Enseigner une langue étrangère par le biais de chansons:

proposition interculturelle et médiation interlinguistique en classe de catalan

Resumo

Este artigo expressa uma breve sequência didática que liga a Nova Cançó, um movimento musical anti-francês em catalão, e a Chanson Française. Muitas das canções em catalão deste movimento são simplesmente versões de canções francesas, o que as torna textos fundamentais para o ensino do catalão a alunos francófonos. No entanto, existe uma falta de reflexão coerente sobre a modelação didática da canção no ensino das línguas. Para colmatar esta lacuna, foi proposta uma sequência didática aos alunos de catalão do nível A2 da Universidade de Paris-8. Esta sequência utiliza seis canções para estudar a língua, a dimensão contextual e a dimensão criativa. Os alunos têm de escrever uma canção adaptada do francês para o catalão depois de trabalharem com as letras em francês e as traduções em catalão das seis canções escolhidas. As vozes francesas dos artistas originais foram removidas por inteligência artificial, permitindo aos alunos cantar o seu texto em catalão sobre o instrumental original. Esta sequência didática oferece uma reflexão sobre a modelação didática da canção e permite aos alunos desenvolver a sua competência linguística, cultural e criativa em catalão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alba Arenas Soler, Université Paris 8

Université Paris 8

Aina Monferrer-Palmer, Universitat de València

Universitat de València

Referências

ARAGÜEZ, C. “La Nova Cançó catalana : génesis, desarrollo y trascendencia de un fenómeno cultural en el segundo franquismo”. Pasado y memoria. Revista de historia contemporánea, v. 5, p. 81-98, 2006.

CALDUCH, Carme; MONFERRER-PALMER, Aina. “The translation of poetry as a didactic tool for multilingual teaching in Catalan as a Foreign Language: a proposal”. In: IBARRA, Noelia et al. (eds.) Retos en la adquisición de las literaturas y de las lenguas en la era digital. València: Universitat Politècnica de València, pp. 125-129, 2015.

CENOZ, Jasone; GORTER, Durk. Pedagogical Translanguaging. Cambridge: Cambridge University Press, 2022.

CONSELL D’EUROPA. Common European Framework of Reference for Languages: Learning, Teaching, Assessment. Consell d’Europa, 2018.

CORTIER, C.; RISPAIL, M.; VILLA-PEREZ, V. (ed.). Chansons entre langues, révoltes et subversions. Limoges: Lambert-Lucas, 2022.

DE PIETRO, Jean-François; SCHNEWLY, Bernard. “Le modèle didactique du genre: un concept de l’ingénierie didactique”. Les cahiers THÉODILE, v. 3, p. 27-52, 2003.

DOLZ, Joaquim; SCHNEWLY, Bernard. Per a un ensenyament de l’oral. València: IIFV, 2006.

CALVET, Louis-Jean. Chanson et societé. Paris: Payot, 1981.

CALVET, Louis-Jean. Brassens. Paris: Payot, 1993.

MESEGUER, Lluís. La Nova Cançó: estudis de literatura i música. Barcelona: PAM, 2020.

MIRANDA, Florencia. Textos e géneros em dialogo. Uma abordagem linguística da intertextualisazão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

MONFERRER-PALMER, Aina (2019) Vicent Andrés Estellés i la literatura a l’aula. València: Alfons el Magnànim.

MONFERRER-PALMER, Aina (2022) Docentes hiperdiscursivos. Barcelona: Octaedro.

STEGMANN, Tilbert. “L’intercompréhension (EuroCom) en langues romanes – un double atout pour le français”. In: BAQUÉ, L.; TOST, M. A. (eds.). Diversité et spécialités dans l’enseignement des langues Repères & Applications. Barcelona: Universitat Autònoma de Barcelona, p. 24-31, 2004.

Publicado
21-12-2023
Como Citar
Soler, A. A., & Monferrer-Palmer, A. (2023). Enseigner une langue étrangère par le biais de chansons: . Scripta, 27(60), 249-277. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2023v27n60p249-277
Seção
Eixo II. Práticas de ensino e aprendizagem