Um sopro de criação: movimento puro em direção à vida

Roberta Maria Ferreira Alves

Resumo


Nosso texto se apresenta como uma das inúmeras tentativas de compreensão de algumas estratégias utilizadas na construção da linguagem do romance Um sopro de vida (pulsações), de Clarice Lispector. A partir de elementos como o silêncio, o som, a voz, a música, a performance, analisaremos como se estabelecem as relações entre os elementos constitutivos da narrativa. Consideraremos Clarice Lispector como sujeito de uma performance. Assim, o que nos interessa é a ilusão da presença deste eu que fala se si para si. A elucidação do mecanismo performático no texto de Lispector demonstra como a manipulação da linguagem pode encenar um processo de presentificação do autor no texto, criando a ilusão de um palco vivo e atual, metamórfico em sua expressão tal como expressivo na metamorfose que acaba por forjar.




Palavras-chave


Autor; Personagem; Relação; Escrita Poética; Performance;

Texto completo:

PDF

Referências


Barthes, Roland. “O grau zero da escrita” Tradução de Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos / Gilles Deleuze. Tradução de Antonio Carlos Piquet e Roberto Machado – Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

LISPECTOR, Clarice. Um sopro de vida (pulsações). Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

LISPECTOR, Clarice. A Hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998. 159p.

SÁ, Olga de. A escritura de Clarice Lispector. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1979.

SÁ, Olga de. A reversão paródica da ilusão ficcional no seu desmascaramento. Um sopro de vida (pulsações) 1978. In: Clarice Lispector: A travessia do oposto. São Paulo: Annablume, 1993 p.199-240.

MIRANDA, Wander. M.. Corpos escritos: Graciliano Ramos e Silviano Santiago. São Paulo: EDUSP; Belo Horizonte: UFMG, 1992.

MOREIRA, Terezinha Taborda, O vão da voz: a metamorfose do narrador na ficção moçambicana. Belo Horizonte: Editora PUCMinas; Belo Horizonte: Edição Horta Grande Ltda. 2005. 252p.

ZUMTHOR, Paul. Essa coisa que é a voz. In: Escritura e Nomadismo. Cotia: Ateliê Editorial, 2005. p. 61-70.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz. In: Escritura e Nomadismo. Cotia: Ateliê Editorial, 2005. p. 103-114.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                     


Revista Scripta e-ISSN: 2358-3428 (OJS)

DOI: http://dx.doi.org/10.5752/P.2358-3428

Endereço: Av. Dom José Gaspar, 500 - Prédio 20 - sala 109 

Coração Eucarístico - Belo Horizonte/MG - CEP: 30535901 

Telefone geral: (31) 3319-4369

 

Licença: 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Nossos indexadores, bancos de dados e repositórios: