Coisas exatas: a propósito de imagias, de Ana Luísa de Amaral

  • Maria Irene Ramalho
Palavras-chave: Poesia lírica portuguesa contemporânea, Amor/eros, Amor/ágape.

Resumo

Imagias, o sétimo livro de Ana Luísa Amaral (Lisboa: Gótica, 2002), reúne poemas sobre “coisas exatas”, como anuncia o poema inaugural que serve de portal ao livro e se intitula “O exato curso do rio”. Cuidadosamente organizados em quatro partes, estes novos poemas de Ana Luísa Amaral retomam ou reinventam algumas das formas e temas mais recorrentes desta poeta portuguesa contemporânea: o modo vocativo, os versos de orações elípticas, as repetições com diferença, a sintaxe equívoca, as assonâncias, as aliterações, o uso do raciocínio lógico, o humor; e o tempo, a memória, a infância, a poesia, a perda, a dor, o amor. Sobretudo o amor, e sobretudo amor/eros, por vezes com saudade de amor/agapé. Neste livro escreve Ana Luísa Amaral os seus poemas como se a poesia lírica fosse o rigor de ser no caótico estar que é a nossa vida. Por isso, absurdamente, Imagias, o título exato do inexato certeiro que desafiadoramente é a poesia na poética de Ana Luísa Amaral.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Ana Luísa. Imagias. Lisboa: Gótica, 2002. 106p.

Publicado
20-03-2003
Como Citar
Ramalho, M. I. (2003). Coisas exatas: a propósito de imagias, de Ana Luísa de Amaral. Scripta, 6(12), 258-265. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12485
Seção
Dossiê: Literatura brasileira