`elyôn como hipóstase de Ahura Mazda – uma leitura de Dt 32,8-9

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo

O artigo postula a hipótese de ler Dt 32,8-9 como narrativa politeísta e monolátrica, pós-exílica, escrita em contexto de subordinação político-cultural à hegemonia persa, de cujo império depende inegociavelmente a restauração e a preservação de Judá. Em contexto imperialista persa, a redação de Dt 32,1-43 responderia pela caracterização sui generis da teologia do texto: a despeito da teologia monolátrica plasmada na passagem e do horror manifestado diante da ideia de a nação de Yahweh cultuar outros deuses, a composição se vê obrigada a assumir a tese de que a exclusiva propriedade de Judá por parte de Yahweh deve-se a uma determinação de `elyôn, que se interpreta, então, como hipóstase de Ahura Mazda e que, em termos geopolíticos, encarna o próprio Império Persa. Assume-se, portanto, tratar-se Dt 32,8-9 da passagem político-teológica de legitimação do sistema político-teológico judaíta, à luz do sistema geopolítico persa.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RIBEIRO, O. L. `elyôn como hipóstase de Ahura Mazda – uma leitura de Dt 32,8-9. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 14, n. 44, p. 1437-1459, 29 dez. 2016.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Osvaldo Luiz Ribeiro, Faculdade Unida de Vitória

Doutor em Teologia - PUC-Rio
Professor do Mestrado em Ciências das Religiões da Faculdade Unida de Vitória