As histórias literárias portuguesas e a emancipação da literatura do Brasil

  • Roberto Acízelo de Souza Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Historiografia da literatura portuguesa, Historiografia da literatura brasileira, Nacionalismo, Colonialismo, História literária

Resumo

O reconhecimento, por parte das histórias literárias portuguesas, de que a literatura brasileira constitui um sistema literário nacional au­tônomo, foi um processo longo, em cujo desdobramento é possível reconhecer dois momentos. No primeiro, situado na década de 1860, firma-se a idéia de que as obras de expressão portuguesa, não impor­tando a naturalidade brasileira ou lusitana dos seus autores, integra­riam o patrimônio da literatura de Portugal, desde que produzidas até antes da proclamação da nossa independência, marco a partir do qual o Brasil passaria a construir sua própria literatura nacional. No segundo, definido na década de 1950, sem desaparecer a praxe de integrar-se no âmbito da literatura portuguesa os autores "brasilei­ros" do período colonial, passam as histórias literárias portuguesas a admitir a retroação do conceito de literatura brasileira até os primei­ros séculos da colonização, no que enfim concordam, após prolon­gada resistência, com o ponto de vista defendido já a partir do século XIX por historiadores e críticos nacionalistas brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2006
Como Citar
Souza, R. A. de. (2006). As histórias literárias portuguesas e a emancipação da literatura do Brasil. Scripta, 10(19), 131-144. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/13943
Seção
Artigos