Subúrbios e veredas - apontamentos para uma leitura comparada dos narradores em Dom Casmurro e Grande Sertão: Veredas

  • Wilson Madeira Filho UFF
Palavras-chave: Dom Casmurro, Machado de Assis, Grande sertão, veredas, João Guimarães Rosa, metalinguagem

Resumo

Dois grandes autores, verdadeira unanimidade da crítica literária nacional, Machado de Assis e Guimarães Rosa representam a elaboração de uma escrita repleta de sutilezas, cuja metalinguagem permite desdobramentos na própria interação entre as esferas do autor e a do leitor. A questão da autoria, apresentada com picardia na abertura do Dom Casmurro, refrata-se em jogos interpretativos. No capítulo inicial, o narrador sugere uma bifurcação: de um lado, a biografia possível, de outro lado, a crônica histórico-social com a redação de uma Históriados subúrbios. No fundo, trata-se de um mesmo projeto, posto que ambos, o cidadão e a cidade, projetam-se em suas face tas ocultas; no centro urbano, as vias de acesso via trem da Central do Brasil, articulandoas a rtérias da polis; no homem, os recônditos da alma, a irromper no fluxo de uma memória que se quer centralizadora. Por sua vez, herdando a perplexidade e tentativa de "atar as pontas da vida", a ascese de Riobaldo confunde-se com a de um grande sertão cujas trilhas compõem a trajetória hermética de desvendamento dos contrários, da revelação do Tudo no Nada. A obra de Machado é permeada pelo pessimismo de Schopenhauer, narrando-se o desespero de uma vida onde tudo tornou-se vão. A de Rosa, enlaça a admiração inicial de Nietzsche por Schopenhauer para, contudo, reverter esse pessimismo através da teoria do eterno retorno e dos aforismos de Zarathustra, com a alternânciada alegria e do desespero, da criação e da destruição, do bem e do mal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: Círculo do Livro, 1990.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Várias histórias. Rio de Janeiro: Globo, 1997.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Papéis avulsos. Rio de Janeiro: Globo, 1997.

FOUCAULT, Michel. Corps écrit. n. 5. Paris: Presses Universitaires,. Lecriture de soi, 1983. "L'autoportrait". p. 3-23.

GARRETT, Almeida. Viagens na minha terra. São Paulo: Círculo do Livro, 1991.

LEJEUNE, Philippe. Individualisme et autobiographie en Occident. Paris: Seuil, 1974. Autobiographie et historie socia l au XIX siccle. p. 209-234.

LEJEUNE, Philippe. Je est un autre. Paris: Seuil, 1980. Cautobiographie de deux quin'écrivent pas. p. 229-316.

LIMA, Luiz Costa. A metamorfose do silêncio. Rio de Janeiro: Eldorado, 1974.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Obras incompletas. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. Aurora. p. 153-185.

PROENÇA, Manoel Cavalcanti. Augusto dos anjos e outros ensaios. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1959. Trilhas no Grande Sertão. p. 151 e ss.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. São Paulo: Círculo do Livro, 1984.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

ROSA, João Guimarães. Ave, palavra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

Publicado
22-03-2000
Como Citar
Filho, W. M. (2000). Subúrbios e veredas - apontamentos para uma leitura comparada dos narradores em Dom Casmurro e Grande Sertão: Veredas. Scripta, 3(6), 201-209. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/10363
Seção
Dossiê: Machado de Assis