Tudo que é humano ressoa no coração da fé: discernir a missão universitária à luz dos sinais dos tempos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Pedro Rubens

Resumo

O Concílio Vaticano II evidenciou a importância de discernir os “sinais dos tempos” para definir a missão cristã no seio do mundo e para exercer o próprio labor teológico. Ao celebrarmos, em 2015, o cinquentenário do concílio Vaticano II e da declaração Gravissimum educationis, bem como o vigésimo quinto aniversário da Constituição Apostólica Ex corde Ecclesiae, uma tarefa importante recai sobre a teologia fundamental, a saber: como discernir e redefinir a missão das universidades católicas no seio das novas situações humanas? Na presente reflexão, a título de exercício, proponho três passos para um discernimento teológico, que só pode ser feito por cada comunidade acadêmica: primeiro, identificar alguns grandes apelos na realidade paradoxal que caracteriza o tempo atual; segundo, redefinir a missão própria de uma universidade católica à luz de uma releitura da constituição apostólica Ex corde Ecclesiae; terceiro, a partir da perspectiva lançada pelo concílio, reafirmar a centralidade do Evangelho, fonte da fé e da teologia, como critério último de todo discernimento. E, à guisa de conclusão aberta, destacaremos alguns pontos fundamentais para a missão de uma universidade católica na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RUBENS, P. Tudo que é humano ressoa no coração da fé: discernir a missão universitária à luz dos sinais dos tempos. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 13, n. 40, p. 2115-2136, 25 dez. 2015.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Pedro Rubens, Universidade Católica de Pernambuco

Doutor em Teologia pelo Centre Sèvres, Facultés Jésuites de Paris, fez sua graduação em Filosofia na FAJE, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, Belo Horizonte (1985-1987) e revalidou na Universidade Católica de Pernambuco (1989); graduação em Teologia na FAJE (1993); mestrado (1996) e doutorado em Teologia (2001), ambos nas Facultés Jésuites de Paris, Centre Sèvres, Paris. De 2002-2005, foi professor de Teologia Fundamental na FAJE, participando igualmente do programa de pós-graduação, mestrado e doutorado. Desde 2006, é reitor da Universidade Católica de Pernambuco; foi eleito presidente da Federação Internacional de Universidades Católicas (FIUC, 2012-) e, em 2013, presidente da Associação Brasileira de Universidades Comunitárias (ABRUC). É professor de teologia, atuando na Unicap no mestrado em Ciências da Religião (2006-2014) e, a partir de 2014, no Mestrado de Teologia (Unicap). Tem formação e experiência na área de Teologia, com ênfase em Teologia Fundamental, atuando principalmente nos seguintes temas: discernimento teológico, fé cristã e religiosidade popular, teologia contextual latino-americana, método teológico, hermenêutica filosófica e teológica