A produção do espaço na região do MATOPIBA: violência, transnacionais imobiliárias agrícolas e capital fictício

The Space Production in the MATOPIBA Region, Brazil: Violence, Transnational Real Estate Dealers in Agriculture and Fictitious Capital

  • Fábio Teixeira Pitta Universidade de São Paulo/ Pós-Doutorando em Geografia Humana
  • Maria Luisa Mendonça City University of New York/CUNY
  • Cássio Arruda Boechat Universidade FEderal do Espírito Santo/CCHN
Palavras-chave: Land grabbing, MATOPIBA, produção fictícia do espaço, crise do capital, transnacionais imobiliárias agrícolas.

Resumo

O presente artigo visa dissertar sobre a presença recente de transnacionais imobiliárias agrícolas na região conhecida por MATOPIBA. A partir do movimento metodológico de crítica da totalidade concreta (SCHOLZ, 2016), observa-se a possibilidade de tais transnacionais investirem na terra como ativo financeiro à parte, ao moverem a subida de seu preço de forma especulativa. Isso ocorre como processo de crise da acumulação capitalista, que se caracteriza pela expulsão do trabalho do processo produtivo, a partir da década de 1970. Após o ciclo de alta dos preços das commodities nos mercados internacionais, de 2001 a 2008, e da reversão deste ciclo, nota-se o “descolamento” entre os preços das commodities e os da terra. Os investimentos na especulação financeira em terra atingem o MATOPIBA, no século XXI, locus de investimento privilegiado de diversas transnacionais, especialmente após a crise capitalista de 2008. O baixo custo para grilagem de terras e formação das fazendas e a rápida subida do preço da terra nos anos recentes retroalimentaram tal subida e fomentaram a procura transnacional atual por tal tipo de investimento, permitindo que seu preço continuasse a subir de forma independente em relação ao do preço das commodities nos mercados de futuros internacionais.

 

Palavras-chave: Land grabbing, MATOPIBA, produção fictícia do espaço, crise do capital, transnacionais imobiliárias agrícolas.

 

 

Abstract

The following paper aims at dealing with the presence of transnational rural real estate companies in the region known as MATOPIBA. From the methodological movement of the critique of concrete totality (SCHOLZ, 2016), we here observe the possibility of such transnational companies invest in land as an autonomous financial asset, moving the increase of its price in a speculative way. This seems to occur as a process of crisis of the capitalistic accumulation, which characterizes itself by the expulsion of labor from the productive process mainly from the 1970s on. After the 2001-2008 commodities price peak in the international markets and after the reversion of this cicle, we can observe the “detachment” between commodities’ prices and land prices.  Real Estate speculative investments reached the MATOPIBA region in the 21st. century, turning it into a privileged place for transnational investments, especially after the 2008 crisis. The low costs of illegal land appropriation and of farms formation and the rapid land prices increase in recent years fed back such increase and fostered recent transnational demand for those sorts of investment, allowing the prices to keep increasing independently in relation to commodities prices in the international markets.

 

Keywords: Land Grabbing, MATOPIBA, fictitious space production, capital crisis, rural real estate transnational companies.

 

Biografia do Autor

Fábio Teixeira Pitta, Universidade de São Paulo/ Pós-Doutorando em Geografia Humana
MEstrado e Doutorado em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Pós-Doutorando em Geografia Humana, FFLCH-USP. Pesquisador da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos.
Maria Luisa Mendonça, City University of New York/CUNY
Doutora em Geografia Humana pela FFLCH/USP. Pós-doutora pela UERJ - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI) e Pesquisadora Visitante na City University of New York, CUNY. 
Cássio Arruda Boechat, Universidade FEderal do Espírito Santo/CCHN
Mestre e Doutor em Geografia Humana pela FFLCH/USP. Pós-doutor pelo CPDA/UFRRJ e pelo IGCE/Unesp. Professor do Departamento de Geografia do CCHN/UFES.

Referências

Bibliografia:

ALVES, Vicente Eudes Lemos. Mobilização e modernização nos cerrados piauienses: formação territorial no império do agronegócio. São Paulo: 2006. Tese (Doutorado em Geografia), FFLCH-USP.

BERNARDES, Júlia Adão. “Modernização agrícola e trabalho no Cerrado brasileiro”. Anais do IX Colóquio Internacional de Geocrítica, 28 de maio a 1 de junho de 2007. Disponível em: <http://www.ub.edu/geocrit/9porto/juliaad.htm>. Acesso em julho de 2017.

BOECHAT, Cássio Arruda. O colono que virou suco: terra, trabalho, Estado e capital na modernização da citricultura paulista. São Paulo, 2014, Tese (doutorado em geografia). FFLCH - USP, 2014.

BOECHAT, Cássio A., PITTA, Fábio T. e TOLEDO, Carlos de A. “Land grabbing e crise do capital: possíveis intersecções dos debates”. Rio de Janeiro: Revista GEOgraphia, UFF, v. 19, nº 40, 2017 (no prelo).

