O Tio Sam de olho no Brasil: análise da visão dos think tanks estadunidenses sobre a política externa brasileira nos BRICS (2009-2016)

Uncle Sam looking toward Brazil: representations of US think tanks regarding Brazil’s international performance in the BRICS (2009-2016)

  • Luciana Wietchikoski UFRGS
Palavras-chave: BRICS, Think Tanks, Política Externa do Brasil, Construtivismo, Análise de Conteúdo

Resumo

O presente artigo analisa as representações dos think tanks estadunidenses a respeito da atuação internacional do Brasil através do BRICS durante as presidências de Lula da Silva e Dilma Rousseff. Entre os anos de 2003 a 2016 o Brasil desenvolveu uma política externa voltada a elevar sua relevância internacional. Como uma das estratégias centrais utilizadas para ampliar sua participação nas principais decisões de cunho multilateral bem como firmar-se como liderança do Sul Global, o país se envolveu na formação, com outros atores intermediários e reemergentes, do BRICS. Marcando uma grande inovação das relações internacionais no início do século XXI, a coalizão passou a ser uma referência à identificação das intenções e do potencial de influência desses novos atores no sistema internacional. Nesse contexto, buscamos reconhecer quais foram as opções estratégicas em relação a atuação do Brasil através do BRICS circulantes no ambiente político dos EUA, particularmente junto aos think tanks. A partir da análise de conteúdo verificamos que, para a grande maioria dos articulistas, o Brasil foi definido com um ator pouco comprometido com a manutenção do ordenamento internacional. Segundo essa visão, o Brasil questionava a posição dos EUA e atuava ao lado de países violadores dos direitos humanos e da democracia.

 

Biografia do Autor

Luciana Wietchikoski, UFRGS

Graduada em História pela UPF, mestre e doutora em Ciência Política pela UFRGS. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Estudos Estratégicos e Política Internacional Contemporânea da UFSC. Orcid: 0000-0002-1629-4387.

Referências

BATE, Roger. BRICS want to fight tuberculosis Roger Bate. American Enterprise Institution, Washington, DC, February 5, 2013. Disponível em: < https://www.aei.org/publication/brics-want-to-fight-tuberculosis/>. Acesso em 18 de maio 2016.

BROMUND, Ted. Problems Brewing for the BRICs. Heritage Foundation, Washington, DC, 2 nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

CAMPBELL, John. 2013. Brazil in Africa. Council on Foreign Relations, Washington, DC, 1 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

COLEMAN, Isabel. Foreign Aid III: BRICS as Donors. Council on Foreign Relations, Washington, DC, 20 abri. 2012. Disponível em: Acesso em: 15 maio 2016.

FINNEMORE, Martha. National interests in international society. Cornell University Press, 1996.

FISHLOW, Albert. Starting Over: Brazil Since 1985. Washington: Brookings Institution Press, 2011.

GAYOU, Gerard. BRICS Bank: More Problems Than Potential. The Daily Signal, Washington, DC, 22 jul 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

HOPF, Ted. Social construction of international politics: identities e foreign policies, Moscow, 1995 e 1999. New York: Cornell University Press, 2002.

JAFFRELOT, Christophe. Under a Southern Sun. Carnegie Endowment International for Peace, Washington, DC, abri. 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2016.

JONES, Bruce. The BRICS Summit: A shadow of the former self it never was. Brookings Institution, Washington, DC, July 7, 2015. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2016.

JONES, Bruce; WRIGHT, Thomas. The BRICS Safety Net. Brookings Institution, Washington, DC, July 17, 2014. Disponível em: < https://www.brookings.edu/blog/up-front/2014/07/17/the-brics-safety-net/>. Acesso em: 14 mar. 2016.

KAHN, Robert. BRICS and Mortals. Council on Foreign Relations, Washington, DC, 15 jul 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2016.

KASSENOVA, Togzhan. Brazil’s Nuclear Kaleidoscope: An Evolving Identity. Carnegie Endowment International for Peace, Washington, DC: Washington, DC, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2016.

KLIMAN, Daniel M.; FONTAINE, Richard. Global Swing States: Brazil, India, Indonesia, Turkey and the Future of International Order. Center for a New American Security, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.

