“Vó, a senhora é lésbica?”:

heterosexualidade compulsória e lesbianidades plurais em Natalia Borges Polesso

Palavras-chave: Literatura brasileira contemporânea, Lesbianidades, Heterossexualidade compulsória, Família

Resumo

O presente artigo discute a heterossexualidade compulsória e a inscrição de existências lésbicas plurais, através da análise do conto “Vó, a senhora é lésbica?”, da escritora Natalia Borges Polesso, publicado em Amora de 2015. Procuramos compreender a maneira como a autora, por meio da construção das personagens Joana e vó Clarissa, coloca em voga discussões como lesbianidades, heterossexualidade compulsória e família a partir de três eixos analíticos: a relação familiar, a invisibilidade lésbica e, ainda, a intertextualidade da narrativa com A Metamorfose, de Kafka. Para isso, nos valemos das teorias de gênero e das discussões acerca da lesbianidade, como as cunhadas por Miskolci (2017), Sedgwick (2016) e Rich (2010) e, ainda, das análises sobre literatura brasileira contemporânea e lesbianidades, realizadas por Facco (2004) e Figueiredo (2020). Assim, analisamos, através do entrelace desses teóricos, como a construção dessas personagens formaliza, na literatura brasileira contemporânea, outras inscrições lésbicas, mais plurais e diversas, contribuindo para a veiculação de narrativas dissidentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Dias Barbosa, UFRN

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Mestra em Estudos da Linguagem pelo PPgEL/UFRN. Doutoranda em Estudos da Linguagem pelo PPgEl/UFRN.

Referências

BONNET, Marie-Jo. Les relations amoureuses entre les femmes : XVIe - XXe siècle. Paris: Odile Jacob, 1995.
CARONE, Modesto. Lições de Kafka. São Paulo: Cia das Letras, 2009.
CHARAUDEAU, Patrick. Os estereótipos, muito bem. Os imaginários, ainda melhor. Entrepalavras, Fortaleza, v. 7, n. 1, p. 571-591, jan./jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2023.
FACCO, Lúcia. As Heroínas saem do Armário: literatura lésbica contemporânea. São Paulo: Edições GLS, 2004.
FIGUEIREDO, Eurídice. O continuum Lésbico. In: FIGUEIREDO, Eurídice. Por uma Crítica Feminista: leituras transversais de escritoras brasileiras. Porto Alegre: Zouk, 2020. p. 327-351.
KRISTEVA, Julia. Séméoitikê. Paris: Editions du Seuil, 1969.
MILKOSCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2017.
POLESSO, Natalia. B. Amora. Porto Alegre: Não Editora. 2015.
POLESSO, Natália Borges. Sobre literatura lésbica e ocupação de espaços. Estud. lit. bras. contemp., Brasília, n. 61, e611, 2020. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2023.
POLESSO, Natália Borges. Geografias lésbicas: literatura e gênero. Criação e Crítica, São Paulo. São Paulo: USP, v.1, n.20, p. 169-191, abr./2018. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2023.
RICH, Adrienne. Heterossexualidade Compulsória e a existência lésbica. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades. Tradução de Carlos Guilherme Valle. Natal, UFRN, n.5, v.4, p. 14-44, nov./2010. Disponível em:. Acesso em: 15 jun. 2023.
SAMOYAULT, Tiphanie. A Intertextualidade. São Paulo: Editora Hucitec 2008.
SEDGWICK, E. K. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu, [S. l.], n. 28, p. 19–54, 2016. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2023.
Publicado
31-12-2023
Como Citar
Barbosa, L. D. (2023). “Vó, a senhora é lésbica?”:. Scripta, 27(61), 135-162. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2023v27n61p135-162