Enunciação e sentidos: implicações para a revisão de textos

Palavras-chave: Enunciação. Acontecimento. Sentidos. Revisão de textos.

Resumo

Resumo: Entendo a revisão de textos como uma prática que se constitui, basicamente, a partir de uma atividade de interpretação. Como tal, a revisão de textos demanda atenção aos sentidos, que se movem à medida que fazemos intervenções no texto original. Toda alteração implica uma mudança, mesmo que sutil, de sentidos. Curiosamente, não é muito comum encontrar reflexões acerca das implicações semânticas da prática de revisão de textos. Tomando a interpretação como constitutiva da prática de revisão, pretendo refletir, numa perspectiva enunciativa, sobre aspectos enunciativos resultantes de intervenções realizadas em um texto. Para isso, assumo como perspectiva teórica a Semântica da Enunciação, desenvolvida por Eduardo Guimarães, e utilizo alguns conceitos da Análise do Discurso de orientação pecheutiana. Tomo como corpus para análise intervenções de um revisor/editor em um artigo de minha autoria.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rivânia Maria Trotta Sant'Ana, Universidade Federal de Ouro Preto

Sou Mestra em Literatura Brasileira, linha de pesquisa Historiografia Literária, e Doutora em Estudos da Linguagem, linha de pesquisa Teorias do Texto e do Discurso, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora Associada da Universidade Federal de Ouro Preto, tenho me dedicado ao ensino de disciplinas relacionadas a leitura, produção e revisão de textos, e semântica.

Referências

CESAR, Guilhermino. Os verdes da Verde. Texto de apresentação da edição fac-similar da revistaVerde. São Paulo: Metal Leve, 1978, s/p.

CHAVES, Wilson Camilo. Considerações a respeito do conceito de real em Lacan. Psicologia emEstudo, Maringá, v. 14, n. 1, p. 41-46, jan./mar., 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.

php?script=sci_arttex&pid=S1413-73722009000100006&Ing=en&nrm=iso. Acesso em: 14 fev.

DICIONÁRIO ONLINE DE LÍNGUA PORTUGUESA. Portar. Disponível em: <https://www.dicio.

com.br/portar/>. Acesso em: 16 fev. 2016.

HOUAISS. DICIONÁRIO HOUAISS da Língua. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2007.

FERREIRA, Maria Cristina L. Saussure, Chomsky, Pêcheux: a metáfora geométrica do dentro/fora

da língua. Linguagem & Ensino, v. 2, n. 1, p. 123-137, 1999..

GUIMARÃES, Eduardo J. Texto e enunciação. Organon - Revista do Instituto de Letras da

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, v. 9, n. 23, p. 63-67, 1995.

GUIMARÃES, Eduardo J. Semântica do Acontecimento: um estudo designativo da designação. 2.

ed. Campinas: Pontes, 2005.

JAMAL, Ângela M. A. L.; DALMACHIO, Luciani. A leitura e seus efeitos de sentido: uma perspectiva

de análise. In: Anais do SILEL, v. 2, n. 2, Uberlândia: EDUFU, 2011.

LEITE, Nina Virgínia de A. O acontecimento na estrutura. O Real da língua na teorização sobreo discurso: a hipótese sobre o inconsciente. Tese (Doutorado em Linguística) - Programa de Pós-Graduação em Linguística, Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas

- UNICAMP, sob a orientação do Prof. Dr. Eduardo Roberto Junqueira Guimarães, Campinas,1993.

MILNER, J. C. Introduction à une Science du language. Paris, Éd. Du Seuil, 1989.

NESTROVSKI, Arthur. Edição como interpretação. In. NESTROVSKI, Arthur. Ironias da

modernidade. São Paulo: Ática, 1996. p. 95-99.

ORLANDI, Eni Pulccinelli. A leitura e os leitores. 2. ed. Campinas, SP: Pontes, 2003.

ORLANDI, Eni Pulccinelli. Discurso e leitura. 3. ed. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da

Universidade Estadual de Campinas, 1996.

ORLANDI, Eni Pulccinelli. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. 3. ed. Campinas,

SP: Pontes Editores, 2008.

ORLANDI, Eni Pulccinelli. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 5. ed.

Campinas, SP: Pontes Editores, 2007.

SANT’ANA, Rivânia Maria Trotta; GONÇALVES, José Luiz Vila Real. Reflexões acerca das práticas

de tradução e revisão de textos e de parâmetros para a formação de tradutores e revisores. Scripta,

Revista do Programa de Pós-graduação em Letras e do Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros da

PUC Minas, v. 14, n. 26, primeiro semestre de 2010.

VANIER, A. Lacan. São Paulo: Estação da Luz, 2005, apud CHAVES, Wilson Camilo. Considerações

a respeito do conceito de real em Lacan. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 1, jan./mar.,

, p. 41-46, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttex&pid=S1413-

&Ing=en&nrm=iso> Acesso em: 14 fev. 2016.

Publicado
24-05-2019
Como Citar
Trotta Sant’Ana, R. M. (2019). Enunciação e sentidos: implicações para a revisão de textos. Scripta, 23(47), 179-188. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2019v23n47p179-188