Mulheres marcadas: literatura, gênero, etnicidade

  • Eduardo de Assis Duarte
Palavras-chave: Literatura brasileira, Mulata, Mulher negra, Infertilidade, Afrodescendência.

Resumo

Estudo da literatura brasileira focalizando a figuração literária da mulata como animal erótico por excelência, desprovida de razão ou sensibilidade mais acuradas, confinada ao império dos sentidos e às artimanhas e trejeitos da sedução. Observa-se, em especial, o fato dessa representação deixar visível, em muitas de suas edições, um sutil aleijão biológico: a infertilidade que, de modo sub-reptício, implica em abalar a própria ideia de afrodescendência.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, José de. O guarani. São Paulo: Ática, 1979.

ALMEIDA, Manuel Antônio de. Memórias de um sargento de milícias. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1969.

AMADO, James. Obras completas de Gregório de Matos e Guerra: crônica do viver baiano seiscentista. In: Salvador: Janaína, 1969.

AMADO, Jorge. Gabriela, cravo e canela. 51. ed. Rio de Janeiro: Record, 1975.

DUARTE, Eduardo de Assis. (Org.) Machado de Assis afro-descendente. 2 ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2007.

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. Rio de Janeiro: Americana, 1973.

BARRETO, Afonso Henriques de Lima. Contos reunidos. Belo

Horizonte: Crisálida, 2005.

BASTIDE, Roger; FERNANDES, Florestan. Brancos e negros em São Paulo. 2 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

CORRÊA. Mariza. Sobre a invenção da mulata. Cadernos Pagu, Campinas, n.6/7, p.35-50, 1996.

EVARISTO, Conceição. Duzu Querença. In: BARBOSA, Aristides; BARBOSA, Márcio. Contos. Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, 1993, n. 16.

EVARISTO, Conceição. Quantos filhos Natália teve? In: GABRIEL, Carlos et al. Contos afro-brasileiros. Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, n.22, 1999.

EVARISTO, Conceição. Beijo na face. In: BARBOSA, Márcio; RIBEIRO, Esmeralda (Org.). Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, n.26, 2003.

EVARISTO, Conceição. Gênero e etnia: uma escre(vivência) contemporânea. In: MOREIRA, Nadilza et al.(Org.) Mulheres no mundo: etnia, marginalidade e diáspora. João Pessoa: Idéia, 2005.

FRANCO, Afonso Arinos de Melo. O índio brasileiro e a Revolução Francesa. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala. Rio de Janeiro: Record, 1990.

FRYE, Northrop. Anatomia da crítica. São Paulo: Cultrix, 1957.

GUEDES, Lino. Dictinha. São Paulo: Edição do autor, 1938.

PEREIRA, Edimilson de Almeida; GOMES, Núbia Pereira de Magalhães. Ardis da imagem. Belo Horizonte: Mazza, 2001.

QUEIROZ JÚNIOR, Teófilo de. Preconceito de cor e a mulata na literatura brasileira. São Paulo: Ática, 1975.

REIS, Maria Firmina dos. Úrsula. 4 ed. Florianópolis: Mulheres, 2004.

RIBEIRO, Esmeralda. Guarde segredo. In: Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, n.14, 1991.

ROSA, João Guimarães. Corpo de baile. 2 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1960.

SILVA, Júlio Romão da. Luís Gama e suas poesias satíricas. Rio de Janeiro: Cátedra, 1981.

TRINDADE, Solano. O poeta do povo. São Paulo: Cantos e Prantos, 1999.

VIEIRA, Lia. Maria Deia. In: SOBRAL, Cristiane et al. Contos afro-brasileiros. Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, v. 24, 2001.

VIEIRA, Lia. A paixão e o vento. In: ALVES, Ademiro et al. Contos afro-brasileiros. Cadernos negros, São Paulo: Quilombhoje, n. 28, 2005.

Publicado
17-12-2009
Como Citar
de Assis Duarte, E. (2009). Mulheres marcadas: literatura, gênero, etnicidade. Scripta, 13(25), 63-78. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4368
Seção
Dossiê: Raça, cor e etnia na cultura/literatura