O intervalo Escola-Universidade: mais do que uma questão genérica

  • Cristina Becker Lopes Perna Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras https://orcid.org/0000-0002-9638-1180
  • Lucas Zambrano Rollsing Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras
  • Rafael Padilha Ferreira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras
Palavras-chave: Português para fins acadêmicos, Gêneros acadêmicos, Letramento acadêmico,

Resumo

O presente artigo almeja trazer à agenda das discussões sobre letramento na universidade a lacuna existente entre o ensino e a aprendizagem de gêneros escolares e de gêneros acadêmicos. Nossa inquietação é fruto de uma preocupação com os alunos ingressantes em instituições de ensino superior que não tiveram uma experiência escolar com vistas a uma prática social de letramento acadêmico. A partir do tema proposto, refletimos sobre como a teoria dos gêneros discursivos, bem como sua aplicabilidade, auxilia no desenvolvimento do letramento acadêmico desses alunos universitários. A proficiência, ou inserção, na esfera discursiva acadêmica está muito relacionada com a competência genérica que o aluno deve possuir para assegurar sua comunicação de forma a alcançar seu status de sujeito discursivo e transformador. Portanto, defendemos que, aliada à análise de gêneros discursivos acadêmicos, a metodologia de ensino de Português para Fins Acadêmicos, aos moldes da consagrada área de Inglês para Fins Acadêmicos (English for Academic Purposes), pode, em muito, contribuir para se criar uma tradição de letramento acadêmico que propicie ao estudante uma experiência mais significativa não somente na sua esfera acadêmica, mas também no domínio discursivo do qual ele venha a participar, uma vez egresso da universidade e apto para atuar na sua profissão.

Biografia do Autor

Cristina Becker Lopes Perna, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras
Bacharel em Letras Português-Inglês-Francês (1981) e Licenciada em Letras Português-Inglês (1982) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Possui especialização em Línguística Aplicada ao Inglês (PUCRS, 1983), Mestrado em Letras (PUCRS, 1990) e Doutorado em Letras (PUCRS, 2003), com estágio de doutorado-sanduíche na Indiana State University (EUA) e pós-doutorado na Newcastle University - Inglaterra (Estágio Sênior Capes).Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Ensino de Linguística, Língua Inglesa e Língua Portuguesa como Língua Adicional, atuando principalmente nos seguintes temas: Aquisição de Língua Inglesa e Língua Portuguesa; Pragmática; Aspectos Cognitivos envolvidos na Aprendizagem de L2 e na tradução. É professora-titular da Escola de Humanidades (Letras) e do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS, no qual coordena o grupo de pesquisa sobre o Uso e Processamento de Língua Adicional (UPLA). É Editora Chefe da Revista BELT+ (Brazilian English Language Teaching Journal), que possui Qualis B2 e atua como Tradutora Público-Juramentada em Inglês-Português, pela Junta Comercial do Rio Grande do Sul. Coordena as Provas de Proficiência em Língua Estrangeira dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação da PUCRS, além de atuar como Coordenadora de Relacionamento do Lexis, o Centro de Idiomas da PUCRS.
Lucas Zambrano Rollsing, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Mestrando em Linguística do Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bolsista CAPES.

Rafael Padilha Ferreira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades - Programa de Pós-Graduação em Letras

Mestrando em Linguística do Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades
da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bolsista CNPq.

Referências

ARAÚJO, Antonia Dilamar. Gêneros textuais acadêmicos: reflexões sobre metodologias de investigação. Revista de Letras, v.1/2, n.26, 21-27, 2004.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Org., trad., posfácio e notas de Paulo Bezerra. Notas da edição russa de Serguei Botcharov. Editora 34, Rio de Janeiro, 2016.

BIBER, Douglas. University Language: a corpus-based study of spoken and written registers. Philadelphia, John Benjamins, 2006.

BRONCKART, Jean Paul. Atividades de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sócio-discursivo. Trad.: A. R. Machado e P. Cunha. EDUC, São Paulo, 1999.

FISCHER, Adriana. Letramento acadêmico: uma perspectiva portuguesa. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v.30, n.2, 177-187, 2008.

FLOWERDEW, John; PEACOCK, Matthew. Research perspectives on English for Academic Purposes. Cambridge University Press, Cambridge, 2001.

HYLAND, Ken. English for academic purposes: an advanced resource book. Routledge, Londres/Nova York, 2006.

JORDAN, R. R. English for academic purposes: a guide and resource book for teachers. Cambridge University Press, Cambridge, 1997.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. Trad. Maria C. Souza-e-Silva e Décio Rocha. 6.ed., Cortez, São Paulo, 2013.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. Parábola Editorial, São Paulo, 2008.

MOLSING, K. & PERNA, C. The pronominal use of –se in Brazilian Portuguese academic writing. No prelo.

MORO, Beatriz Ilibio. Advérbios de posicionamento em textos escritos de português acadêmico. 2014. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

PRESOTTO, Letícia. Metáforas no português acadêmico. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SANTOS, Sheila Nunes dos. 2015. Uma análise dos substantivos como marcadores de posicionamento em artigos acadêmicos em língua portuguesa. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

SCHEPERS, Bruna Milano. Transferência de estratégias de hedging: um estudo contrastivo entre o português brasileiro e o inglês. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. - 1. ed., Parábola Editorial, São Paulo, 2014.

STREET, Brian. Academic Literacies approaches to Genre?. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v.10, n.2, 347-361, 2010.

YUQI, Sun. 2015. Hedgings em textos acadêmicos: uma perspectiva de aquisição de L3. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

Publicado
22-12-2017
Como Citar
Perna, C. B. L., Rollsing, L. Z., & Ferreira, R. P. (2017). O intervalo Escola-Universidade: mais do que uma questão genérica. Scripta, 21(43), 148-164. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2017v21n43p148
Seção
2º eixo: Dispositivos e recursos no ensino a distância e/ou presencial