BORRAS JR., Saturnino. M.; KAY, Cristobal; GÓMEZ, Sergio; WILKINSON, John. “Land grabbing and global capitalist accumulation: key features in Latin America”. Canadian Journal of Development Studies, v. 33, n. 4, 2012, p. 402-416.

BRASIL. CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados: projeto de resolução 159. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal, 1980. 8p.

BRENNER, Robert. O boom e a bolha: os Estados Unidos na economia mundial. Rio de Janeiro: Editora Record, 2003.

CAMARGO, Paula. Organização produtiva e socioterritorial da agroecologia – o MST e sua Cooperativa Agropecuária Vitória, Paranacity-PR. São Paulo: 2010. Trabalho de Graduação Individual (Graduação em Geografia). FFLCH-USP.

CERDAS, Gerardo. A dupla serpente: Estado e agroindústria sucroenergética brasileira na construção de uma nova matriz de inserção global (2003-2014). Rio de Janeiro: 2015. Tese (Doutorado em Ciências Sociais), UFRRJ.

CLEMENTS, Elizabeth A. e FERNANDES, Bernardo M. “Land grabbing, agribusiness and the Peasantry in Brazil and Mozambique”. In: International Conference on Global Land Grabbing II: LDPI, 2012.

COLUSSI, Pedro. AgriAnual 2009. São Paulo: Instituto FNP, 2009.

COLUSSI, Pedro. AgriAnual 2010. São Paulo: Instituto FNP, 2010.

DAVIDOFF, Paulo. Dívida Externa e política econômica: a experiência brasileira nos anos 1970. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

DELGADO, Guilherme. Capital Financeiro e Agricultura: 1965-1985. São Paulo: Ícone, 1985.

DELGADO, Guilherme. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio - mudanças cíclicas em meio século. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2012.

DELGADO, Guilherme. “Apropriação financeira na crise”. Correio da Cidadania, São Paulo, 11 de agosto de 2015. Disponível em: <http://www.correiocidadania.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=11016:2015-08-11-17-27-52&catid=72:imagens-rolantes>. Acesso em julho de 2017.

FARHI, Maryse e BORGUI, Roberto Alexandre. “Operações com derivativos financeiros das corporações de economias emergentes no ciclo recente”. Anais do II Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira, Porto Alegre, UFRGS, setembro de 2009. Disponível em: <http://www.ppge.ufrgs.br/akb/encontros/2009/02.pdf>. Acesso em julho de 2017.

HARVEY, David. A Condição Pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

HARVEY, David. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

HUDSON, Michael. The bubble and beyond: fictitious capital, debt deflation and global crisis. Dresden, Alemanha: Editora ISLET, 2012.

JAPAN INTERNATIONAL COOPERATION AGENCY (JICA). Economic and social impacts of Agricultural Development of the Cerrado. Tóquio: JICA, 2017.

KURZ, Robert. “A ascensão do dinheiro aos céus: os limites estruturais da valorização do capital, o capitalismo de casino e a crise financeira global”. 1995. Disponível em: . Acesso em julho de 2017.

KURZ, Robert. O colapso da modernização: da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

KURZ, Robert. O fim do boom das matérias-primas. Lisboa, 2011. Disponível em: http://o-beco.planetaclix.pt/rkurz395.htm. Acesso em julho de 2017.

MARX, Karl. O Capital – Crítica da Economia Política. Livro I, Tomo II. São Paulo: Abril Cultural, 1984 (Série “Os Economistas”).

____________. O Capital – Crítica da Economia Política. Livro III, Tomo II. São Paulo, Abril Cultural, 1985 (Série “Os Economistas”).

MENDONÇA, Maria Luisa. Modo capitalista de produção e agricultura: a construção do conceito de agronegócio. São Paulo, 2013. Tese (Doutorado em Geografia), FFLCH, USP.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino. A mundialização da agricultura brasileira. São Paulo: Iandé Editorial, 2016.

PELUSO, N.; LUND, C. “New frontiers of land control”. The Journal of Peasant Studies, v. 38, n. 4, p. 667-681, 2011.

PITTA, Fábio T. Modernização retardatária e agroindústria sucroalcooleira paulista: o Proálcool como reprodução fictícia do capital em crise. São Paulo, 2011. Dissertação (Mestrado em Geografia). FFLCH-USP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-20102011-110312/pt-br.php>. Acesso em 20 de julho de 2017.

PITTA, Fábio T. As transformações na reprodução fictícia do capital na agroindústria canavieira paulista: do Proálcool à crise de 2008. São Paulo, 2016. Tese (doutorado em Geografia). FFLCCH-USP. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-10052016-140701/pt-br.php>. Acesso em julho de 2017.

PITTA, Fábio T. e Mendonça, Maria Luisa. A empresa Radar S/A e a especulação com terras no Brasil. São Paulo: Editora Outras Expressões, 2015. Disponível em: <https://www.social.org.br/files/pdf/RevistaREDE2015paranet%202.pdf>. Acesso em julho de 2017.

