A Cinderela do sertão de Guimarães Rosa

  • Edna Maria F. S. Nascimento Universidade Estadual Paulista
  • Erasmo D'Almeida Magalhães Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Narrativa, Motivo, Sertão, Vida, Morte.

Resumo

Analisam os a narrativa fílmica de Pedro Bi al Outras estórias q u e retoma cinco contos de Primeiras estórias, de Guimarães Rosa. O enfoque da análise são os motivos casa mento e velório, que figurativizam os valores universais  vida/morte, e o espaço do sertão. A partir desse recorte, propomos uma leitura que pretende demonstrar como o texto de Bial constrói a Cinderela do se rtão mineiro.

Referências

BERTRAND, Denis. Germinai. Émile Zola. Paris: Bertrand-Lacoste, 2000.

BIAL, Pedro. Outras estórias. Warne r Home vídeo, 1999.

CANDIDO, Antonio. Grande se rtão: veredas. Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo. São Paulo, ano I (1) n. 2, out. 1956.

CORTEZÃO, Jai me. Edição crítica da carta de Pero Vaz de Caminha. Rio de Janeiro: [s.l.], 1943.

COURTES, Joseph. Uma leitura semiótica de "Cind erela". In: COURTES, Joseph. Introdução à semiótica narrativa e discursiva. Coimbra: Almedina, 1979. p. 142-190.

GREIMAS, Algirdas Julien; COURTES, Joseph. Dicionário de semiótica. São Paulo: Cu lt rix, [s.d.].

PERRAULT, Charles. Cinderela ou sapatinho de cristal. In: PERRAULT, Charles. Con­tos de Perrault. Belo Horizonte:Villa Rica, 1994. p. 113-126.

REIS, Ascendino. Arte e céu, países de primeira necessidade... In: LIMA, Sônia van Dijck (Org.). Ascendino Leite entrevista Guimarães Rosa. 2. ed., rev. João Pessoa: Ed Uni­ versitária, 2000. p. 21-66.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972.

SOUZA, Bernardino José. Dicionário da terra e da gente do Brasil. Rio de Janeiro: Nacional, 1961.

Publicado
13-10-2005
Como Citar
Nascimento, E. M. F. S., & Magalhães, E. D. (2005). A Cinderela do sertão de Guimarães Rosa. Scripta, 9(17), 111-121. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/14085