Craveirinha em diálogo subversivo com o mundo. Duas propostas de aproximação: Jorge de Sena e Henri Michaux

  • Gonçalo Torres
Palavras-chave: José Craveirinha, Diálogo subversivo, Intertextualidade, Poesia insubmissa.

Resumo

Este trabalho analisa a poesia de José Craveirinha de um ponto de vista transnacional. Dialogando subversivamente com todo o mundo, o poeta denuncia a opressão e a exploração que ocorrem não só em Moçambique, mas também noutras partes do planeta. O corpus de análise consiste em algumas composições em que essa faceta se torna mais evidente. Na parte mais substancial do trabalho, arrisca-se uma aproximação de Craveirinha a dois poetas seus contemporâneos: Jorge de Sena e Henri Michaux. O diálogo ideológico e estético imaginário entre esses poetas remete à poesia entendida como espaço de insubmissão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AAVV. Resistência africana. Lisboa: Edições de Combate, 1977.

AAVV. Poesia de combate. Maputo: Associação Escritores Moçambicanos, 1975.

CRAVEIRINHA, José. Obra poética I. Lisboa: Caminho, 1995.

MICHAUX, Henri. In: HELDER, Herberto. Doze nós numa corda (poemas mudados para português). Lisboa: Assírio e Alvim, 1997.

LEITE, Ana Mafalda. A poética de José Craveirinha. Lisboa: Vega, 1991.

MATUSSE, Gilberto. A construção da imagem de moçambicanidade em José Craveirinha, Mia Couto e Ungulani Ba Ka Khosa. Maputo: Universidade Eduardo Mondlane, 1998.

SENA, Jorge de. Poesia III. Lisboa: Edições 70, 1989.

Publicado
20-03-2003
Como Citar
Torres, G. (2003). Craveirinha em diálogo subversivo com o mundo. Duas propostas de aproximação: Jorge de Sena e Henri Michaux. Scripta, 6(12), 368-387. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12494
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa