O mundo em uma sala — quando o português chama

  • Pietra Da Ros Universidade Feevale
  • Lovani Volmer Universidade Feevale
  • Rosemari Lorenz Martins Universidade Feevale
Palavras-chave: Língua Portuguesa, Português como língua de acolhimento, Refugiados e migrantes, Identidade, Extensão universitária

Resumo

Este estudo embasa-se na concepção de língua enquanto prática social e considera-a fator determinante para a inserção social e sinônimo de identidade. Nesse sentido, pretende discutir, com base em atividades realizadas com migrantes e refugiados em um projeto de extensão universitária - “O Mundo em XX: refugiados e migrantes – uma questão de Direitos Humanos” -, a importância da língua como acolhimento e construção de identidade.  Para tanto, contextualiza-se o Projeto e seus atores, assim como o ambiente multicultural e multilíngue em que são desenvolvidas as oficinas, em especial as de Língua Portuguesa, em uma perspectiva dialógica, com foco na comunicação como facilitadora para a realização das demais atividades e como premissa para a constituição identitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pietra Da Ros, Universidade Feevale

Universidade Feevale, graduanda de licenciatura em Letras – Português/Inglês, bolsista do projeto CEDUCA DH.

Lovani Volmer, Universidade Feevale

Universidade Feevale, doutora em Letras, com ênfase em Leitura e Linguagens, professora dos cursos de Letras e Pedagogia, professora extensionista nos projetos CEDUCA DH, Da Rua ParaNoia e Jovem Aprendiz Feevale.

Rosemari Lorenz Martins, Universidade Feevale

Universidade Feevale, doutora em Letras, professora do programa em Diversidade Cultural e Inclusão Social e do Curso de Letras.

Referências

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. O Português como língua não-materna: concepções e contexto de ensino. Museu da Língua Portuguesa: Estação da Luz, 2005. Disponível em: <http://museudalinguaportuguesa.org.br/wp-content/uploads/2017/09/ENSINO-COMO-LINGUA-NAO-MATERNA.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2021.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. ed. Trad. P. Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BIGGS, John.; TANG, Catherine. Teaching for Quality Learning at University. 3a. ed. The Society for Research into Higher Education & Open University Press. 2007.

BUORS, Paule; LENTZ, François. Les littéracies multiples: un cadre de référence pour penser l’intervention pédagogique en milieu francophone minoritaire. Cahiers Franco-Canadiens de l’Ouest, vol. 21, n. 1-2, p. 127-150. Presses Universitaires de Saint Boniface, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

SANTOS, Camille Anjos de Oliveira; SILVA, Carla Cristie de França; OLIVEIRA, Ana Beatriz Cunha Maia de. Formação de professores: o desafio da prática. Formação de professores: contextos, sentidos e práticas, 2015. p. 1-13. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/23961_13445.pdf. Acesso em: 04 mar. 2021.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

Publicado
29-06-2021
Como Citar
Da Ros, P., Volmer, L., & Martins, R. L. (2021). O mundo em uma sala — quando o português chama. Scripta, 25(53), 98-119. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n53p98-119