Contextos sintáticos e desvios de concordância nominal em português língua estrangeira

  • Diocleciano Nhatuve Universidade do Zimbabwe (Leitor) / Universidade de Coimbra (Doutorando)
Palavras-chave: Concordância nominal, Contextos e funções sintáticas, Aprendentes de PLE

Resumo

O objetivo deste estudo é identificar os contextos e as funções sintáticas em que ocorrem índices elevados de concordância nominal desviante e os aspectos psicocognitivos, sociais e linguísticos que favorecem os comportamentos de aprendentes de português língua estrangeira (PLE). O estudo é conduzido com base nos princípios de primazia do significado no processamento do input e de aprendizagem tardia de línguas. A base empírica é constituída por estruturas sintáticas desviantes de 10 grupos de aprendentes de português em universidades africanas, asiáticas e europeias. A análise qualitativa e quantitativa indica que, na maioria dos grupos, os desvios ocorrem em sintagmas nominais com as funções de objeto direto, em complementos de preposições e em predicativo de sujeito. Entretanto, o comportamento diferente de aprendentes coreanos e alemães leva-nos a considerar, entre outros aspectos, a ordem das palavras de cada língua como um dos factores determinantes para a ocorrência de desvios em determinados contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diocleciano Nhatuve, Universidade do Zimbabwe (Leitor) / Universidade de Coimbra (Doutorando)

Natural de Moçambique. 

Leitor de Português na Universidade do Zimbabwe

Doutorando em Língua Portuguesa: Investigação e Ensino (Universidade de Coimbra)

Mestre em Ciencias da Linguagem e Cominicação (Universidade de Évora)

Lincenciado em Ensido de Português (Universidade Eduardo Mondlane)

Áreas de investigação: Ensino de PLE; Gramática de Português; Linguística Textual

Referências

BLOCK, R. German grammar in English for international students. München: University of Applied Sciences, 2013.

BYON, A. Basic Korean: a grammar and workbook. New York: Routledge, 2009.

CORBETT, G. Grammatical gender. In: BROWN, K. (Ed.). Encyclopedia of language and Linguisics. 2. ed. Oxford: Elsevier, 2006a. v. 4, p. 749-756.

CORBETT, G. Number. In: BROWN, K. (Ed.). Encyclopedia of language and Linguisics. 2. ed. Oxford: Elsevier, 2006b. v. 4, p. 724-731.

CORBETT, G. Agreement, the range of the phenomenon and the principles of the Surry database of agreement. Transcriptions of the philosophical society, [s. l.], v. 101, n. 2, p. 155-202, 2003. Disponível em: <https://doi.org/10.1111/1467-968X.00117>. Acesso em: 6.7.2020.

CORBETT, G. Grammatical relations in a typology of agreement systems. In: ARGUMENT structure and grammatical relations: a crosslinguistic typology. Studies in language companion series, 126, XV. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2012. p. 37-54.

DUARTE, I. Língua portuguesa: instrumento de análise. Lisboa: Universidade Aberta, 2000.

FERREIRA, T. S. A marcação de gênero nominal em português língua não-materna: padrões na aquisição/aprendizagem. In: CARAPINHA, C.; SANTOS, I. A. (Coord.). Estudos de Linguística. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2013. v. II, p. 77-92.

FERREIRA, T. S. Aquisição/Aprendizagem do sistema de atribuição do gênero nominal em PLNM. 2019. 351 f. Tese (Doutorado em Linguística do Português) - Universidade de Coimbra, Coimbra, 2019.

GASS, S. M. Language transfer and universal grammatical relations. Language Learning, [s. l.], v. 29, n. 2, p. 327-344, 1979. Disponível em: <https://doi.org/10.1111/j.1467-1770.1979.tb01073.x>. Acesso em: 6.7.2020.

GASS, M.; SELINKER, L. Second language acquisition: an introductory cours. New York and London: Routledge, 2008.

GONÇALVES, P. Tipologia de ‘erros’ do português oral de Maputo: um primeiro diagnóstico. In: STROUD, C.; GONÇALVES, P. (org.). Panorama do português oral de Maputo. Maputo: Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação, 1997. v. II: A construção de um banco de “erros”, p. 37-67.

HASHEMNEZHAD, H.; ZANGALANI, S. K. Input processing and processing instruction: definitions and issues. International Journal of Applied Linguistics & English Literature, [s. l.], v. 2, n. 1, p. 23-28, 2013.

INVERNO, L. Contact-induced restructuring of Portuguese morphosyntax in interior Angola: evidence from Dundo (Lunda Norte). 2009. 474 f. Tese (Doutoramento em Linguística Portuguesa. - Universidade de Coimbra, Coimbra, 2009.

KRASHEN, S. Second language acquisition and second language learning. New York: Pergamon Press, 1981.

KRASHEN, S. The input hypothesis: issues and implications. UK: Longman, 1985.

KRASHEN, S. Second language acquisition: theory, applications and some conjectures. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

LUCCHESI, D. A concordância de gênero. In: LUCCHESI, D.; BAXTER, A.; RIBEIRO, I. (org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 295-318.

MADEIRA, A. Aquisição de língua não materna. In: FREITAS, M. J.; SANTOS, A. L. (Ed.). Aquisição de língua materna e não materna: questões gerais e dados do português. Berlin: Language Science Press, 2017. p. 305-330. (Textbooks in Language Sciences, 3).

