Processos de (re)definição na poesia de Conceição Evaristo

  • Ana Beatriz Gonçalves
Palavras-chave: Diáspora, Identidade, Feminismo, Poesia, Afro-brasil, Invisibilidade.

Resumo

A construção de uma identidade feminina afro-brasileira é uma questão a ser observada. Mesmo na língua falada no país, na expressão “mulher negra”, o adjetivo negro contém um significado implícito de sujeira, melancolia, condenação, etc. Esse fato também nos revela que princípios de equidade não fazem parte da rotina da mulher afro-brasileira: ela ainda efetua trabalhos com a mais baixa remuneração; ainda que tenha concluído um curso superior, o mercado a rejeita devido à sua “aparência”. Ainda que sejam muitas, as mulheres negras permanecem invisíveis. Mas, dessa invisibilidade, resurgem e constroem suas identidades. Neste artigo examino os processos por meio dos quais a poeta afro-brasileira Conceição Evaristo elabora suas múltiplas identidades, ou seja, como sai da invisibilidade para transformar marginalização em poder.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. “La consciencia de la mestiza / Rumo a uma nova consciência”. Revista estudos feministas, vol. 13, n. 3. Florianópolis, 2005. p. 704-719.

BERND, Zilá. Introdução à literatura negra. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

BERND, Zilá. Literatura e identidade nacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

BOYCE DAVIES, Carole. Black, Women, Writing, and Identity. Migrations of the subject. London: Routledge, 1994.

EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. Belo Horizonte: Nandyala, 2008.

EVARISTO, Conceição. “Gênero e Etnia: uma escre(vivência) da dupla face”. Mulheres no mundo, etnia, marginalidade e diáspora. (ed.) Nadilza Martins de barros Moreira and Diane Schneider. João Pessoa: Idéia, 2005. p. 201-212.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Brasil afro-brasileiro. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. In: HOOKS, Bell. Black looks.Race and representation. Boston: South End Press: 1992.

HUYSSEN, Andréas. Seduzidos pela memória. Tradução de Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

KALRA, Virinder S. et al. Diaspora & Hybridity. London: Thousand Oaks, New Delhi, 2005.

MINH-HA, Trinh. Woman, native, other: Writing postcoloniality and feminism. Indiana: Indiana University Press, 1989.

PEREIRA, Prisca Agustoni de Almeida. “Signos do atlântico negro em trânsito: algumas vozes da poesia de língua portuguesa contemporânea”. Vozes (além) da África. (ed.) Enilce Albergaria, Renato Bruno, Ignácio Delgado, Gilvan Ribeiro. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2006. p. 119-133.

Publicado
17-12-2009
Como Citar
Beatriz Gonçalves, A. (2009). Processos de (re)definição na poesia de Conceição Evaristo. Scripta, 13(25), 51-62. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4367
Seção
Dossiê: Raça, cor e etnia na cultura/literatura