REALISMO E TRANSCENDÊNCIA: O MAPA DAS MINAS DO GRANDE SERTÃO

  • Francis Utéza Universidade Paul-Valéry. Montepelier.
Palavras-chave: Grande Sertão, veredas, Guimarães Rosa, Hermetismo, Taoísmo, rios, Minas Gerais, geografia realista,

Resumo

Guimarães Rosa insistiu sempre sobre o valor metafísico e religioso de seus escritos. Com base nas chaves que Rosa daria no seu discurso de posse na Academia - o Hermetismo da tradição ocidental e o Taoísmo da tradição oriental, pretende-se analisar o percurso do protagonista de Grande sertão: veredas em função dos três grandes rios de Minas: o São Francisco, o Rio das Velhas e Urucuia. Para além da geografia "realista", decripta-se o substrato transcendental.

Referências

CAMACHO, Fernando. "Entrevista com Guimarães Rosa". Humbolt. Munich, n. 37, 1978.

CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dictionnaire des symboles. Paris: R. Laffont, 1982.

COUTINHO, Eduardo (Org.). Guimarães Rosa: crítica. Rio de Janeiro: INL, 1983.

ELIADE, Mircea. Histoire des croyances et des idées religieuses. Pari: Payot, 1987.

GUÉRIOS, Mansur Rosário. Dicionário etimológico de nomes e sobrenomes. São Paulo: Ed. Ave Maria, 1973.

HUXLEY, Aldous. The perennial phylosophy. London: Chatto & Windus, 1957.

RIBEIRO COSTA, Joaquim. Topomínia de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1970.

ROSA, J. Guimarães. Grande sertão: veredas. 4 ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1980.

SENNA, Nelson de. A Terra mineira. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1926.

UTÉZA, Francis. JGR: metafísica do Grande sertão. São Paulo: EDUSP, 1994.

Publicado
14-10-1998
Como Citar
Utéza, F. (1998). REALISMO E TRANSCENDÊNCIA: O MAPA DAS MINAS DO GRANDE SERTÃO. Scripta, 2(3), 127-137. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10228
Seção
Especial Guimarães Rosa