A prescrição da produção textual do aluno: orientação para o trabalho de aluno ou restrição do seu agir?

  • Luzia Bueno
  • Anna Rachel Machado
Palavras-chave: Prescrição, Produção textual, Trabalho de aluno, Formação de professores, Interacionismo Sociodiscursivo.

Resumo

Este artigo visa discutir a importância de se olhar a prescrição da produção textual do aluno para se compreender melhor os textos produzidos na situação acadêmica. Para isso, retomamos os resultados de análise de um documento prescritivo e dos projetos de estágio feitos por estudantes do curso de Letras. Para a análise e reflexão sobre os resultados, adota a perspectiva teórica do Interacionismo Sociodiscursivo e de Ciências do Trabalho – Ergonomia da Atividade e Clínica da Atividade, particularmente, assim como as pesquisas do grupo ALTER-LAEL.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU-TARDELLI, L. O trabalho do professor em EAD na lente da legislação. In: MACHADO, Anna Rachel (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. São Paulo: Contexto, 2004. p. 166-197.

ADAM, Jean-Michel. Entre conseil et consigne: les genres de l’incitation à l’action. Pratiques, n. 111/112, p. 7-38, dez. 2001.

AMIGUES, René. L’enseignment comme travail. In: BRESSOUX, P. (Ed.). Les strategies d’enseignement en situation d’interaction. Note de synthèse pour Cognitive: Programme Ecole et Sciences Cognitives: p. 243-262, 2002.

AMIGUES, René. Trabalho do professor e trabalho de ensino. In: MACHADO, Anna Rachel (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. São Paulo: Contexto, 2004. p. 35-54

BAKHTIN, Mikhail; VOLOCHÍNOV, Valentin N. Marxismo e filosofia da linguagem. 2. ed. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: HUCITEC, 1929-30/1986. 203 p.3.

BARRICELLI, Ermelinda. A reconfiguração pelos professores da proposta curricular da Educação Infantil. 324 f. Dissertação (Mestrado) – PUC-SP, São Paulo, 2007.

BERTHET, Michel; CRU, Damien. Avec les évolutions de la prescription, comment travail et comment enrichir nos démarches et instruments d’analyse. Actes de 37ème Congrès de l’Ergonomie sur le thème “Les évolutions de la prescriptions”. Aix-en-Provence, 2002. Disponível em: <http://www.ergonomieself.org/actes/congres2002.html>. Acesso em: 7 mar. 2006.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e

discursos. Por um interacionismo sócio-discursivo. Tradução de Anna Rachel Machado. São Paulo: EDUC, 1999. 355 p.

BRONCKART, Jean-Paul. Por que e como analisar o trabalho do professor. In: MACHADO, Anna Rachel; Matencio, Maria de Lourdes Meirelles. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2006. p. 203-230.

BRONCKART, Jean-Paul. O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008. 208 p.

BRONCKART, Jean-Paul; MACHADO, Anna Rachel. En quoi et comment les “textes prescriptifs” prescrivent-ils? Analyse comparative de documents éducatifs brésiliens et genevois. In: FILLIETTAZ, Laurent; BRONCKART, Jean-Paul (Org.). L’analyse des actions et des discours en situation de travail. Concepts, méthodes et applications. Louvain: Peeters, 2005. (Bibliothèque des Cahiers del ’Institut de Linguistique de Louvain). p. 221-240.

BUENO, Luzia. A construção de representações sobre o trabalho docente: o papel do estágio. São Paulo: EDUC, 2009. 272 p.

CLOT, Yves. La fonction psychologique du travail. Paris: PUF, 1999. 222 p.

CLOT, Yves. Trabalho e poder de agir. Tradução de Guilherme J. F. Teixeira e Marlene M. Z. Vianna. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010. (Série: Trabalho e Sociedade). 344 p;

CORREIA, Adriana Paes de Jesus. Letramento, alfabetização e trabalho do professor representados nos PCNs. 187 p. Dissertação (Mestrado) – PUC-SP, São Paulo, 2007.

LA BORDERIE, R. Le métier d’élève. Paris : Hachette, 1991. 159 p.

MACHADO, Anna Rachel: aportes para compreender o trabalho do professor iniciante em EAD. 2006. 196 p. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. Inédita, 2006.

MACHADO, Anna Rachel. Por uma concepção ampliada do trabalho do professor. In: GUIMARÃES, Ana Maria de Matos; MACHADO, Anna Rachel; COUTINHO, Maria Antónia (Org.). O ISD: questões epistemológicas e metodológicas. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2007. p. 77-97.

MACHADO, Anna Rachel. Linguagem e Educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009, 174 p.

MACHADO, Anna Rachel; ABREU-TARDELLI, L. S. Textos prescritivos da educação presencial e a distância: fonte primeira do estresse do professor? In: MACHADO, Anna Rachel. Linguagem e Educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009, p. 101-116.

MACHADO, Anna Rachel; BRONCKART, Jean-Paul (Re-)configurações do trabalho do professor construídas nos e pelos textos textos: a perspectiva metodológica do Grupo ALTER-LAEL. In: MACHADO, Anna Rachel. Linguagem e Educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009, p. 31-78.

MACHADO, Anna Rachel; CRISTOVÃO, V. L. Representações sobre o professor e seu trabalho em proposta institucional brasileira para a formação docente. In: MACHADO, Anna Rachel. Linguagem e Educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009. p. 117-136.

PERRENOUD, Philippe. Ofício do aluno e sentido do trabalho escolar. Porto: Porto Editora, 1998. 238 p.

PLAZAOLA-GIGER, Itziar. Prescrire l’agir enseignant? Le cas de l’allemand à l’école primaire genevoise. Cahiers de la Section des Sciences de l’Education, n. 103, 2004. p. 185-212.

SAUJAT, Frédéric. Ergonomie de l’activité enseignante et développement de l’expérience professionnelle : une approche clinique du travail du professeur. 187 p. Tese (Doutorado) – Marseille, 2003.

SAUJAT, Frédéric. O trabalho do professor nas pesquisas em educação: um panorama. In: MACHADO, Anna Rachel. (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. São Paulo: Contexto, 2004. p. 3-34.

VEYRAC, Hélène. Aperçu de la variété des fonctions des consignes dans le monde du travail. Pratiques, n. 111/112, p. 77-92, dez. 2001.

VYGOTSKI, Lev S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1934/2009. 500p.

Publicado
18-07-2011
Como Citar
Bueno, L., & Rachel Machado, A. (2011). A prescrição da produção textual do aluno: orientação para o trabalho de aluno ou restrição do seu agir?. Scripta, 15(28), 303-319. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4321
Seção
Dossiê: Linguagem e discurso em práticas formativas e profissionais