Almeida Garret: a poesia e autobiografia

  • Lucia Maria Moutinho Ribeiro UFRJ
Palavras-chave: Almeida Garret, poesia,

Resumo

O romantismo e o romantismo em Portugal. O caráter revolucionário da literatura romântica. Interpretação de poemas à luz da biografiade Almeida Garrett e de sua inserção nesse movimento artístico. O subjetivismo: "Barca bela". O estranhamento na arte: "Quando eu sonhava". A evasão pelo sonho: " Não és tu". A libertação da forma: "Rosa e lírio". A pontuação emotiva: "Este inferno de amar". As contradiçõesdo amor: "Não te amo". O erotismo: "Os cinco se ntidos". A comunhãocom a natureza: "Cascais".

Referências

FERREIRA, Alberto. Perspectiva do romantismo português. 2. ed. Lisboa: Moraes, 1979.

FIGUEIREDO, Fidelino de. História da literatura romântica. São Paulo: Anchieta, 1946.

FISCHER, Ernst. A necessidade da arte. Lisboa: Ulisseia, [19--].

FRANÇA, José Augusto. O romantismo em Portugal. Lisboa: Horizonte, 1974. 5 v.

HAUSER, Arnold. Historia de la literatura y el arte. 5. ed. Madrid: Guadarrama, 1969.

LEJEUNE, Philippe. Le pacte autobiographique. Paris: Seuil, 1975.

HOBSBAWM, Eric. A era das revoluções. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

MACHADO, Álvaro Manuel. As origens do romantismo em Portugal. Lisboa: Bertrand, 1979.

SARAIVA, José Hermano. 1820-1910. História concisa de Portugal. 4. ed. Lisboa: Europa América, 1979. p. 275-339: A monarquia constitucional.

SÉRGIO, António. Breve interpretação da história de Portugal. 9. ed. Lisboa: Sá da Costa, 1979. p. 133- 146: Tentativas de remodelação metropolitana (33 época).

Publicado
08-10-1999
Como Citar
Ribeiro, L. M. M. (1999). Almeida Garret: a poesia e autobiografia. Scripta, 3(5), 108-114. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10302
Seção
Parte 1 - Dossiê Almeida Garrett