PITTA, Fábio T., CERDAS, Gerardo e MENDONÇA, Maria Luisa. Imobiliárias agrícolas transnacionais e a especulação com terras na região do MATOPIBA. São Paulo: Editora Outras Expressões, 2017.

SANTOS, Clóvis Caribé dos. “Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados – PRODECER: um espectro ronda os cerrados brasileiros”. Estudos Sociedade e Agricultura, vol. 24, n. 2, p. 384-416, outubro de 2016.

SASSEN, Saskia. Expulsões. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

SAUER, S.; BORRAS JR., S. M. “Land grabbing” e “green grabbing”: uma leitura da “corrida na produção acadêmica” sobre a apropriação global de terras. Campo-Território – Revista de Geografia Agrária. Edição Especial, p. 6-42, 2016.

SCHOLZ, Roswitha. Cristóvão Colombo Forever: para a crítica das actuais teorias da colonização no contexto do "Colapso da modernização". Lisboa: 2016. Disponível em: <http://www.obeco-online.org/roswitha_scholz24.htm>. Acesso em julho de 2017.

SERIGATI, Felippe. “Fundamentos X mercado financeiro”. São Paulo: Agroanalysis, agosto de 2012. Disponível em: <http://www.agroanalysis.com.br/materia_detalhe.php?idMateria=1314>. Acesso em julho de 2017.

SERIGATI, Felippe. “A última peça do velho cenário”. São Paulo: Agroanalysis, agosto de 2012. Disponível em: < http://www.agroanalysis.com.br/index.php/10/2015/mercado-negocios/commodities-agricolas-a-ultima-peca-do-velho-cenario>. Acesso em julho de 2017.

SLC. Relatório de desempenho 1T17. Porto Alegre: SLC, 2017. Disponível em <http://ri.slcagricola.com.br/>. Acesso em julho de 2017.

SOJABRASIL. “Estudo garante que rentabilidade do sojicultor está próxima de zero”. São Paulo: SojaBrasil, 23 de abril de 2017. Disponível em: http://www.projetosojabrasil.com.br/estudo-garante-que-rentabilidade-do-sojicultor-esta-proxima-a-zero/. Acesso em julho de 2017.

THOMAZ JR., Antônio. Por trás dos canaviais: os nós da cana. São Paulo: Annablume/FAPESP, 2002.

VALOR ECONÔMICO. “Megaprodutores consolidam a última fronteira”. São Paulo: Valor Econômico, 01 de abril de 2013a. Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/3067284/megaprodutores-consolidam-ultima-fronteira>. Acesso em julho de 2017.

VALOR ECONÔMICO. “10 grupos têm um terço da nova fronteira da soja”. São Paulo: Valor Econômico, 01 de abril de 2013b. Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/3067336/dez-grupos-tem-um-terco-da-nova-fronteira-da-soja>. Acesso em julho de 2017.

VALOR ECONÔMICO. “Cosan vende parte de suas ações na Radar para Mansilla por 1,065 bi”. São Paulo: Valor Econômico, 30 de setembro de 2016. Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/4731589/cosan-vende-parte-de-suas-acoes-na-radar-para-mansilla-por-r-1065-bi>. Acesso em julho de 2017.

WHITE, B.; BORRAS JR., S.; HALL, R; SCOONES, I.; WOLFORD, W. “The new enclosures: critical perspectives on corporate land deals”. The Journal of Peasant Studies, v. 39, n. 3-4, p. 619-647, 2016.

XAVIER, Carlos Vinicius; PITTA, Fábio T.; MENDONÇA, Maria Luisa. Monopólio da produção de etanol no Brasil: a fusão Cosan - Shell. São Paulo: Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, Editora Outras Expressões, 2011. Disponível em: <https://www.social.org.br/revistacosanshel.pdf>. Acesso em julho de 2017.

XAVIER, Carlos Vinicius; PITTA, Fábio T.; MENDONÇA, Maria Luisa. A Agroindústria canavieira e a crise econômica mundial. São Paulo: Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, Editora Outras Expressões, 2012. Disponível em: <http://www.social.org.br/relatorioagrocombustiveis2012.pdf>. Acesso em julho de 2017.

XAVIER, Carlos Vinicius; NAVARRO, Cristiano; PITTA, Fábio T.; MENDONÇA, Maria Luisa. Empresas Transnacionais e Produção de Agrocombustíveis no Brasil. São Paulo: Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, Editora Outras Expressões, 2014. Disponível em: <https://www.social.org.br/Empresas_transnacionais_e_producao_de_agrocombustiveis_no_Brasil.pdf>. Acesso em julho de 2017.

Publicado
28-02-2018
Como Citar
Pitta, F. T., Mendonça, M. L., & Boechat, C. A. (2018). A produção do espaço na região do MATOPIBA: violência, transnacionais imobiliárias agrícolas e capital fictício. Estudos Internacionais: Revista De relações Internacionais Da PUC Minas, 5(2), 155-179. https://doi.org/10.5752/P.2317-773X.2017v5n2p155
Seção
Special Issue: Transnational Land Acquisitions (Land Grabbing)