MARIOTTO, E. M. C. Processamento da concordância de género por aprendentes de português como língua estrangeira: evidências de um estudo de leitura automonitorada. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura Portuguesa) - Universidade de Lisboa, Lisboa, 2014.

MARIOTTO, E.; LOURENÇO-GOMES, M. C. Análise de erros na escrita relacionados à aprendizagem da concordância de gênero por falantes nativos do inglês, aprendentes de português europeu como língua estrangeira. In: SIMPÓSIO MUNDIAL DE ESTUDOS DE LÍNGUA PORTUGUESA (SIMELP), Língua portuguesa: ultrapassando fronteiras, unindo culturas, 4., 2013, Goiânia. Anais... Goiânia: Faculdade de Letras/UFG, 2013. p. 1.278-1.285.

MARTINS, C. Línguas em contacto. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2008. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0433-6>. Acesso em: 30.06.2020.

MARTINS, C. Número e gênero nominais no desenvolvimento das interlínguas de aprendentes do português europeu como língua estrangeira. Revista Científica da UEM: Série Letras e Ciências Sociais, [s. l.], v. 1, n. 1, p. 26-51, 2015.

MARTINS, C. O papel diferenciado de subsistemas de memória de longo prazo nos processos de aquisicão e de aprendizagem de uma L2: o modelo declarativo/procedimental e as suas consequências para o ensino de línguas não maternas. In: CORRÊA-CARDOSO, J.; FIALHO, M. C. (org.). A linguagem na pólis. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2016. p. 99-120. Disponível em: <https://doi.org/10.14195/978-989-26-1115-0_4>. Acesso em:30.7.2020.

MIGUEL, M.; MENDES, A. Syntactic and semantic issues in sequences of the type (adjective)-noun-(adjective). Journal of Portuguese Linguistics, [s. l.], v. 12, n. 2, p. 151-156, 2013.

MOTA, M. A. A categoria gramatical gênero, nos nomes e adjetivos do Português: algumas reflexões. Diadorim, Especial, Rio de Janeiro, p. 150-164, 2016a.

MOTA, M. A. Morfologia nas interfaces. In: MARTINS, A. M.; CARRILHO, E. (Ed.). Manual de Linguística Portuguesa. Berlin/Boston: De Gruyter, 2016b. p. 156-177.

NHATUVE, D. Aspectos de concordância nominial em português língua estrangeira por falantes de língua materna Bantu (Shona) e de Inglês língua segunda. 2019. 376 f. Tese (Doutoramento em Linguística do Português) - Universidade de Coimbra, Coimbra, 2019.

NHATUVE, D.; BWETENGA, T. R. Configuração do valor de número gramatical em português língua estrangeira: interlíngua ou problemas intrínsecos da língua portuguesa?. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 21, n. 1, p. 5-33, 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10. 15210/rle.v21i1.15152>. Acesso em: 6.7.2020.

PEREIRA, I.; MARTINS, C. Metodologias de ensino de PLS à medida dos aprendentes. In: MATEUS, M. H. M. et al. (org.). Metodologias e materiais para o ensino do português como língua não materna. Lisboa: ILTEC, 2009. p. 31-37.

PERES, J.; MÓIA, T. Áreas críticas da língua português. Lisboa: Caminho, 1995.

PINTO, J. A aquisição de português LE por alunos marroquinos: dificuldades interlinguísticas. In: CONGRESO INTERNACIONAL SEEPLU, Difundir la lusofonia, 2., Cáceres, 2012. Atas. Cáceres: SEEPLU/CILEM/LEPOLL, 2012. p. 217-239.

PINTO, J. A aquisição do gênero e da concordância de gênero em português língua terceira ou língua adicional. In: OSÓRIO, P. (Coord.). Teorias e usos linguísticos. Lisboa: Lidel, 2017. p. 91-110.

RIO-TORTO, G. Classes gramaticais: sua importância para o ensino da morfossintaxe. Máthesis, [s. l.], v. 10, p. 259-286, 2001.

SCHERRE, M. M. P. Aspectos da concordância de número no português do Brasil. Revista Internacional de Língua Portuguesa (RILP) - Norma e variação do português, [s. l.], p. 37-49, 1994.

VANPATTEN, B. Processing instruction: theory, research, and commentary. Mahwah, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2004.

VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. Tipologia de regras linguísticas e estatuto das variedades/línguas: a concordância em português. Linguística, [s. l.], v. 30, p. 82-112, 2014.

VILLALVA, A. Estruturas morfológicas: unidades e hierarquias nas palavras de português. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1994.

VILLALVA, A. Estruturas morfológicas básicas. In: MATEUS et al. Gramática da língua portuguesa. Lisboa: Caminho, 2003. p. 917-978.

WEBER, A.; MÜULLER, K. Word order variation in German main clauses: a corpus analysis. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON COMPUTATIONAL LINGUISTICS, 20., Geneva, 2004. Proceedings. Geneva, Switzerland, 2004. p. 71-77.

WEINREICH, U. Languages in contact. Findings and problems (Publications of the Linguistic Circle of New York 1). New York: Linguistic Circle of New York, 1953.

Publicado
29-06-2021
Como Citar
Nhatuve, D. (2021). Contextos sintáticos e desvios de concordância nominal em português língua estrangeira. Scripta, 25(53), 233-266. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n53p233-266