Margens portuguesas do simbolismo

  • Fernando Cabral Martins
Palavras-chave: Simbolismo, Modernismo, Nacionalismo, Fim-de-século, Cesário Verde, Teixeira de Pascoaes, Mário de Sá-Carneiro.

Resumo

OSimbolismo como escola é um fenômeno importante mas restrito na arte e literatura portuguesas. No entanto, se o entendermos como um movimento mais lato, que se confunde com a modernidade em poesia e tem em Baudelaire, Rimbaud e Mallarmé as suas figuras de referência, podemos associá-lo a todos os maiores nomes da lírica portuguesa da transição do século XIX para o século XX – aqui em três exemplos. E será mesmo na sua relação com esse Simbolismo que melhor manifestam (entre si tão diferentemente) a sua originalidade. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GUIMARÃES, Fernando. Poética do Simbolismo em Portugal. Lisboa: IN-CM, 1990.

GUIMARÃES, Fernando. Simbolismo, Modernismo e Vanguardas. 2. ed. Porto: Lello, 1992.

GUIMARÃES, Fernando. O Modernismo português e a sua poética. Porto: Lello, 1999.

HESS, Rainer. Os inícios da lírica moderna em Portugal (1865-1890). Lisboa: IN-CM, 1999.

JÚDICE, Nuno. O processo poético. Lisboa: IN-CM, 1992.

LOPES, Oscar. Entre Fialho e Nemésio. v. II. Lisboa: IN-CM, 1987.

LOPES, Oscar. A busca de sentido. Lisboa: Caminho, 1995.

LOPES, Teresa Rita. Fernando Pessoa et le drame symboliste. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

LOURENÇO, Eduardo. O labirinto da saudade. Lisboa: Dom Quixote, 1978.

MACEDO, Helder. Nós: uma leitura de Cesário Verde. 3. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1986.

MARTINS, Fernando Cabral. O trabalho das imagens. Lisboa: Aríon, 2000.

MARTINS, Fernando Cabral. O Modernismo em Mário de Sá-Carneiro. Lisboa: Estampa, 1994.

MOURÃO-FERREIRA, David. Ícaro e Dédalo: Mário de Sá-Carneiro e Fernando Pessoa. In: Hospital das Letras. 2. ed. Lisboa: IN-CM, 1983. p. 181-192.

PEREIRA, José Carlos Seabra. Decadentismo e Simbolismo na poesia portuguesa. Coimbra: FLUC, 1975.

RODRIGUES, Fátima. Cesário Verde. Lisboa: Cosmos, 1998.

Publicado
20-03-2003
Como Citar
Martins, F. C. (2003). Margens portuguesas do simbolismo. Scripta, 6(12), 179-188. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12481
Seção
Dossiê: Literatura brasileira