Meu triste mister crítico

  • Márcia Arruda Franco UFOP
Palavras-chave: Almeida Garrett,

Resumo

Este texto apresenta dois aspectos da atividade crítica de Garrett. As Cartas íntimas ela é vista no contexto de redefinição da função social do escritor, que levou Garrett a produzir os seus livros fora da tutela do mecenato, contando com isso com dois meios de protlução do livro: o corporativo e o de livreiros estrangeiros. Então, nos Bosquejos... , a atividade crítica de Garrett é pensada em seu ponto fraco: produzir juízos anacrônicos a partir de princípios basicamente românticos, como o da associação entre língua e pátria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARAHONA, Margarida (Org.). Poesias de Bocage. 2. ed. Lisboa: Seara Nova, 198 1. p. 13-17: Apresentação crítica.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Unesp, 1998.

GARRETT, J. B. de Almeida. Obras Completas. Vila da Maia: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1963. 2v.

JOBIM, José Luís (O rg.). Introdução ao Romantismo. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

PESSOA, Fernando. O livro do desassossego. Lisboa: Ática, 1982. 2v.

TOLENTINO, Nicolau. Sátiras. 3. ed. Seleção, prefácio e notas de Rodrigues Lapa. Lisboa: Seara Nova, 1969.

TOLENTINO, Nicolau. Sátiras e outros poemas de. Lisboa: Seara Nova, 1978.

VIEIRA, Afonso Lopes. A Diana, em português. Lisboa: Parceria A. M. Pereira, 1966.

ZILBERMAN , Regina. Almeida Garrett e o cânone romântico. Via Atlântica , São Paulo, n. 1, p. 54-65, mar. 1997.

Publicado
08-10-1999
Como Citar
Franco, M. A. (1999). Meu triste mister crítico. Scripta, 3(5), 115-124. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10303
Seção
Parte 1 - Dossiê Almeida Garrett