KORNEGAY, Francis; BOHLER-MULLER, Narnia (Orgs). Laying the Brics of a New Global Order. from Yekaterinburg 2009 to Ethekwini 2013.

KURLANTZICK, Joshua. Don't Bet on the BRICs. Council on Foreign Relations, Washington, DC, 7 nov. 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2016.

LINN, Johannes F. Realizing the Potential of the Multilateral Development Banks. Brookings Institution, Financing for Investment Article, 5 set. 2013. Acesso em: 24 mar. 2016.

LINS DA SILVA, Carlos Eduardo. The New Development Bank adds substance to the BRICS. Wilson Center, Washington, DC, July 30, 2014. Disponível em: Acesso em: 24 mar. 2016.

MARES, DAVID; TRINKUNAS, HAROLD. Aspirational power: Brazil on the long road to global influence. Washington, DC: Brookings Institution Press, 2016.

McGANN, James & WEAVER, Kent. Think tanks and civil societies: catalysts for ideas and action. New Brunswick: Transaction Publishers, 2000.

MEDVETZ, Thomas. Think Tanks in America. Chicago: The University of Chicago Press, 2012.

NAÍM, Moisés. BRICs. Washington, DC, May 1, 2014. Carnegie Endowment International for Peace. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2016.

NORIEGA, Roger, FOGASSA, Marc. Brazil Is in a Class By Itself. American Enterprise Institution, Washington, DC, 19 mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2016.

O’NEIL, Shannon. Brazil as an Emerging Power: The View from the United States. Council on Foreign Relations, Washington, DC, 1 mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2016.

OLSON, Ryan; WOES, Amid. Emerging Markets Need More Economic Freedom. The Daily Signal, Washington, DC, 28 jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

PATRICK, Stewart M. The BRICS India Summit: Beyond Bricolage? Council on Foreign Relations, Washington, DC, 28 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2016.

PECEQUILO, Cristina Soreanu. Os Estados Unidos e o Século XXI. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

PECEQUILO, Cristina. O Brasil e a América do Sul: relações regionais e globais. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

PETTIS, Michael. It Would Be Foolish for the BRICs to Save Europe. Carnegie Endowment International for Peace, Washington, DC, 6 out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2016.

PICCONE, Ted. Obama, Rousseff, and the crucible of human Rights. Brookings Institution, Ordem from Chaos, Washington, DC, 26 jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 abri. 2016.

ROBERTS, James. Declining Economic Freedom and Growing Statism: The BRICs Are Hitting the Wall. The Daily Signal, Washington, DC, 3 de fev. de 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

ROHAC, Dalibor; SCHMITT, Gary. Laying BRICS: A not-so-happy future. American Enterprise Institution, Washington, DC, January 5, 2016. Disponível em: . Acesso em 18 de maio 2016.

SMITH, James. The Idea Brokers: Think Tanks and the Rise of the New Policy Elite. New York: Free Press, 1991.

STONE, Daiane and DENHAM, Andrew (eds.). Think tank traditions: policy research and the politics of ideas. Manchester: Manchester university Press, 2004.

STUNKEL, Oliver. BRICS e o future da ordem global. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2017.

SWEIG, Julia. Desconsiderar os Brics ou não? Folha de São Paulo, 16 jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2016.

TRINKUNAS, Harold. Brazil's Global Ambitions. Americas Quarterly Article, Washington, DC, 4 fev. 2015.

VEZIRGIANNIDOU, Sevasti-Eleni. The United States and the rising powers in a post-hegemonic global order. International Affairs, 89: 3 (2013) 635-651.

WIETCHIKOSKI, Luciana. A atuação internacional do Brasil no século XXI: as visões dos principais think tanks estadunidenses (2003-2016). 2018. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018.

WOODROW WILSON CENTER FOR SCHOLARS. BRICS: Shaping the New Global Architecture. (1h16min17s) 28 jun. 2011. Wilson Center, jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2017.i
Publicado
28-06-2021
Como Citar
Wietchikoski, L. (2021). O Tio Sam de olho no Brasil: análise da visão dos think tanks estadunidenses sobre a política externa brasileira nos BRICS (2009-2016). Estudos Internacionais: Revista De relações Internacionais Da PUC Minas, 9(2), 57-76. https://doi.org/10.5752/P.2317-773X.2021v9n2p57-76