Fundamentalismo e religião da política: uma possibilidade da política como religião

Main Article Content

Heiberle Hirsgberg Horácio

Resumo

Este artigo apresenta argumentos que procuram viabilizar o entendimento de que o conceito de Religião Política - bem como as experiências políticas autoritárias representadas por ele, como o Nazismo e o Stalinismo - pode ser pensado em articulação ao conceito de fundamentalismo. Ademais, este artigo também apresenta possibilidades para que o conceito de Religião Civil – que também pode ser classificado como Religião Pública – mesmo sendo muitas vezes associado às experiências políticas tidas como democráticas - como as dos Estados Unidos e da França - também possa ser pensado em articulação ao de fundamentalismo. Para tanto, este trabalho, realizando uma atividade de delimitação e problematização conceitual, definirá o conceito de Religião Política, diferenciando-o do conceito de Religião Civil, e de certa forma do de Religião Pública, em uma tentativa de demarcar um conceito, de Religião Política, que tem sido mobilizado, por vezes com certa imprecisão, por pesquisadores de diferentes áreas. Conquanto o objetivo deste artigo não seja de colocar empiricamente à prova os conceitos supracitados, ao delimitá-los, potencializando-os, busca-se contribuir para melhores rendimentos em experimentos analíticos futuros.

Article Details

Como Citar
HORÁCIO, H. H. Fundamentalismo e religião da política: uma possibilidade da política como religião. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 18, n. 57, p. 1002, 31 dez. 2020.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

Heiberle Hirsgberg Horácio, Unimontes

Pós-Doutorado em Ciências Sociais (UFJF), Doutor e Mestre em Ciência da Religião. Professor Efetivo do Depto de Filosofia e do curso de CRE. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE Unimontes). País de origem: Brasil. E-mail: heiberle@hotmail.com.

