Quando morre a flor do sertão: figuração da morte em “Buriti” de João Guimarães Rosa

  • Sarah Maria Forte Diogo
Palavras-chave: João Guimarães Rosa, Cultura, Linguagem, Morte, Tradição.

Resumo

Este artigo tem por objetivo estudar de que modo é figurada a morte da personagem Maria Behú, de “Buriti”, Noites do sertão (1956), de João Guimarães Rosa e os símbolos que a ela se agregam. Para tanto, investigamos as focalizações narrativas que incidem sobre Behú, construindo sua imagem como beata, assexuada, atuante na esfera da metafísica, sendo a sua morte o início da intensa vivência da sexualidade pelos demais personagens. “Buriti” narra a estória dos habitantes da fazenda Buriti Bom e daqueles que por lá transitam e as mudanças que ocasionam na vida uns dos outros. Behú é a personagem que mais contrasta com o ambiente, pois dele difere por não apresentar marcas de erotismo ou vida plena. Behú funciona na novela como guardiã da tradição e da cultura, seus usos e seus costumes, estilizados pela linguagem roseana.

 

Referências

ADORNO, Theodor W. Posição do narrador no romance contemporâneo. In: ADORNO, Theodor W. Notas de literatura I. Tradução de Jorge de Almeida. 34 ed. São Paulo: Duas Cidades, 2003. p. 55-56.

BIZZARRI, Edoardo. João Guimarães Rosa: correspondência com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. (1958 – 1967). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003. p. 107.

LURKER, Manfred. Dicionário de simbologia. Tradução de Mario Krauss et al. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MACHADO, Ana Maria. Sortilégios do Nome. In: MACHADO, Ana Maria. O recado do nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome se seus personagens. São Paulo: Martins Fontes, 1991. p. 121-167.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Lopes. Dicionário de teoria da

narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

ROSA, João Guimarães. Buriti. In: Idem. Noites do sertão. 9 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. p. 117-316.

ROSA, João Guimarães. Campo Geral. In: Idem. Manuelzão e Miguilim. 11 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. p. 112-115.

Publicado
10-12-2008
Seção
Dossiê: O neutro e a negatividade - representações da morte na literatura