Campos de guerra com mulher ao fundo no romance Ventos do apocalipse

  • Maria Nazareth Soares Fonseca
Palavras-chave: Recursos mitalingüísticos, Palavra oral, Tradição dos griots, Ventos do apocalipse, Paulina Chiziane.

Resumo

O texto procura enfatizar a importância da abertura do romance que, ao recuperar elementos do ritual da contação, vale-se de recursos metalingüísticos para acentuar as inserções de micronarrativas que formam a estrutura do texto. A narrativa se inicia com a explicitação de exemplos que devem ser considerados e demonstra a importância da repetição para se entender a construção do romance. No ritual de abertura, um narrador-contador, seguindo a tradição dos griots, elabora estratégias para prender a atenção dos leitores, que “escutam”, através da escrita, as tonalidades da voz e os preceitos transmitidos. A legitimidade dessa voz é garantida por uma tradição que considera as pulsações da palavra oral e o contexto em que ela se manifesta para assegurar tanto a veracidade quanto a importância do que se vai contar.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHABAL, Patrick. Vozes moçambicanas: literatura e nacionalidade. Lisboa: Vega, 1994.

CHIZIANE, Paulina. Eu, mulher... por uma nova visão do mundo. In: AFONSO, Ana Elisa de Santana (Org.). Eu mulher em Moçambique. Maputo: Aemo, 1994. p. 11-18.

CHIZIANE, Paulina. Balada do amor ao vento. Maputo: Aemo, 1990.

CHIZIANE, Paulina. Ventos do apocalipse. Lisboa: Caminho, 1999.

CHIZIANE, Paulina. O sétimo juramento. Maputo: Nadjira, 2000.

CIPIRE, Felizardo. Educação tradicional em Moçambique. Maputo: Emedil, 1992.

LE GOFF, Jacques. Escatologia. Enciclopédia Einaudi. Memória – História. v. I. Lisboa: Gabinete Editorial, s.d.

NIANE, Djibril Tamsir. Sundjata ou a epopéia mandinga. Trad. Oswaldo Biato. São Paulo: Ática, 1982.

MATA, Inocência. Paulina Chiziane: uma colectora de memórias imaginadas. Revista Metamorfose.

Cátedra Jorge de Sena. Faculdade de Letras da UFRJ, Rio de Janeiro, 2000. p. 135-142.

TABORDA, Terezinha. O vão da voz: a metamorfose do narrador na ficção moçambicana. Belo Horizonte: Fale/UFMG, 2000. (Tese de doutorado, inédita).

Publicado
15-10-2003
Como Citar
Fonseca, M. N. S. (2003). Campos de guerra com mulher ao fundo no romance Ventos do apocalipse. Scripta, 7(13), 302-313. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12528
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa

Most read articles by the same author(s)

1 2 3 > >>