Referências

ARON, Raymond. L'avenir des religions séculières. Paris. Commentaire, n° 8, p. 28-29, 1985.
BALEEIRO, Cleber. A. A dinâmica dos fundamentalismos: modernidade e tradição. In: SOUZA, Sandra Duarte de. (Org.). Fundamentalismos religiosos contemporâneos. São Paulo: Fonte Editorial, 2013. Cap.2, p.15 - 44.
BÈJAR, Helena. Una epoca de frio moral: la sociologia comunitarista de Robert N. Bellah. In: Reis, p.77-113, 199. Disponível em BELLAH. Robert N., Terrenoire Gwen. La Religion civile en Amérique (Civil Religion in America). In: Archives dês sciences sociales des religions. Nº 35, p. 7-22, 1973.
BELLAH. Robert N. Comunitarismo ou Liberalismo? Brasil e Estados Unidos em debate. In: SOUZA, Jessé de. (Org.) O Malandro e o Protestante: a tese weberiana e a singularidade cultural brasileira. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999. Cap. 12, p. 295-315.
BELLAH. Robert N. A nova consciência religiosa e a crise da modernidade. In: Religião e Sociedade. Rio de Janeiro, n.13, vol.2, 1986.
BIDUSSA, David. A religião da política em Israel. Revista de Estudos Avançados, São Paulo 22 (62) 2008.
BURITY, Joanildo. A onda conservadora na política brasileira traz o fundamentalismo ao poder? In: TONIOL, R; ALMEIDA, R. Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: análises conjunturais. Campinas/SP: Ed.Unicamp, 2018.
CAMURÇA, Marcelo. Liturgias políticas e simbolismo no poder. In: O sagrado e o urbano: diversidades, manifestações e análises. São Paulo: Paulinas, 2008.
CAMURÇA, Marcelo. O debate conceitual sobre as religiões 'cívica','civil' e 'pública' proposto por Paula Montero e uma remissão para o caso do Brasil a partir de reflexões anteriores da autora. Debates do NER , v. 1, p. 42-57, 2018.
CASANOVA, José. From modernization to secularization to globalization: an autobiographical self-reflection. Chicago: 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2020.
CASANOVA, José. Public religions in the modern world. Chicago: The University of Chicago Press, 1994.
CASANOVA, José. Religion, politics, and gender equality: public religions revisited. Chicago: 2009. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.
CASANOVA, José. Public Religions Revisited. Berlin: Heinrich-Böll Foundation; UNRISD, 2009.
CATROGA, Fernando. Entre deuses e césares: secularização, laicidade e religião civil, uma perspectiva histórica. Coimbra: 2006.
CATROGA, Fernando. A religião civil do Estado-Nação: os casos dos EUA e da França. Coimbra: Revista da História das Idéias, vol. 26, 2005.
DREHER, Martin N. Para entender o fundamentalismo. São Leopoldo: Unisinos, 2002.
FILHO, Rubem Barboza. As linguagens da democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Brasil, vol.23, n,67, 2008.
GARCIA, José Antonio Santiago. Secularización y nacionalismo: un análisis comparado de los nacionalismos vasco y quebequense. Madrid, 2005. Tese (Doutorado em Sociologia), Faculdad de Ciencias Politicas y Sociologia,. Universidad Complutense de Madrid.
GEERING, Lioyd. Fundamentalismo: desafio ao mundo secular. SP: Fonte Editorial, 2009.
GENTILE, Emilio. Political Religion: a concept and its critics – a critical survey. In: Totalitarian Movements and Political Religions. vol.6, n.1, 19-32, june 2005.
GENTILE, Emilio. Les Religions de la Politique: entre démocraties et totalitarismes. France: Éditions du Seuil, 2005b.
GUIGOU, Nicolás. A nação laica: religião civil e mito-práxis no Uruguai. Porto Alegre, 2000, 150f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social), Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
HERVIEU-LÉGER, Danièle. Representam os surtos emocionais contemporâneos o fim da secularização ou o fim da religião? Religião e Sociedade, 18/1, 1997.
HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence. (orgs.) A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
HORACIO, Heiberle Hirsgberg. Religião Civil de Rousseau a Bellah e Catroga: para uma análise da trajetória do conceito. Juiz de Fora: Anais do II Seminário de Pós-Graduação em Ciências Sociais-UFJF, 2010.
HORACIO, Heiberle Hirsgberg. Enunciados da política cubana: da simbologia do poder à possibilidade de uma religião da política. Juiz de Fora, 2013, 208 f. Tese (Doutorado Ciência da Religião) PPCIR-Universidade Federal de Juiz de Fora.
KERTZER, David. The Power of Rites. Ritual, Politics an Power. New Haven: Yale University Press, 1988.
LAZAR, Marc. Communisme et Religion. In: Rigueur et Passion: mélanges offerts em hommage à Annie Kriegel. Paris. CERF, 1994.
LEITE, Márcia Pereira. A cidadania como religião civil de Rousseau a Bellah. Vassouras: VIII Encontro Regional de História, 1998.
MATA, Sérgio da. Passado e Presente da Religião Civil. Varia História, Belo Horizonte, nº 23, p.180-204, julho, 2000.
MONTERO, P. Religião Cívica, Religião Civil, Religião Pública: continuidade e descontinuidades. Debates do NER (UFRGS), v. 19, p. 15-33, 2018.
ORO, Ivo Pedro. O outro é o demônio: uma análise sociológica do fundamentalismo. São Paulo: Paulus, 1996.
PANASIEWICZ, Roberlei. Fundamentalismos religiosos: história e presença no cristianismo. Anais da ABHR, 2018.
PIERUCCI, Antônio Flávio. Fundamentalismo e integrismo: os nomes e as coisas. Revista USP, n.13, 1992.
PIERUCCI, Antônio Flávio. Estado laico, fundamentalismo e a busca da verdade. In: BATISTA, Carla; MAIA, Sonia (Org.). Estado laico e liberdades democráticas. Recife: Articulação de Mulheres Brasileiras/Rede Nacional Feminista de Saúde/ SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia. p. 05-07. 2006
PIERUCCI, Antônio Flávio. O desencantamento do mundo: todos os passos do conceito em Max Weber. São Paulo: Ed.34, 2003.
PIETTE, A. La religiosité et la sacralité dans le monde contemporain. Nouvelles Idoles, Nouveaux cultes. Paris: Édtions L’Harmattan, 1990.
PIETTE, A. Les religiosités séculières. Paris: Universitaires de France, 1993.
PORTIER, Philipe. Democracia e Religião no pensamento de Habermas. In: Numen: revista de pesquisa e estudo de religião, JF, v.16, n.1, p.611-622, 2013.
REINHARDT, Bruno. Reiterando o pacto: História, teologias políticas cristãs e a Religião Civil Americana em uma era de multiculturalismo e Império. In: Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, 31 (2): 29-54, 2011.
RIVIÈRE, Claude. As liturgias políticas. RJ: Imago Editora Limitada, 1988.
RIVIÈRE, Claude. Le politique sacralisé. In: Nouvelles idoles, nouveaux cultes. Paris: Édtions L’Harmattan, 1990.
ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social ou princípios do direito político. Trad. Lourdes Santos Machado. São Paulo: Abril Cultural, 1973.
SIRONNEAU, Jean-Pierre. Sécularisation et religions politiques. Paris/NY: La Haye, 1982.
SIRONNEAU, Jean-Pierre. Retorno do Mito e imaginário sócio-político e organizacional. Revista da Faculdade de Educação, 1985.
SIRONNEAU, Jean-Pierre. Quando a Sociologia encontra o imaginário. In: Revista Iris, n.2, 61-79, 1986.
SOUZA, Jessé de. (Org.) O Malandro e o Protestante: a tese weberiana e a singularidade cultural brasileira. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.
SOUZA, Sandra Duarte de. (Org.). Fundamentalismos religiosos contemporâneos. São Paulo: Fonte Editorial, 2013.
TOCQUEVILLE, Alexis de. A democracia na América. Coleção “Os Pensadores”. São Paulo: Abril S/A Cultural. 1985.
VOEGELIN, Eric. As Religiões Políticas. Lisboa: Vega, 2002.