Gêneros textuais da formação docente inicial: o projeto de ensino de língua portuguesa

  • Sandoval Nonato Gomes-Santos
  • Caroline Seixas
Palavras-chave: Ensino de língua, Formação docente inicial, Gênero textual, Trabalho docente.

Resumo

O objetivo deste estudo é descrever o processo de apropriação de gêneros textuais por licenciandos em Letras na instância da formação profissional inicial. Mais precisamente, no âmbito da disciplina Metodologia do Ensino de Português, ofertada na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, ocasião em que lidam com a tarefa de produzir e avaliar um projeto didático concebido no Curso de Metodologia e implementado por ocasião de seu estágio supervisionado. Trata-se de gêneros textuais da formação docente, a saber: i) anotações escritas em cadernos de notas pelos licenciandos durante o Curso, em grupos de trabalho, sobre a concepção do Projeto Didático; ii) microaulas ministradas pelos grupos de trabalho para os colegas de Curso com base nos projetos didáticos em desenvolvimento, e iii) artigos acadêmicos produzidos pelos licenciandos como síntese do processo e produto final do Curso. Do ponto de vista teórico e metodológico, as questões que apresentamos são iluminadas, por um lado, pela reflexão sobre o conceito de gênero textual desenvolvida no campo dos estudos do texto e do discurso (com base na referência fundadora de BAKHTIN (1929; 1953)) e, por outro, pela reflexão sobre o ensino de língua desenvolvida no campo dos estudos em linguística aplicada e didática de línguas. A hipótese é que a descrição do processo de produção de gêneros textuais constitutivos da formação docente forneçam subsídios capazes de incrementar a reflexão sobre o trabalho do professor de Português para a escola brasileira da contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, M./VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, (1929), 2004.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, (1953), 2003.

GOMES-SANTOS, S. N.; ALMEIDA, P. S. Pergunta-resposta: como o par dialógico constrói uma aula na alfabetização. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. Belo Horizonte: UFMG-FALE, v. 9, n. 1, p. 133-149, 2009.

HOFSTETTER, R.; SCHNEUWLY, Bernard. Savoirs en (trans)formation. Au cœur de l’enseignement et de la formation. In: HOFSTETTER, R.; SCHNEUWLY, Bernard (Org.). Savoirs en (trans)formation. Au cœur de l’enseignement et de la formation. Bruxelles: De Boeck, 2009. p. 7-40.

KLEIMAN, Angela Bustos (Org.). A formação do professor: perspectivas da linguística aplicada. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2001.

SCHNEUWLY, Bernard. Les outils de l’enseignant – un essai didactique. Université de Genève, Repères, n. 22, 2000.

SCHNEUWLY, Bernard. Le travail enseignant. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim (Org.). Des objets enseignés en classe de français – Le travail de l’enseignant sur la rédaction de texts argumentatifs et sur la subordonnée relative. Rennes, FR: Presses Universitaires de Rennes, 2009. p. 29-43.

SIGNORINI, Inês. Gêneros catalisadores: letramento e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

SAVIANO, Roberto. A beleza e o inferno. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2010.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2005.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Original publicado em 1935.

Publicado
17-07-2012
Como Citar
Nonato Gomes-Santos, S., & Seixas, C. (2012). Gêneros textuais da formação docente inicial: o projeto de ensino de língua portuguesa. Scripta, 16(30), 151-168. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4245
Seção
Dossiê: Leitura e escrita – da universidade ao mundo profissional