Rosa em policromia: cores, eros e íris (um arco de sexualidade entre Magma e Grande sertão: veredas)

  • Wilberth Clayton Ferreira Salgueiro Universidade Federal do Espírito Santos
Palavras-chave: Erotismo, Policromia, Guimarães Rosa, Sexualidade, Sonho.

Resumo

Numa  passagem de Grande sertão: veredas,  Riobaldo fala de uma "sonhice" que teve: "Diadorim  passando por debaixo do a rco-íris". Vinte anos antes,  em Magma,  Rosa esc reveu  um con junto de sete poemas, cujos  títu los  denunciam  a presen ça do arco-íris  e ativam sentidos que tal fenômeno carrega. Entender alguns destes sentidos, mostrando como as cores funcionam  na vida e na lite ratura, é o que quer o prese nte artigo. Para isso, analisam-se o poema "Ve rmelho" e a referida passagem-sonho como indicadores de um pensamento sobre a sexualidade.

Referências

CAMPOS, Ha roldo de. O arco-íris branco de Goethe. In: CAMPOS, Haroldo de. O arco-íris branco: ensaios de literatura e cultura. Rio d e Janeiro: Imago, 1997. p. 15-22.

COUTINHO, Eduardo. Riobaldo e o jaguncismo: ser ou não ser jagunço. Em busca da terceira margem: ensaios sobre Grande sertão: veredas. Salvador: FCJA, Fundação Casa de Jorge Amado, 1993. p. 92-98. (Casa de Palavras, 13).

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I - a vontade de saber. 13. ed. Tradução Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1998.

FREUD, Sigmund. A interpretação dos sonhos. Tradução Walderedo Ismael de Oliveira. Rio de Janeiro: lmago, 2001.

GALVÃO, Walnice Nogueira. O jagunço: destino preso. As formas do falso: um estudo sobre a ambigü idade no Gra nde ser tão: veredas. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 1986. p. 97-118. (Debates, 51).

LEONEL, Maria Célia. Guimarães Rosa: Magma c gênese da obra. São Paulo: Edirora Unesp, 2000.

MACHADO, Lino. Pétalas, para que vos quero? A figuração da flor em alguns escritores. Cadernos de Pesquisa. Vitória, v. 2, n. 2, p. 61-68, julho 1998.

MORAIS, Osvando J. de. Grand e ser tão: veredas; o romance transformado: o processo e a técnica de Walter George Durst na construção do roteiro televisivo. São Pau lo: Edusp, 2000.

PASTOUREAU, Michel. Dicionário dás cores do nosso tempo -simbólica e sociedade. Tradução Maria José Figueiredo. Lisboa: Ediroria l Estampa, 1993.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Ficção completa. 2v. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. (Biblioteca luso-brasileira. Série brasileira).

ROSA, João Guimarães. Magma. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1 997.

Publicado
13-10-2005
Como Citar
Salgueiro, W. C. F. (2005). Rosa em policromia: cores, eros e íris (um arco de sexualidade entre Magma e Grande sertão: veredas). Scripta, 9(17), 356-366. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/14107