Novo Mapa das Religiões (New Map of Religions) - DOI: 10.5752/P.2175-5841.2011v9n23p637

Main Article Content

Marcelo Cortes Neri
Luísa Carvalhaes Coutinho de Melo

Resumo

O Brasil é o país com a maior população católica. A evolução de variáveis socioeconômicas na década de 1990, aí incluindo casamentos, fertilidade, renda, moradia entre outras, revelam que nenhuma mudou tanto quanto a composição religiosa da população brasileira. O Censo é a base de dados mais usada nos estudos no tema, porém, as estatísticas estão hoje paradas no Censo 2000. A Pesquisa de Orçamentos Familiares 2009 – POF/IBGE permite medir a religiosidade brasileira recente detalhando subgrupos religiosos com classificação comparável a do Censo e possibilidade de cruzamentos com uma gama maior de variáveis. Este estudo processa microdados da POF de 2003 e 2009, quando o contexto econômico difere das décadas anteriores, permitindo estudar as relações entre economia e religiosidade num contexto de expansão. Mostramos que: i) há velocidade de queda do catolicismo dez vezes mais rápida do que a observada entre 1872 e 1980, mas similar à dos anos 1990, embora as novas filiações sejam  não apenas nos grupos evangélicos pentecostais, mas mais nos protestantes tradicionais; ii) ao contrário dos países europeus mais católicos que vivem contração econômica (PIIGS), as localidades brasileiras mais católicas vivem expansão mais forte que as demais; iii) os brasileiros se mostram na mediana de frequência a cultos religiosos em 150 países; iv) as mulheres, embora mais religiosas que os homens, tornaram-se menos católicas; v) os jovens mostram uma fuga mais acelerada do catolicismo.

Palavras-chave: Religião. Economia. Max Weber. Mapa das Religiões no Brasil.

Abstract

Brazil is the country with the biggest Catholic population in the world. The evolution of socio-economic variables during the 1990s such as marriage, fertility, incomes, housing among others, revealed that no other variable changed as much as the religious composition of Brazilian population. Demographic Census is the mostly widely used survey in religious studies. However, these statistics are today only available until 2000. Microdata from national Family Expenditure Surveys (POF/IBGE) allow us to measure the recent Brazilian religious evolution by detailing religious subgroups  and also by exploring  a richer array of correlated variables. This study processes microdata from POF in 2003 and 2009 when the economic context differs from the previous decades. It allows us to study the relation between economy and religion during a boom. This article aims to show that: i) The speed of the fall in Catholicism in Brazil is two times faster than the one observed in 1990, although similar to the one observed in the 1990s; the destinies of the Catholics however are less the Pentecostal Evangelicals and more the Traditional Protestants. ii) In contrast to major European Catholic countries that are facing a recession, the Brazilian localities with a catholic population have experienced an economic expansion. iii) Brazilians are on the World median in terms of attendance to religious activities.  iv) Although females are more religious than males, they are less catholic. v) There is a faster reduction of Catholics among the youth in Brazil.

Key words: Religion. Economy. Max Weber. Maps of Religions in Brazil.

Article Details

Como Citar
NERI, M. C.; MELO, L. C. C. DE. Novo Mapa das Religiões (New Map of Religions) - DOI: 10.5752/P.2175-5841.2011v9n23p637. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 9, n. 23, p. 637-673, 19 dez. 2011.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

Marcelo Cortes Neri, FGV - Funcação Getúlio Vargas - Centro de Políticas Sociais (CPS) e EPGE/FGV.

chefe do Centro de Políticas Sociais (CPS) da FGV. O Professor ministra aulas no curso de graduação e mestrado da EPGE/FGV. É Ph.D em Economia pela Universidade de Princeton, Mestre e Bacharel em Economia pela PUC-Rio. As suas principais áreas de trabalho são bem-estar social, educação  e avaliação de políticas públicas. Livros editados são: "Diversidade", "Ensaios Sociais", "Cobertura Previdenciária: Diagnóstico e Propostas", , "Inflação e Consumo" e "Microcrédito: O mistério nordestino e o Grameen brasileiro". Atua ativamente na proposição, avaliação e debate sobre políticas públicas. O autor escreve regularmente no Jornal Valor, na revista Conjuntura Econômica e Folha de São Paulo. Alguns trabalhos podem ser acessados no site www.fgv.br/cps.