Deficiência Visual, Interação e Desenvolvimento da Linguagem

Fabiana Kaodoinski, Fernanda Ribeiro Toniazzo

Resumo


Este trabalho pretende refletir sobre a importância da interação de crianças cegas congênitas com os objetos de conhecimento, com o espaço e com o outro para a promoção da aprendizagem e para o desenvolvimento do pensamento e da linguagem do indivíduo com essa deficiência. Nesse estudo teórico, entende-se a relação intersubjetiva como constitutiva do eu, conforme postulados benvenistianos. Além disso, considerando a premissa de Leonhardt (1992) de que a visão é responsável por integrar e organizar a experiência proveniente dos outros sentidos, destaca-se que o cego, por não dispor da percepção visual, pode ter dificuldades de formar conceitos – segundo pressupostos de Vygotski. Diante disso, busca-se explicitar, com base em estudos de Autor, a complexidade inerente à configuração da relação enunciativa “eu-tu” no processo de formação de conceitos em crianças com cegueira congênita, destacando-se a necessidade da constante mediação do cuidador para a promoção do desenvolvimento da cognição e da linguagem. A partir deste estudo, foi possível perceber que há um processo sistêmico no desenvolvimento do cego congênito, ou seja, linguagem, pensamento, cognição e interação estão interligados e são indissociáveis.


Palavras-chave


Linguagem; Interação; Conhecimento; Deficiência visual; Intersubjetividade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

AMIRALIAN, Maria Lúcia T. M. Compreendendo o cego: uma visão psicanalítica da cegueira por meio de desenhos-estória. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2006.

AROLDO¸ Rodrigues. Psicologia Social. Rio de Janeiro: Vozes, 1991.

BECKER, Fernando. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral II. Campinas, São Paulo: Pontes, 1984.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. 5. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2005.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral II. 2. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: Acesso em: 29 de janeiro de 2017.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Trad. Anna Raquel Machado e Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2006a.

BRONCKART, Jean Paul. Interacionismo Sócio-discursivo: uma entrevista com Jean Paul Bronckart. Trad. Cassiano Ricardo Haag e Gabriel de Ávila Othero. Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVEL. Vol. 4, n. 6, março de 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2014b.

BRUNO, Marilda Moraes Garcia. O desenvolvimento integral do portador de deficiência visual: da intervenção precoce à integração escolar. São Paulo: Newswork, 1993.

DENTZ, Volmir von; LAMAR, Adolfo Ramos. Giros epistemológicos na filosofia e a virada linguística na filosofia da educação. In: VII SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 2008, Itajaí - SC. Banco de Papers. Itajaí - SC: UNIVALI, 2008. Disponível em: . Acesso em: 24 jan 2017.

FRAIBERG, Selma. Niños ciegos: La deficiencia visual y el desarrollo inicial de la personalidad. Colección Rehabilitación. Ministerio de Asuntos Sociales. España: Madrid, 1981.

LEONHARDT, M. El bebé ciego. Primera atención – Un enfoque psicopedagógico. Barcelona: Masson, 1992.

MATUI, Jiron. Construtivismo: teoria construtivista sócio-histórica aplicada ao ensino. São Paulo: Moderna, 1995.

MORAES, Maria Cândida. O paradigma educacional emergente. Campinas, SP: Papirus, 1997.

MOREIRA, Marco Antonio. Teorias da aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

PAVIANI, Neires Maria Soldatelli. Estudos da linguagem na educação. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2012.

PAVIANI, Jayme. Filosofia, ética e educação: de Platão a Merleau-Ponty. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2010.

PLATÃO. A república. Trad. Carlos Alberto Nunes. 3. ed. Belém: EDUFPA, 2000.

POZO, Juan Ignácio. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Trad. Ernani Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

REVUELTA, Rosa Maria. Palmo a Palmo. Madrid: ONCE. Organización Nacional de Ciegos Españoles. 1993.

RODRIGUES, Maria Rita Campello Rodrigues. Criança com Deficiência Visual e sua Família. In: SAMPAIO, M.W. et al. (Org.). Baixa visão e cegueira: os caminhos para a reabilitação, a educação e a inclusão. Rio de Janeiro: Cultura Médica, Guanabara Koogan, 2010.

TONIAZZO, F.R. Educação e linguagem: a configuração da relação enunciativa eu-tu no processo de formação de conceitos em crianças com cegueira congênita. 2015. 65f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul. 2015.

VYGOTSKY, Lev. S. A Formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

VYGOTSKY, Lev. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

VYGOTSKY, Lev Semenovitch. A formação social da mente. Trad. José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto e Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

VYGOTSKY, Lev Semenovitch. Pensamento e linguagem. Trad. Jefferson Luiz Camargo. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VIGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2017v21n41p185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

                     


Revista Scripta e-ISSN: 2358-3428 (OJS)

DOI: http://dx.doi.org/10.5752/P.2358-3428

Endereço: Av. Dom José Gaspar, 500 - Prédio 20 - sala 109 

Coração Eucarístico - Belo Horizonte/MG - CEP: 30535901 

Telefone geral: (31) 3319-4369

 

Licença: 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Nossos indexadores, bancos de dados e repositórios: