Formação continuada para professores de língua portuguesa: interação na base de uma proposta cooperativa?

  • Anderson Carnin Unisinos/Cnpq
  • Ana Maria de Mattos Guimarães Unisinos/Cnpq
Palavras-chave: Alfabetização semiótica, Processos comunicacionais, Escritas contemporâneas.

Resumo

Este artigo dedica-se à discussão da formação continuada de professores em uma perspectiva cooperativa. Para tanto, efetua a análise de um dos pilares do projeto de pesquisa “Por uma formação continuada cooperativa para o desenvolvimento do processo educativo de leitura e produção textual escrita no ensino fundamental”: a noção de interação e sua relação com o conceito de cooperação na formação continuada de professores. Problematiza-se a noção de cooperação no escopo desse projeto e produzem-se reflexões que permitem entender como a interação entre universidade e escola pode produzir novos espaços de interlocução e produção de conhecimento sobre a formação e o trabalho do professor e sua relação com a pesquisa acadêmica. A experiência discutida permite refletir sobre a (re)significação de propostas de formação continuada docente na área de ensino de língua portuguesa a partir do modelo proposto.

Biografia do Autor

Anderson Carnin, Unisinos/Cnpq

Doutor em Linguística Aplicada (Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS/Capes), com estágio de doutoramento sanduíche em didática da escrita no Centro de Investigação "Didática e Tecnologia na Formação de Formadores" (CIDTFF) da Universidade de Aveiro/Portugal. Possui mestrado em Linguística Aplicada (UNISINOS/Capes) e graduação em Letras - Habilitação Língua Portuguesa (Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de português como língua materna, gêneros de texto, elaboração de material didático, agir docente e formação inicial/continuada de professores. Realiza, atualmente, estágio de pós-doutoramento na Unisinos, com bolsa PDJ-Cnpq.
Ana Maria de Mattos Guimarães, Unisinos/Cnpq
Graduada em Letras Português/Francês pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (1970), realizou mestrado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979) e doutorado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1990). Atualmente é professora titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, no Programa de Pós -Graduação em Linguística Aplicada. Ocupa o posto de Decana da Escola de Indústria Criativa: Comunicação, Design e Linguagens.Tem experiência nas áreas de Linguística e Linguística Aplicada, com ênfase em aquisição e desenvolvimento de linguagem e ensino-aprendizagem de língua materna. Suas pesquisas atuais estão ligadas ao uso dos gêneros textuais na aprendizagem de língua materna, à elaboração de material didático baseado no conceito de gênero textual e a análises do trabalho educacional. Tem se preocupado em analisar o agir docente em salas de aula de Língua Portuguesa, sobretudo as interações professor / alunos.

Referências

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2006.

CARNIN, Anderson. Na escrita do professor, um percurso possível para a análise do (seu) desenvolvimento profissional. 2015. 140 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Unisinos, São Leopoldo, RS, 2015.

CELANI, Maria Antonieta Alba (Org.). Professores e formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002.

DAMIANI, Magda Floriana; PORTO, Tânia Maria Esperon; SCHLEMMER, Eliane. Apresentação. In: DAMIANI, Magda Floriana; PORTO, Tânia Maria Esperon; SCHLEMMER, Eliane. (Org.). Trabalho colaborativo/cooperativo em educação: uma possibilidade para ensinar e aprender. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2009. p. 7-18.

DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECÂNDIO, Fabrício. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michèle; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

DREY, Rafaela Fetzner. O processo inicial de competência profissional docente: por uma análise multimodal do trabalho real/concretizado. 2011. 224f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Unisinos, São Leopoldo, RS, 2011.

FRANZ, Walter. Prefácio à segunda edição. In: ANDRIOLI, Antônio Inácio. Trabalho coletivo e educação. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2007. p. 19-25.

GIMENEZ, Telma. (Org.). Os sentidos do Projeto NAP – ensino de línguas e formação continuada do professor. Londrina: Editora UEL, 1999.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos et al. Por uma formação continuada cooperativa para o desenvolvimento do processo educativo de leitura e produção textual escrita no Ensino Fundamental. Projeto de Pesquisa (mimeografado), São Leopoldo, 2009.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos. Formação de professores: entre o acadêmico e o profissional. In: ENCONTRO PROCAD/CASADINHO UFMG- UNISINOS, 2., Belo Horizonte, 2014.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos.; KERSCH, Dorotea Frank. A caminho da construção de projetos didáticos de gênero. In: GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos; KERSCH, Dorotea Frank (Org.). Caminhos da construção: projetos didáticos de gênero na sala de aula de língua portuguesa. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012b. v. 1, p. 21-44.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos. Construindo propostas de didatização de gênero: desafios e possibilidades. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão/Unisul, v. 6, n. 5, set./dez. 2006.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos. Gêneros textuais e ensino de língua materna: entre o caminho e a pedra. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 2, p. 421-438, 2010.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos; CARNIN, Anderson; KERSCH, Dorotea Frank Caminhos da construção: reflexões sobre projetos didáticos de gênero. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2015.

GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos; KERSCH, Dorotea Frank. Caminhos da construção: projetos didáticos de gênero na sala de aula de língua portuguesa. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012a.

KEMMIS, Stephen. Action Research. In: KEEVES, John P. Education Research, Methodology and Measurement: an international handbook. Oxford: Elsevier, 1997.

KERSCH, Dorotea Frank; GUIMARÃES, Ana Maria de Mattos. A construção de projetos didáticos de leitura e escrita como resultado de uma proposta de formação continuada cooperativa. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 12, p. 533-556, 2012.

KLEIMAN, Angela B. O processo de aculturação pela escrita: ensino da forma ou aprendizagem da função? In: KLEIMAN, Angela B.; SIGNORINI, Inês (Org.). O ensino e a formação do professor: alfabetização de jovens e adultos. Porto Alegre: Artmed. 2000. p. 223-243.

LIBERALI, Fernanda Coelho. Formação Crítica de Educadores: Questões Fundamentais. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 2012.

MAGALHAES, Maria Cecília Camargo (Org.). A formação do professor como um profissional crítico: linguagem e reflexão. 2. ed. Campinas, SP.: Mercado de Letras, 2009.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thaís Helena dos. Professor reflexivo. In: Dicionário Interativo da Educação Brasileira – EducaBrasil. São Paulo: Midiamix, 2002. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp?id=442>. Acesso em: 29 abr. 2012.

PEREIRA, Regina Celi Mendes. Ações de linguagem e prática docente: desafios e avanços na formação continuada. In: PEREIRA, Regina Celi Mendes (Org.). Ações de linguagem: da formação continuada à sala de aula. João pessoa: Editora Universitária UFPB, 2010. p. 17-33.

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004.

SCHÖN, Donald A. Educando o profissional reflexivo, um novo design para o ensino e a aprendizagem. Artmed: Porto Alegre, 2000.

TINOCO, Glícia Azevedo. Mundos de letramento de professores em formação no agreste rio-grandense. In: OLIVEIRA, Maria do Socorro; KLEIMAN, Angela B. (Org.). Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal: EDUFRN, 2008. p. 63-89.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A Construção do Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

WELLS, Gordon. “La unión de las dimensiones sociales, intelectuales y afectivas de la educación para transformar la sociedad”. In: ALCALDE, Ana Isabel et al. Transformando la escuela: las comunidades de aprendizaje. Barcelona: Editorial Grao, 2006. p. 19-28.

ZEICHNER, Kenneth M. Uma Análise Crítica sobre a “Reflexão” como Conceito Estruturante na Formação Docente. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>.

Publicado
28-01-2016
Como Citar
Carnin, A., & Guimarães, A. M. de M. (2016). Formação continuada para professores de língua portuguesa: interação na base de uma proposta cooperativa?. Scripta, 19(36), 241-262. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2015v19n36p241
Seção
Dossiê interação, formação e ação profissional