ANALISE DE TEXTOS MATEMÁTICOS: IDENTIFICAÇÃO DE UMA PROBLEMÁTICAESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE PÚBLICA

  • Bruno Serafim de Souza Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Jardel Pereira da Silva Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC)
Palavras-chave: Dificuldade. Interpretação. Textos Matemáticos

Resumo

O presente estudo, exploratório, qualitativo, visa discorrer sobre os aspectos metodológicos que envolvem a dificuldade apresentada pelos alunos na interpretação dos textos matemáticos, sob o contexto das avaliações externas, que se tornaram tendência atual na avaliação do ensino. Este estudo trata-se de uma pesquisa realizada com 05 (cinco) estudantes da rede pública de Ensino Fundamental do município de Brejo Santo-CE. Os resultados retratam uma dificuldade por parte dos educandos em interpretar situações problemas em matemática, o que acarreta na dificuldade ou incapacidade de solucionar tal problema.


Biografia do Autor

Bruno Serafim de Souza, Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Possui Licenciatura em Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE;
Especialização Lato Sensu em Ensino de Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte - FJN, Mestre
em Matemática pela Universidade Federal do Cariri - UFCA; exerceu a função de professor substituto de
Matemática do Instituto de Formação de Educadores - IFE, vinculado a Universidade Federal do Cariri, Campus
de Brejo Santo - CE, é professor efetivo de matemática da rede pública oficial de ensino do estado do Ceará
atuando na EEMTI Professor José Teles de Carvalho, e atualmente exerce função de coordenador escolar, cargo
em comissão na referida instituição. possui experiência atuação como tutor do programa nacional OBMEP NA
ESCOLA pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada - IMPA. É atualmente tutor presencial do curso de
licenciatura em física pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). É membro do Grupo de Estudo e Pesquisa
em Estudos Regionais, História da Educação e Políticas Educacionais (GERHEPE), atuando no eixo de políticas
públicas e educação e novas tecnologias, o grupo está vinculado ao Centro de Educação da Universidade
Regional do Cariri/URCA e ao CNPQ. Como pesquisador-docente atua principalmente nos seguintes temas:
Cálculo Diferencial e integral, Geometria Analítica Vetorial, Princípios de Matemática, Matemática Básica,
Laboratório de Matemática e Ensino de Matemática na Escola

Jardel Pereira da Silva, Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC)
Mestre pelo PRODER ofertado Universidade Federal do Cariri (UFCA), sob a área de concentração
Interdisciplinar. Atualmente é servidor docente efetivo na Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC).
Tem experiência em Educação a distância, atuando como tutor presencial e a distância em cursos de
aperfeiçoamento e graduação pela Universidade Aberta do Brasil (UAB) em convênio com universidades
públicas do Ceará. É membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Estudos Regionais, História da Educação e
Políticas Educacionais (GERHEPE), este ao Centro de Educação da Universidade Regional do Cariri/URCA e ao
CNPQ. Desenvolve pesquisas com foco em Educação, Direitos Humanos e Desenvolvimento Sustentável

Referências

BAROLLI, E. Reflexão sobre o Trabalho dos Estudantes no Laboratório Didático. Tese apresentada junto ao curso de Pós-Graduação em Educação. Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação. São Paulo. 1998.

BARREIRO, A. C. M., BAGNATO, V. Instituto de Física e Química de São Carlos. São Paulo, SP. Aulas Demonstrativas nos Cursos Básicos de Física, Cad. Cat. Ens. Fis. Florianópolis. V. 9, n. 3: p. 238-244, dez. 1998.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BROOKE, Nigel; CUNHA, Maria Amália de A. A avaliação externa como instrumento da gestão educacional nos estados. Estudos & Pesquisas Educacionais – Fundação Victor Civita, 2011. Disponível em:

http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/avaliacao_externa_fvc.pdf. Acesso em: 22 abr. 2012.

COELHO, Maria Inês de Matos. Vinte anos de avaliação da educação básica no Brasil: aprendizagens e desafios. Ensaio: aval. Pol. Públ. Educ, Rio de Janeiro, v. 16, n. 59, p. 229- 258, abr./jun. 2008.

D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação matemática: da teoria à prática. 4. ed. Campinas/SP: Papirus, 1998.

D’AVILA, Ana R.L.N. Utilização de Materiais de Baixo Custo no Ensino de Física. Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista. Bauru, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Contagem Populacional. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

PAZ, F. M. da. O IDEB e a qualidade da educação do ensino fundamental: fundamentos, problemas e primeiras análises comparativas. 2008. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, 2008. Disponível em:http://intertemas.unitoledo.br/revista/index.php/ETIC/article/viewFile/1953/2082. Acesso em: 22 abr. 2012.

PONTE, João Pedro et al. Programa de Matemática do ensino básico. Lisboa: Ministério da Educação; DGIDC, 2007.

SEMANA, Silvia; SANTOS, Leonor. A avaliação e o raciocínio matemático. Portugal: Projeto AREA, 2011. Disponível em: http://area.fc.ul.pt/en/artigos%20publicados%20nacionais/avaliacao%20e%20raciocinio%20matematico.pdf Acesso em: 22 abr. 2012.

.

VIANNA, Heraldo Marelim. Avaliações Nacional em larga escala: análises e propostas. Estudos em Avaliação Educacional, n.27, jan./jun.2003. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1057/1057.pdf Acesso em: 06 maio 2012.

TERRAZAN, E.A. Ciência, Conhecimento e Cultura. Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria, RS, 1997.

ZORZAN, Adriana Salete Loss. Ensino-aprendizagem: algumas tendências na educação matemática. Revista Ciências Humanas Frederico Westphalen, v. 8, n. 10, p. 77 – 93, jun. 2007.

Publicado
06-08-2019
Como Citar
Souza, B. S. de, & Silva, J. P. da. (2019). ANALISE DE TEXTOS MATEMÁTICOS: IDENTIFICAÇÃO DE UMA PROBLEMÁTICAESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE PÚBLICA. @rquivo Brasileiro De Educação, 6(13), 46-59. https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2018v6n13p46-59