O dispositivo literatura no livro didático: reflexão pós-pandemia

  • Luiz Renato de Souza Pinto IFMT
  • José Vinicius da Costa Filho IFMT
Palavras-chave: Dispositivo, Livro didático, Crise sanitária

Resumo

O que esperar da literatura no livro didático em face das novas realidades? Este artigo desenvolve reflexões sobre o dispositivo de literatura no livro didático, considerando o novo cenário pós-pandemia. Privilegia-se o diálogo com a pesquisa de Pimentel (2018) para sustentar a reflexão proposta. A metodologia qualitativa utiliza a ferramenta descritiva e de revisão bibliográfica para situar e desenvolver o objetivo da pesquisa. Resultados apontam que as relações de poder que atravessam a busca do conhecimento podem ser diminuídas com a criação de políticas públicas na área de educação, bem como de investimentos na cadeia produtiva do livro. Além disso, sinaliza para a necessidade de se melhorar os índices de interpretação das fontes e da produção discursiva, advindas de melhorias das relações docentes/discentes em nosso país. O artigo agrega à agenda de pesquisa ao destacar o dispositivo literatura no livro didático como ferramenta que contribui para contornar criticamente a realidade pós-pandêmica, marcada pela pós-verdade e fake news.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Renato de Souza Pinto, IFMT

Possui Graduação em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (2001), Mestrado em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (2005) e Doutorado em literaturas de língua portuguesa pela UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Atualmente é efetivo do Instituto Federal de Mato Grosso, trabalhando no Campus Octaíde Jorge da Silva, de Cuiabá - MT. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: Mato Grosso, Literatura, Leitura, Poesia, Literatura Negro-brasileira e Cultura. Como historiador pesquisa a obra de José de Mesquita, presidente da Academia de Letras de Mato Grosso por mais de quarenta anos. É estudioso do novo romance histórico brasileiro, especialmente a obra de Ana Miranda. Atua também na área de crônicas sobre autores e obras de literatura contemporânea, ministrando cursos de Literatura com ênfase em Escrita Criativa.

José Vinicius da Costa Filho, IFMT

Atualmente é Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Mato Grosso. Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (2019), mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (2013), especialista em Gestão Pública pelo Instituto Cuiabano de Educação (2009), graduado em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso (2009), cursando Formação Pedagógica para Graduados não Licenciados pelo Instituto Federal de Mato Grosso (2018). Tem experiência na área de Direito, Ciência Política e Gestão Pública.

Referências

ABAURRE, Maria Luzia M.; ABAURRE, Maria Bernadete M.; PONTARA, Marcela. Português: contexto, interlocução e sentido. 3. ed. São Paulo: Moderna. 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto-Lei nº 93, de 21 de dezembro de 1937. Cria o Instituto Nacional do Livro. 1937.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 1996.

BUARQUE DE HOLANDA, Chico. Iracema voou. In: BUARQUE DE HOLANDA, Chico. Chico ao vivo. Rio de Janeiro: Universal. 1998. CD duplo.

CHOPPIN, Alain. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, [s. l.], v. 30, n. 3, p. 549-566, 2004.

DIEHL, Astor Antônio. A cultura historiográfica brasileira: do IGHB aos anos 1930. Passo Fundo: Ediupf, 1998.

DUNKER, Christian. Subjetividade em tempos de pós-verdade. In: DUNKER, Christian et al. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017. p. 09-41.

FILGUEIRAS, Juliana Miranda. As avaliações dos livros didáticos na Comissão Nacional do Livro Didático: a conformação dos saberes escolares nos anos de 1940. Revista Brasileira de História da Educação, [s. l.], v. 13, n. 1 [31], p. 159-192, jan.-abr. 2013.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 13. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

HORIKAWA, Alice Yoko; JARDILIN, José Lima. A formação de professores e o livro didático: avaliação e controle dos saberes escolares. Rev. Lusófona de Educação, Lisboa, n. 15, p. 147-162, 2010.

KOGAWA, João; TEIXEIRA, Maria Aline Plácido. A polêmica de uma escola sem partido: pelo sim/pelo não à doutrinação. Revista Olhares, Guarulhos, v. 8, n. 1, abr. 2020.

MOURA, Sérgio Arruda de; BETTA, Thiago Eugênio Loredo. O livro didático enquanto política pública e gênero discursivo em circulação no Brasil. Revista Científica Internacional, [s. l.], v. 11, n. 2, art. 7, abr.-jun. 2016.

PIMENTEL, Paulo Sesar. O dispositivo literatura no livro didático. 2018. 148 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - UFF, Niterói, 2018.

SANTOS, Boaventura da Silva. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SAVIANI, Dermeval. Histórias das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2019.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SILVA, Marco Antônio. A fetichização do livro didático no Brasil. Educ. Real., Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 803-821, set.-dez. 2012.

WENDT, Wanessa Tag. A república nos livros didáticos de História da Era Vargas (1938 - 1945). 2015. 149 f. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

ZACHEU, Aline Aparecida Pereira; CASTRO, Laura Laís de Oliveira. Dos tempos imperiais ao PNLD: a problemática do livro didático no Brasil. In: JORNADA DO NÚCLEO DE ENSINO DE MARÍLIA, 14., Marília - SP, UNESP, 2015. p. 1-12.

ZAMBON, Luciana Bagolin; TERRAZZAN, Eduardo Adolfo. Políticas de material didático no Brasil: organização dos processos de escolha de livros didáticos em escolas públicas de educação básica. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 94, n. 237, p. 585-602, ago. 2013.

Publicado
29-06-2021
Como Citar
Pinto, L. R. de S., & Costa Filho, J. V. da. (2021). O dispositivo literatura no livro didático: reflexão pós-pandemia. Scripta, 25(53), 652-678. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n53p652-678