um dos mais importantes documentos para a recuperação da memória da vida literária de sua época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. Confissões de Minas. Rio de Janeiro: Aguilar, 1967.

DOURADO, Autran. Se dermos um pontapé no latifúndio e saírmos do feudalismo, então conseguiremos alguma cousa. Edifício, Belo Horizonte, n. 2, p. 30, 1946.

DOURADO, Autran. Um artista aprendiz. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989.

DRUMMOND, Thais. Hélio Pelegrino; um ensaio biográfico. Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG, 1998. (Tese, Doutorado).

MAGALDI, Sabato. Nosso testemunho talvez se resuma em dar forma pessoal à dissolução da personalidade. Edifício, Belo Horizonte, n. 2, p. 12, 1946.

PAIVA, Aparecida. A voz do veto. Belo Horizonte: Autêntica, 1997.

RESENDE, Otto Lara. Posso garantir, no entanto, que todos somos uns bons rapazes. Edifício, Belo Horizonte, n. 2, p. 43, 1946.

SOUZA, Eneida Maria de. Vozes de Minas nos anos 40. In: MIRANDA, Wander Melo (Org.). A Trama do arquivo. Belo Horizonte: CEL/FALE, Editora da UFMG, 1995.

TEIXEIRA, Morse Belém. Não necessito de licença de ninguém para falar sobre aquilo que é um pouco meu. Edifício, Belo Horizonte, n. 2, p. 36, 1946.

WERNECK, Humberto. O desatino da rapaziada. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

Publicado
27-03-1998
Como Citar
de Souza, E. M. (1998). Edifício: que geração é essa?. Scripta, 1(2), 13-21. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10175
Seção
Parte 1: Dossiê Belo Horizonte centenária - a cidade e seus escritores